06 junho 2015

Estupidez no-stop

São três dias que nas televisões e diários portugueses fala-se só dum assunto: a transferência do antigo treinador do Benfica para o Sporting, Jorge Jesus.

Basta. Isso deveria provocar vergonha. Não nos media, que fazem o trabalho deles (barris de Valium despejados, o costume), mas nos Portugueses. Façam algo, organizem uma manifestação, escrevam para as redacções: isso é um insulto à qualquer inteligência, por pequena que seja.

Se é para ser anestesiados, pelo menos que seja com algo que tem a aparência de coisa com sentido. Há as eleições este ano, não será um assunto mais importante? Em Janeiro haverá a substituição do Presidente da República, o cadáver Cavaco Silva: não será um assunto mais importante? A economia está de rastos, não será mais importante? Uma boa percentagem da população está desempregada, não será um pouco mais importante?

Eu não sei se haverá um outro País cujos cidadãos são tratados como eméritos deficientes desta forma. Hoje comprei um diário, o Diário das Notícias (péssimo, mas o "i" estava esgotado):
- foto da capa: o presidente do Benfica;
- no interior: uma página dedicada ao discurso do presidente do Benfica contra Jorge Jesus;
- outra dedicada ao treinador do Sporting que sai e que será substituído por Jorge Jesus;
- outra dedicada a vida do eventual novo treinador do Benfica, que substituirá Jorge Jesus.
- no meio, manchetes com vida e obras e Jorge Jesus.

Estamos aqui, invadidos de especialistas que debatem acerca dum gajo que ganha 6 milhões de Euros por ano. Uma pessoa com ordenado mínimo (500 Euros) tem que trabalhar 12.000 anos para conseguir o mesmo. Não sei se a ideia fica clara.

Já disse: gosto de futebol, acho um bom desporto (infelizmente utilizado como válvula de escape para as frustrações diárias e apodrecido pelos rios de dinheiro). Mas isso já nada tem a ver com o futebol: esta é a sublimação da estupidez nacional.

Agora, falassem da Sampdoria, até poderia entender... :)

E para acabar a semana, dado o clima de estupidez que paira no céu português, fica bem uma canção duma banda de rock demencial italiano: Elio e le Storie Tese.
Título: Urna.




Coro: Urna, urna, uhh, coloca-me na urna, urna, uuh.
Urna cinerária, coloca-me na urna funerária, urna eleitoral, coloca-me na urna patat...

A morte chega, silenciosa como um alce, dos vivos nos separa com o corte duma foice;
Chega, silenciosa como um alce,  separa com o corte duma foice.

O disse Foscolo, e eu repito: da vida o fulcro é o sepulcro.
Fulcro, sepulcro, fulcro, repito que é o sepulcro.

E há algo no ar que me diz que eu vou perecer. Mais cedo ou mais tarde sei que isso vai acontecer, mas isso não me incomoda, tenho apenas um desejo:
quero uma digna sepultura,
Quando a morte chegará e te apanhará

uma tumba linda e douradora.
Que vai preservar-me da humidade. Apanhará!

Seguem para os mais cultos alguns trechos de Os Sepulcros de Ugo Foscolo:
"Só quem não deixa legados de afectos, pouca felicidade tem na urna"

Coloque-me na urna urna uuh.
[...]

Mas enquanto falo, tu não me ouves.
Há duas possibilidades: ou já não me amas ou estás morta.
Estaria inclinado para a segunda hipótese, porque emanas um cheiro nauseabundo.
E então acho que tu queres uma digna, digna, digna sepultura.
Porque a morte chegou e te apanhou

Uma tumba linda e duradoura
Que vai preservar-te da humidade.

Urna, urna, uuh, coloca-me na urna, urna, uhh
Urna, urna, uhh, coloca-me na urna, urna, uhh
Urna cinerária, coloca-me na urna funerária,
Urna eleitoral, coloca-me na urna patat...
Amor..

...ehm...não vou traduzir "patatosa"... e o vídeo é muito fraco. Mas gosto da canção!
E para todos: Bom fim de semana!


Ipse dixit.

11 comentários:

  1. Anónimo6.6.15

    Como ousa max? Como ousa gozar com os directos das esplanadas de vários pontos do pais, dos directos em que se segue o autocarro das equipas, dos programas em que se discute (mas discussões de homem, macho) na TV, como ousa??

    Sou Benfiquista desde pequenino, adoro futebol, pratiquei o desporto durante anos como atleta federado, foi bastante importante para mim mas, se há coisa que detesto é o "extra" futebol......programas de TV, as noticias, os dirigentes os MAGNATAS!!! Desde que comecei a ter noção do que é o "futebol", agora só me interessa o que se passa dentro do campo e mesmo assim.......

    Os media, como disse o Max, fazem o trabalho deles, que é vender o quer rende.......

    ResponderEliminar
  2. Anónimo6.6.15

    O lampião acima tem razão. Eu sou Sportinguista/lagarto ainda não tinha saido do ventre da minha querida mãe.
    Esses programas que discutem o esférico rolando sobre a erva enfim sao tão básicos mas tão básicos que são um insulto à palavra básico. Futebol é no campo o resto é bla bla bla. Aliás futebol do bom sem tretas dessas, dá hoje em sinal aberto.

    N.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo6.6.15

    futebol=fifa interessante ponto de vista:

    http://youtu.be/2lIQDOWvKkw

    ResponderEliminar
  4. Feed086.6.15

    Por falar em Futebol, estou admirado de o Max não ter feito um artigo sobre o caso FIFA. Em termos futebolísticos este caso não tem grande interesse e quanto a corrupção já se sabia disso há anos. Mas em termos políticos até se torna interessante, não terá sido esta uma jogada para tirar o mundial da russia? E o caso da Federação Israelita de futebol? que 2 dias depois da investida do FBI (é tudo deles) tinha a uma votação para se saber se continuava ou não na FIFA?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo7.6.15

      Estas bem informado :)

      EXP001

      Eliminar
    2. Anónimo7.6.15

      http://www.haaretz.com/news/world/1.660070?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

      Eliminar
  5. Anónimo6.6.15

    Panem et circenses!
    Já vem dos romanos. Os gladiadores foram substituídos pelo futebol (e não é só em Portugal, Max, é global), e tornou-se numa arma de controle da população.
    Outras armas de controle são o dinheiro, os média, a política... Adivinhem as outras!

    ResponderEliminar
  6. Max, aqui do outro lado do Atlântico não poderia ser diferente.
    Foco excessivo da mídia nas sub-celebridades e namoradas de jogadores de futebol famosos.
    As agências de propaganda ,dá mesma forma, restringem seus garotos propaganda sempre aos mesmos. O Neymar deve ganhar mais com marketing do que com futebol.
    Como todo brasileiro, tenho time em tudo qto é país . Em Portugal, torço para o Benfica. Fiquei contante com a saída do técnico. Já estava me agoniando ver o Jesus mascando ( sei lá o quê ) o jogo inteiro sem parar.
    Bom fimdesemana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo7.6.15

    Outro tema, mais uma reunião Bilderberg.

    https://youtu.be/ARVO6vhKVCY

    http://en.wikipedia.org/wiki/Bilderberg_Group

    http://www.publico.pt/politica/noticia/balsemao-escolhe-durao-barroso-para-lhe-suceder-em-bilderberg-1696978

    ResponderEliminar
  8. Chaplin8.6.15

    O supérfluo é a base da programação em geral. Mesmo na pauta jornalística, os editoriais primam por assuntos sem qualquer relevância e que se você assistir uma edição de 20 anos atrás, parecerá uma reprise. O que de real decide, impacta e onera a vida do indivíduo comum está longe de aparecer nos medias, e quando, raramente é mencionada, é de forma resumida e que não permite que a mesma seja devidamente absorvida. Aqui no Brasil, tem rádios cuja programação trata exclusivamente de futebol durante as 24 horas do dias, sete dias por semana. Querem mais? Impossível. Mas o mais grave é a complacência de todo aquele que aprende e pratica tal convivência, omitindo-se de tantas questões relevantes. É curioso, mas sempre acabamos naquele pormenor. Numa sociedade onde o dinheiro e o entretenimento são os melhores amigos, não se pode esperar nada além de existências corrompidas...

    ResponderEliminar
  9. Anónimo8.6.15

    http://youtu.be/RfU8TUZRtZg
    (Em inglês) A palavra de alguém excluido, prisão por posse de drogas e voltar passados uns anos.
    Estando por fora o que observa.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...