23 julho 2015

Operação Lava Jato

Para a maioria do Portugueses, a expressão "Lava Jato" não significa grande coisa. No entanto, para os Brasileiros é considerada como a maior investigação de corrupção da história do País. E agora chegou a Portugal.
Tinha que ser.

Vamos fazer um resumo? Mas resumo mesmo, pois a operação é imensa e vê envolvidos:
  • 82 presos
  • 103 indiciados
  • 235 buscas e apreensões
  • 12 condenados
  • 28 acusações criminais
  • 494 entre empresas e pessoas investigadas
  • 46 pedidos de cooperação internacional
  • 2.1 biliões de Reais desviados (600 milhões de Euros).
E ainda não acabou.


17 de Março de 2014: O começo

Alberto Youssef
A investigação arranca no dia 17 de Março de 2014, quando começam a ser investigadas e
processadas quatro organizações criminosas lideradas pelos chamados “doleiros”, operadores do mercado paralelo de câmbio.

Em causa está um esquema multimilionário de desvio e lavagem de dinheiro (que na verdade tinha sido investigado desde 2009) focado num ex-deputado (José Janene do partido Progressista) e dois “doleiros”: Alberto Youssef (empresário brasileiro, já conhecido no escândalo do Banestado, em 2002) e Carlos Habib Charter.

Em 2013, a investigação identifica quatro organizações criminosas, “doleiros” e ligações do esquema a Paulo Roberto Costa, director de abastecimento da Petrobras (a empresa brasileira de exploração, produção, refino e comercialização de petróleo, gás natural e derivados) entre 2004 e 2012. O Ministério Público Federal recolhe provas dum “imenso esquema criminoso de corrupção envolvendo a Petrobras”.

Perante as provas, é lançada a operação Lava Jato, com 81 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de prisão preventiva, dez mandados de prisão temporária e 19 mandados de condução coerciva, em 17 cidades de seis estados e no Distrito Federal.


11 de Abril de 2014: A Petrobras

Paulo Roberto Costa
Como vimos, com a figura de Paulo Roberto Costa entra em cena a Petrobras.

O ex-director da empresa e os seus familiares (apanhados a desfazerem-se das provas) são acusados de obstrução à investigação; são também apreendidos 80 mil documentos, equipamentos informáticos e telemóveis. As provas recolhidas apontam para um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro que envolve directamente a Petrobras.

Assim começa a segunda fase da operação. No dia 11 de Abril, a Petrobras começa a colaborar e entrega documentos: 23 mandados de busca e apreensão, duas prisões temporárias, seis de condução coerciva e 15 de buscas e apreensão em cinco cidades. São também denunciadas 74 pessoas pela prática de crimes contra o sistema financeiro nacional, formação de organização criminosa e lavagem de recursos provenientes desses crimes, corrupção e peculato.

O que está em causa é um esquema no qual as grandes empreiteiras, organizadas em cartel, pagam subornos aos directores e agentes da Petrobras, subornos que chegam a 5% do montante total dos contratos. Numa situação normal, as empreiteiras concorreriam entre elas para conseguirem contratos da Petrobras, que, por seu lado, iria escolher a empresa que aceitasse a obra pelo menor preço.

No entanto, as empreiteiras organizam-se e realizam reuniões secretas para decidirem quais os preços que irão oferecer à Petrobras, assim como qual a empresa que irá ganhar o contrato. Para garantir que só as empresas do cartel sejam convidadas para as licitações, é preciso envolver funcionários da Petrobras. Assim: operadores financeiros, intermediários, responsáveis pela entrega dos subornos, etc.  


27 de Agosto de 2014: Além da Petrobras

Paulo Roberto Costa e o “doleiro” Alberto Youssef decidem colaborar com a Justiça e as informações recolhidas alavancam a investigação, que assim se expande e envolve diversas empresas de construção, entre as quais:
  • Engevix
  • Mendes Júnior Trading Engenharia
  • Grupo OAS
  • Camargo Correa
  • Galvão Engenharia
  • UTC Engenharia
  • IESA Engenharia
  • Construtora Queiroz Galvão
  • Odebrecht Plantas Industriais e Participações.
São todas empresas de importante dimensão, cada uma com dezenas de milhares de funcionários. No entanto, tomem nota deste último nome: Odebrecht.


06 de Março de 2015: Os políticos

João Vaccari
Em 2015 a investigação estreia uma nova frente: aquela política. Em Março o procurador-geral pede ao Supremo Tribunal Federal para investigar 49 pessoas, entre as quais estão 47 políticos, suspeitos de participação no esquema de corrupção. Entre eles estão:
  • 22 deputados federais
  • 12 senadores
  • 12 ex-deputados
  • 1 ex-governadora
Todos fazem parte de cinco partidos, o PP (Partido Progressista, de Direita, com mais políticos envolvidos), o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro, do Centro), PT (Partido dos Trabalhadores, de Esquerda), PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira, de Centro-Esquerda), PTB (Partido Trabalhista Brasileiro, do Centro), PSB (Partido Socialista Brasileiro, de Esquerda).

Além disso há os dois chamados de "operadores" do esquema, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o lobista Fernando Antônio Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, do PMBD.

Dos dois, a figura politicamente mais relevante é sem dúvida a primeira, o Vaccari: secretário de Finanças e Planeamento do Partido dos Trabalhadores (o PT) e antigo presidente da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), conhecida pelo Caso Bancoop (crime de formação de quadrilha, estelionato e tentativa de estelionato - no Codigo Penal brasileiro, o estelionato é um crime económico definido como "obter, para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento" -, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro por desvios de recursos no total aproximado de 70 milhões de Reais e prejuízo de aproximadamente 100 milhões de Reais aos que não receberam as suas unidades habitacionais).

E aqui a coisa aquece porque o PT, no qual Vaccari ocupa uma posição de relevo, é o mesmo partido da Presidente Dilma Rousseff e do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Como se não fosse suficiente, nos depoimentos é também citado o nome de Aécio Neves, economista, senador e Presidente do PSDB, ex-governador de Minas Gerais e candidato à Presidência da República em 2014, tendo perdido para Dilma Rousseff na eleição mais disputada da história do País.

É claro que estamos nos andares mais elevados da política do Brasil, mas o Ministério Público decide não incluir a Presidente ou Aécio Neves na investigação.

Voltando aos outros políticos, o Procurador-Geral acha que os grupos "agiram em associação criminosa, de forma estável, com comunhão de esforços e unidade de desígnios para praticar diversos crimes, entre os quais corrupção passiva e lavagem de dinheiro".

Já em Janeiro de 2015, o ex-director da área internacional da Petrobras, Nestor Cuñat Cerveró, tinha sido preventivamente preso ao desembarcar no aeroporto de Rio de Janeiro. Cerveró é um economista que exerceu vários cargos de direcção na Petrobras também no período durante o qual Dilma Rousseff era presidente do Conselho de Administração da empresa (2002 -2010).


19 de junho de 2015: Portugal aproxima-se...

Marcelo Odebrecht
Uma das grandes detenções ocorre no dia 19 de Junho: alvo é Otávio Azevedo, presidente da
Andrade Gutierrez, uma das empresas envolvidas no esquema de corrupção (e cujo dono, Sérgio Gutierrez, tem residência em Lisboa).

Azevedo foi um dos representantes da Oi (operadora de telecomunicações do Brasil) na PT (a Portugal Telecom) e é (ou era...) um dos homens mais poderosos do Brasil. Saiu do conselho de administração da PT depois de ter conhecido o investimento na Rioforte.

Rioforte? Isso faz lembrar algo....ah, pois: o BES! Em 2014 a Portugal Telecom investiu quase 900 milhões de Euros em papéis da Rioforte, holding do Grupo Espírito Santo, acionista do Banco Espírito Santo. Que, passados poucos meses, faliu e deu início ao "Caso BES".

Ok, ok, mas não divagamos: Otávio Azevedo é apontado pelo ex-director de abastecimentos da Petrobras, Paulo Roberto Costa, como envolvido no pagamento de subornos da Andrade Gutierrez ao PMDB e ao PP, por intermédio de Fernando Soares, o tal "Fernando Baiano", já detido.

Sempre em Junho, também é detido Marcelo Odebrecht, presidente da holding brasileira Odebrecht S.A, que em Portugal é detentora da construtora Bento Pedroso (que agora chama-se Odebrecht Portugal. Obras principais: Metropolitano de Lisboa, aproveitamento hidroelétrico do Baixo Sabor, em Trás-os-Montes). Odebrecht é acusado com mais sete pessoas ligadas à empresa de crimes como fraude em licitação, lavagem de dinheiro, corrupção activa e passiva, crime contra a ordem económica e organização criminosa.


16 de julho de 2015: Portugal

Odebrecht, lembram-se? Pois. É aqui que entra em cena Lula da Silva, o ex-Presidente do Brasil.

Começa a ser investigado no dia 16 de Julho por tráfico de influências, por ter alegadamente favorecido a construtora Odebrecht (cujo presidente, como lembrado, já se encontra preso), uma das empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato.

Segundo as reconstruções, o alvo das investigações são as viagens internacionais feitas por Lula da Silva e financiadas pela Odebrecht. Em contrapartida, o ex-Presidente ajudaria a construtora a conseguir contratos em África e na América Latina, numa altura (entre 2011 e 2014) em que Lula já não era chefe de Estado. O ex-Presidente entretanto já pediu a suspensão do inquérito, alegando que houve irregularidades na abertura do processo.

Lula e Passos Coelho
No início desta semana, em Portugal, a Procuradoria-Geral da República confirma ter recebido das autoridades brasileiras “um pedido de cooperação judiciária internacional”. As autoridades portuguesas vão investigar eventuais ligações em Portugal entre o ex-Presidente brasileiro e a construtora Odebrecht.

A imprensa brasileira avança que Lula da Silva terá pedido ao Primeiro Ministro Pedro Passos Coelho para dar atenção aos interesses da Odebrecht na privatização da Empresa Geral de Fomento (EGF), a sub-holding da Águas de Portugal. Em declarações públicas, Passos Coelho nega (como é óbvio) afirmando que Lula da Silva não tentou “meter nenhuma cunha” a favor da Odebrecht ou de outra empresa brasileira.

Entretanto, a Empresa Geral de Fomento já foi vendida a um consórcio formado por duas empresas, uma portuguesa (Mota Engil) e outra espanhola (Suma), que nada têm a ver com a Odebrecht. Mesmo assim, a Procuradoria Geral de Lisboa acrescenta que existem investigações em curso relacionadas com a Portugal Telecom e a Operação Lava Jato, que se encontram em segredo de justiça.

O Ministério Público quer apurar o envolvimento de ex-governantes, acionistas da PT e gestores no negócio de venda da participação da PT na Vivo à Telefónica, por 7,5 mil milhões de Euros, e posterior entrada da Portugal Telecom na brasileira Oi, negócios que foram realizados em 2010. Também quer saber mais acerca do cruzamento de posições acionistas com a Oi, no qual esteve envolvido José Dirceu, figura do Escândalo Mensalão e sob investigação no Lava Jato também.

A Procuradoria não revela o âmbito concreto da investigação, já que, como afirmado, a "carta rogatória encontra-se em segredo de justiça, pelo que o seu objecto e diligências realizadas ou a realizar não podem ser divulgados", mas, de acordo com o diário Público, suspeitas de benefícios financeiros, no valor de dezenas de milhões de Euros, concedidos a governantes, acionistas e quadros de topo das empresas poderão estar na origem das averiguações. 


...e há mais!

Na verdade, o que descrito até aqui é apenas quanto anunciado: um resumo. A Operação Lava Jato completa é bem mais complexa, articulada em 15 fases distintas e ainda em curso, com ramificações que alcançam vários níveis da sociedade civil e política brasileira (e, como vimos, em parte portuguesa).

O Partido dos Trabalhadores e boa parte da opinião pública estão convencidos de que a Operação está a apertar o cerco em torno do governo. "O próximo sou eu", terá desabafado Lula segundo a imprensa local.

Lula com o deficien... ehm, o Presidente
Mas ver esta acção da Justiça como um ataque contra o governo é ingénuo e redutor, além de que
vestir o papel de vítima não esclarece a intimidade existente e comprovada entre Lula da Silva, Dilma Rousseff e um dos nomes mais "importantes", aquele Marcelo Odebrecht actualmente preso.

Nos últimos anos, o ex-Presidente visitou a convite da Odebrecht vários Países, acompanhado por Alexandrino de Alencar, director de relações institucionais da Odebrecht e um dos detidos da 14ª etapa da Operação Lava Jato.

Marcelo Odebrecht foi recebido por cinco vezes desde 2011 por Dilma no Planalto, além de ter mantido uma reunião privada há menos de um mês com a Presidente durante uma visita oficial ao México.

Tudo isso só por si não significa rigorosamente nada: mas são posições que merecem ser esclarecidas, que os mesmos investigados deveriam ver definitivamente clarificadas para afastar todas as possíveis suspeitas. Não é por nada: mas aqui há só amigos que ou estão na prisão ou estão a ser investigados...

A não ser que o desejo seja uma Justiça com sentido único. Coisa que até aqui não aconteceu, porque se o governo chora, a oposição não ri. Os actuais dirigentes do PSDB e das outras forças contrárias ao governo têm mantido uma certa discrição porque as ligações daqueles poderosos empresários ultrapassam a esfera dos actuais ocupantes do Planalto: é toda uma classe política que está sob observação.

Se a detenção de Odebrecht pode constituir um rude golpe para o governo, também é certo que a Operação atinge toda a classe política. Tanto para fazer um exemplo, nas últimas eleições presidenciais Marcelo Odebrecht tinha anunciado publicamente apoiar Aécio Neves, do PSDB, e Otávio de Azevedo disse ter votado na independente Marina Silva. E observando a lista completa dos políticos envolvidos (actualizada até Março deste ano) pode-se encontrar de tudo um pouco: PT, PMDB, PP, PSDB, PSB, PTB e até um sem partido. Falta ninguém.

E Portugal? Daqui mal nenhum pode chegar contra Lula & C., cujos apoiantes podem ficar descansados. A Justiça local tem sido exímia em "afogar" qualquer "inconveniente" que pudesse criar problemas ao actual Primeiro Ministro. Alguém sabe algo do caso Tecnoforma? Dos fundos comunitários desviados? Nada, não é? Pois. Portanto, que Lula seja culpado ou inocente, nada de mau que possa envolver Passo Coelho será revelado.

Pelo menos até Setembro, mês das eleições legislativas.
Depois pode mudar o governo e... tudo ficará na mesma.


Ipse dixit.

Fontes: Expresso, Dinheiro Vivo, Governo de Portugal, O Globo, Wikipedia: numerosas páginas biográficas relativas às pessoas citadas no presente artigo.

28 comentários:

  1. Anónimo23.7.15

    Ja tem uma "corrente" querendo o impedimento da presidento/a/e (num sei).
    Ela, a presid... "ente/ento/anta", teria que ser a "primeira que fala e a ultima que apanha", pois se
    ela for a "primeira que apanha e a ultima que fala", servira apenas de anta expiatória. Não ha novidades alem do que todos ja sabiam em "off" da maracutaia que é esta latrina, ou seja , nas
    minhas contas 90% estão envolvidos, e o certo seria "pegar" de baixo para cima!
    Se pegar o pseudo-tubarão as sardinhas se safam. E as sardinhas tem mais carne que o tubarão.Acho que pegarão o tubarão expiatório e as sardinhas e até lambaris se safarão para
    a "cadeia alimentar" não perca seu sentido!

    ResponderEliminar
  2. Chaplin23.7.15

    O assunto envolve questões supra partidárias e políticas. Tratamos de corrupção, existente desde sempre, nas relações públicas-privadas, onde o Estado nacional é, e sempre foi, o elo essencial para propiciar monopólios mascarados, onde os mesmos grupos detém seus controles. E não é prerrogativa exclusiva de um país, mesmo que nas ex-colônias, esses processos sejam ainda mais intensificados. A lava-jato tem um único propósito. Derrubar a presidente atual, mudar o controle da Petrobrás e submete-la aos interesses das empresas petrolíferas sionistas, relativamente desprezadas no âmbito do pré-sal. A mídia oligárquica, respaldada pelas agências internacionais, faz o serviço de pautar o que mais é conveniente aos seus anunciantes, os mesmos grupos econômicos/financeiros que controlam os próprios Estados nacionais, através do controle da moeda, do câmbio, da propaganda e da informação privilegiada. O problema é o que não ficamos sabendo, e como dizia o fundador da Rede Globo, nos idos dos anos 80, "o que não publico não existe". Existe uma operação paralela, desenvolvida pelo Ministério Público e Polícia Federal, que trata de subornos sistematizados de conselheiros do órgão federal responsável pelo julgamento de recursos fiscais de grandes devedores. Chama-se Operação ZELOTES, e o valor sonegado é muito maior do que a lava-jato, mas está relacionada com grandes grupos econômicos, inclusive empresas de comunicação. Simplesmente é ignorada pela grande mídia, e portanto não existe... Se quiseres tenho um dossiê sobre o caso... Não há seriedade em qualquer abordagem que ignore tais questões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Chaplin,

      desculpe estar a ser muito directo e não estou de qualquer forma a provocalo ou a faltar-lhe a educação mas, você tem uma panca com os "sionistas" homem, tudo o que é texto seu a palavra não falha. Eles tem puder mas não são os donos nem os culpados de tudo.

      Cumprimentos :)

      Eliminar
    2. Sim não esqueça que quem controla a mídia brasileira são eles... FHC é um sionista... O PSDB não é de esquerda e sim de direita, e tb nantido por financiamento internacional... a intenção não é só combate a corrupção... É sim um golpe a o único partido que voltou-se ao social neste país, e teve "culhão" para bater de frente com os Sionistas dos EUA/ISRAEL...

      Eliminar
    3. Então: Chaplin tem material sobre um operação chamada Zelotes e nada diz?
      Realmente, mas em que mundo vivemos, já não há as estações como uma vez.

      informacaoincorrecta@gmail.com
      s.f.f.

      Pode escrever directamente algo e eu publico ou enviar o material e escrevo eu, à vontade.
      E, desde já, fica o obrigado!

      Abraçooooo!!!!

      Eliminar
  3. Anónimo24.7.15

    Os PeTralhas alimentaram bem a mafia : http://economia.ig.com.br/empresas/odebrecht-tem-maior-lucro-da-sua-historia/n1300083191481.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha um coxinha aqui também...

      Eliminar
  4. Anónimo24.7.15

    Relação promíscua entre empreiteiras e governo começou na ditadura militar:http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2014/11/24/relacao-promiscua-entre-empreiteiras-e-governo-comecou-na-ditadura-militar/

    Mas a meu ver o problema começou em 1500 com a chegada dos patricios !

    ResponderEliminar
  5. Anónimo24.7.15

    Eu ficaria imensamente feliz se os ladrões, tanto de PT como de PSDB, partissem desta para pior. Aos próximos candidatos à presidência as questões que têm que ser colocadas de forma contundente são:

    1- O sr(a). pretende realizar a auditoria da dívida pública brasileira?
    2- O sr(a). pretende manter a selic nos níveis impraticáveis em que se encontra?
    3- O sr(a). pretende prosseguir com esta patranha de superávit primário?
    4- O sr(a). pretende acabar com o financiamento privado de campanha?
    5- O sr(a). pretende manter esta política de juros insustentáveis no que se refere aos títulos públicos brasileiros?
    6- O sr(a). pretende o que em relação ao pré-sal?

    De todas as questões acima, a única que a mídia entreguista/sionista lançará seus holofotes será a de no. 6. Portanto, as pessoas esclarecidas é que terão que se articular para que tais questões não passem em branco.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo24.7.15

    Caro Max,

    Sendo leitor habitual do seu blog e reconhecendo-lhe, na maioria das vezes, uma postura isenta e informada, estranhei desta vez a tentativa de colagem da noticia da operação Lava Jato ao atual governo português, quando o único ponto de ligação conhecido é, como refere no seu post, uma alegada cunha que, como também refere, não surtiu efeito, uma vez que a Odebrecht não saiu vencedora no negócio em causa, fato que até abona a favor do primeiro ministro Passos Coelho. Existe mais alguma informação que lhe permita sustentar o seu ponto de vista?

    Deste modo, não tendo sustentado a ligação com fatos, achei descabida a ilustração do seu post com fotografias de Lula com Passos Coelho e Cavaco, ainda para mais desqualificando na legenda o presidente português com o epiteto de deficiente, o que não é bonito. Com todas as suas virtudes e defeitos, foi democraticamente eleito e merece algum respeito, tendo ainda a vantagem de não se lhe poder apontar qualquer caso de corrupção.

    Daquilo que tem vindo a lume e que o Max não aprofundou, o ponto de ligação fatual a Portugal é outro, e entronca com o consulado do governo PS e com as investigações ao ex-primeiro ministro José Sócrates, atualmente preso na cadeia de Évora por suspeitas de corrupção, designadamente as conexões da Odebrecht com o grupo Lena e os negócios da venda da Vivo pela PT à Telefónica e compra da Oi.

    Espero que o Max não leve a mal estas chamadas de atenção, mas estou mal habituado neste blog a encontrar opiniões bem fundamentadas e apoiadas em fatos, o que me levou a reagir a este post e dar a minha opinião, que espero tenha sido construtiva.

    Cumprimentos e parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo!

      Boa chamada de atenção, mesmo hoje estava a ler umas novidades acerca da Odebrecht e o governo Sócrates.

      Todavia, faço notar que o único que até agora decidiu expor-se publicamente foi Pedro Passos Coelho, com uma declaração amplamente divulgada pelos medias nacionais. Assim como referi que o negócio do Empresa Geral de Fomento acabou sem nenhuma vantagem para a empresa brasileira (coisa que poderia ter evitado se a intenção tivesse sido apenas desacreditar o actual governo).

      Realço também como, do meu ponto de vista, o facto de ter (ou não) havido "cunhas" (tanto para utilizar uma expressão do Primeiro Ministro) com este ou com o anterior governo não faz diferença nenhuma. Faz para quem ainda acredita que exista uma diversidade ideológica e prática entre os maiores partidos representados na Assembleia da República.

      Pessoalmente já ultrapassei a fase de "bons dum lado, maus do outro" e isso permite efectuar comparações livres de dogmas supostamente ligados às ideologias partidárias para concentrar-se na fórmula áurea acção-reacção ou, se preferirmos "medida-beneficiados".

      Atenção: isso não significa cair no popular "tanto são todos iguais", porque isso não é verdade. Significa entender (ou tentar entender) quais os reais interesses que ficam atrás das escolhas não das pessoas mas dos executivos, quais os interesses defendidos por parte de determinados partidos ou, como muitas vezes acontece, por parte dum grupo de partidos, não necessariamente próximos do ponto de vista ideológico.

      (continua)

      Eliminar
    2. (continua)

      Pode ficar descansado: este não é o blog dum socialista disfarçado. Aliás, acho que o futuro reservará uma coligação PS+PSD que continuará o projecto começado há 4 anos com resultados extremamente negativos para o País.

      A ilustração Lula-Coelho é retirada do diário Público: retrai um dos encontros que efectivamente aconteceram, não acho nada de descabido nisso, nem constitui um acto de acusação. É o mesmo governo de Portugal que reconhece ter havido uma série de encontros: representa um facto acontecido, não uma acusação, portanto encontrar algo de acusatório nesta imagem parece-me um pouco forçado.

      Quanto ao Presidente da República. Lamento, o facto de ter sido eleito por uma minoria dos Portugueses (ver dados publicados na altura) ou por parte duma maioria não altera de forma nenhuma a minha opinião acerca daquele que considero ter sido um péssimo Presidente (e o Primeiro Ministro que mais fez aumentar a Dívida Pública do País ao longo do seu mandato).

      O facto de ter sido eleito não significa automaticamente estar protegido das críticas: se assim fosse, nenhum representante da Assembleia (governo ou oposição) poderia ser criticado. Uma situação que tem muitos pontos de contacto com a censura típica dum qualquer regime totalitário.

      Continuarei a criticar duramente este presidente, porque é um meu direito (assim como é um seu direito criticar as minhas críticas) e porque o material é fornecido directamente pelo interessado: a tal propósito, aconselho ver as últimas delirantes declarações em ocasião do anúncio da data das eleições, com a "ameaça" de não viabilizar um governo de minoria. Uma posição esta que se põe acima das regras constitucionais e que bem pouca honra trazem para um presidente que deveria defender, primeiro entre todos, as regras constitucionais que regem este País (o mesmo que o elegeu).

      Por fim, o termo escolhido, "deficiente", não foi casual. Aconselho procurar na internet opiniões de especialistas (não de simples blogueiros como eu) acerca das reais condições mentais de Cavaco Silva. "Deficiente" (do Latim "deficere") é o termo usado para definir a ausência ou a disfunção de uma estrutura psíquica, fisiológica ou anatómica. Neste caso, o que está em falta é a estrutura psíquica, que falha devido à ataques daquela que alguns médicos individuam como "demência senil". Esta minha não é uma tentativa de defender-me: o primeiro adjectivo no qual tinha pensado era "infame", depois achei "deficiente" muito mais adapto consideradas as condições de saúde do sr. Cavaco Silva.

      "Espero que o Max não leve a mal estas chamadas de atenção, mas estou mal habituado neste blog a encontrar opiniões bem fundamentadas e apoiadas em fatos, o que me levou a reagir a este post e dar a minha opinião, que espero tenha sido construtiva".

      Não me passa pela cabeça levar a mal uma qualquer crítica quando esta for apresentada de forma educada e reflectida como é o seu caso. Não sou dono da verdade, não sou uma máquina, posso errar (e já errei). Pelo contrário, como costumo fazer nestas ocasiões: agradeço sinceramente a intervenção. :)

      Abraçooooo!!!!

      Eliminar
  7. Anónimo24.7.15

    Rapaz sempre visito este blog, achava que assuntos tratados aqui não ficassem apenas nas aparências. Existe cartel nas maiores obras do mundo? Claro. Grandes empresas financiam os políticos para depois cobrar a fatura? Claro. Grandes empresas em uma eleição financiam só a situação ou também a oposição? Todos. Pois(desculpem o xiste) Porque o Presidente Lula, reparem que eu disse presidente, porque Lula foi o maior presidente que o Brasil ja teve, duvidas? Pegue os dados estatísticos, é facil, quando se fala que 40 milhões ascenderam a classe média, parece até piada não, mas o Brasil graças ao governo que ai esta a 12 anos no poder pela primeira vez em 500 anos de descobrimento saiu do mapa da fome da ONU, tens ideia do tamanho do brasil e de suas terras agricultáveis? como haver fome? sugiro Casa grande e senzala de Gilberto Freyre, entendera o tipo de elite que nosso amado Brasil tem. Sugiro um novo post, qualquer ideia que você quiser ter sobre o Brasil, jamais se informe na imprensa oficial, mesmo sabendo que mídia em lugar nenhum é isenta no Brasil os jornalistas são piores que o patrão(MC). Gostaria também de te perguntar duas coisas. Como voce agiria em uma investigação de uma empresa, para recuperar R$ 2 bilhões sem que ela perdesse R$ 70 bilhões de valor de mercado?E voce acha que os pressupostos constitucionais de um paíse e os direitos individuais contidos nesta constituição devem ser relativizados para que se possa combater a corrupção?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo25.7.15

      Hahaha, informe-se no brasiu247, aquele que ganha do governo para falar benesses do mesmo, copiando psdbosta e se escudando que este já fez igual. Se a midia engana, imagina estes 7% restantes de alienados petralhas. Colquem os dois, pt e psdb num saco e joguem num rio, que agora pedem socorro do fernando henrique. Hipócratas corporativistas vadios, vão trabalhar se querem dinheiro. De esquerda vocês só twm a mão que rouba.

      Eliminar
    2. Rapaz,

      como expliquei de forma extremamente clara no começo do artigo, aquele que apresentei foi um resumo muito "resumido", bom sobretudo para os Leitores de Portugal, menos para os Leitores do Brasil. Sendo Você brasileiro, bem sabe quanto profunda seja a operação "Lava Jato".

      Dito isso, faço notar três coisas.

      A primeira é que já elogiei, neste mesmo blog, a obra do ex-Presidente Lula. Percebo que não terá vontade de procurar no meio dos mais de 3.000 artigos publicados até hoje, mas com certeza há Leitores de longa data que podem testemunhar isso.

      A segunda observação é mais séria. Cito parte do comentário:
      "Existe cartel nas maiores obras do mundo? Claro. Grandes empresas financiam os políticos para depois cobrar a fatura? Claro. Grandes empresas em uma eleição financiam só a situação ou também a oposição? Todos."

      Esta visão está infelizmente correcta, mas o que acho aterrador é a aceitação deste estado de coisas. Uma aceitação que é possível encontrar com facilidade também aqui em Portugal. Se aceitarmos que uma classe política receba subornos porque "sempre assim foi e sempre assim será", então acho melhor fechar o blog (e não só este) para dedicar-se a uma qualquer outra actividade mais divertida, porque aqui estamos só a desperdiçar tempo.

      A razão? Simples. Posso pegar na mesma linha de pensamento e afirmar: "As guerras sempre aconteceram, sempre acontecerão". O raciocínio é exactamente o mesmo. Mas aqui surge um problema: porque insultamos os americanos que semeiam guerras enquanto defendemos um político corrupto (e não falo de Lula, que é só investigado até agora) só pelo facto deste pertencer ao nosso partido? Não acha haver algo que destoa nisso?

      Se aceitarmos o seu raciocínio ("sempre houve, sempre haverá, são todos iguais"), gostaria de ler um seu comentário que defenda o imperialismo dos EUA. Trata-se de coerência, só isso.

      Terceiro e último ponto.
      Não sabemos se Lula seja ou não culpado. Admitimos que seja culpado, tanto para discutir. O que fez de bom antes justifica os erros seguintes? Pelo facto de ter apresentado uma grande obra (porque tal foi), Lula ganhou o direito de receber subornos para pôr "cunhas", aproveitando da sua visibilidade internacional? Acha mesmo isso?

      Não acha, pelo contrário, que uma atitude como esta possa deitar lama acima de quanto já feito, sujar a memória, fazer nascer dúvidas em quantos acreditaram na obra dele e se calhar queiram continua-la?

      Que direito tem Lula de sujar a sua obra e destruir assim o sonho de parte dos cidadãos, retirando-lhe a esperança também? Não acha que uma pessoa como Lula, pelo contrário, mesmo considerando os resultados obtidos, deveria preservar a integridade da imagem para que a sua mensagem possa não acabar com o termo do mandato, mas continuar na memória de todos e, sobretudo, para se tornar exemplo vivente do facto que uma maneira diferente é possível?

      Tudo isso, repito, sempre partindo da hipótese que Lula possa ser realmente culpado, hipótese até aqui não demonstrada (Lula é investigado, não foi julgado).

      (continua)

      Eliminar
    3. (continua)

      A imprensa oficial: tranquilo, não é que no resto do mundo as coisas estejam muito melhores. É por isso que tenho uma série de blogues brasileiro que consulto, muito mais do que os media locais. O meu favorecido é o blog de Nassif, o GGN, que acho você conhecer (não está no blogroll da coluna de direita só por causa duma questão técnica que cedo ou tarde tenciono resolver).

      Faço também notar que, como meu costume, publico sempre as fontes: nelas podemos encontrar os diários portugueses Expresso e Dinheiro Vivo (do Globo retirei apenas a lista dos políticos envolvidos até Março deste ano), que foram as principais das fontes. Isso pode dar-lhe a ideia de como funcione a imprensa fora do Brasil também. Mas a minha intenção não era fazer um processo, simplesmente sintetizar ao máximo os acontecimentos. Se a ideia tivesse sido tentar entender algo mais, as fontes não teriam sido as mesmas, porque sei (como a maior parte dos Leitores sabem) que dos medias oficiais o que podemos obter é a superficialidade e nem a mais isenta. Mas, repito, a ideia era passar uma síntese, nada mais.

      Quanto às perguntas: não entendi a primeira, juro. É claro que se fala da Petrobras, mas não entendi o sentido da pergunta, peço desculpa.

      A segunda: "você acha que os pressupostos constitucionais de um paíse e os direitos individuais contidos nesta constituição devem ser relativizados para que se possa combater a corrupção?". Boa pergunta. A minha primeira resposta seria "Não". Mas pode haver uma excepção.

      Explico. Se a corrupção for endémica, impedindo o regular funcionamento dum Estado e constituindo até uma grave ameaça para o País (os cidadãos), então pode haver a necessidade dum pacote de leis especiais. Foi o caso da Italia para combater o terrorismo. Todavia, devem existirem quatro condições:
      1. a adopção de leis especiais em determinados casos deve já ser prevista na Constituição
      2. as leis especiais só podem ser adoptadas nos moldes previstos pela Constituição para casos como estes.
      2. a adopção de leis especiais não pode ser decidida por um governo, pela oposição ou pelo Presidente mas, pelo menos, por dois terços do Parlamento (melhor ainda seria associar uma consulta popular, que nunca mal faz).
      3. estas leis devem ser aprovadas só e exclusivamente em casos de extrema necessidade e devem ter um prazo de validade bem definido.

      Ao faltar só uma destas condições, a minha resposta volta a ser "Não", porque no geral as condições que podem justificar uma "relativização" dos direitos individuais são realmente muito, mas mesmo muito raras. Não me parece que no Brasil a situação seja tão catastrófica ao ponto de necessitar de leis parcialmente "fora" da Constituição.

      Abraçoooooo!!!!

      Eliminar
    4. Anónimo25.7.15

      Depende do que ele chama relativização, uma vez que existem leis que simplesmente privilegiam foro especial só por ter sido eleito a um cargo, o que aumenta a impunidade e senso para a corrupção. Por outro lado ele pode se referir a como a investigação está sendo feita, quebrando sigilos, tirando direitos de privacidade, tem sido um dos argumentos estúpidos desta esquerdopatia que assola o país. Engraçado voce4 Max, ter que desenhar para este caboclo até letrado que o passado escravista não dá direito agora que Lula e os seus facam o que lhes dê na gana, é outro sintoma da esquedopatia brasileira, e motivo para muitos aqui serem taxados de coxinhas por simplesmente cobrarem coerência do Lula e seus sequazes. Mais grave queeste argumento vem de pessoas que estão em cargos aqui. Para piorar, a pergunta que você não entendeu e2 simples, ele quis dizer que não se pode por conta de uma investigação de 2 bilhões de corrupção fazer uma empresa perder 70 bilhões de seu valor, como se a Petrobrás fosse persequida e como se sta investigação fosse uma conspiração mundial contra o poder do petróleo no Brasil. Este argumento é incrível, pois o mundo nem precisa desta perseguição, bastou baixar o preço do petróleo e derrubou vários concorrentes. É como se ele dissesse que tal investigação não valesse pena porque são só 2 bilhões, contra tudo que a Petrobrás representa, por mim fecha a torneira e prende os corruptos, dane-se o lucro que sóinteressea a alguns, mas o PT sempre captalizou com este populismo, dizendo que agora faz mais porque tem a grana dos royalties, ou seja, interessado em votos apenas. Que o Lula fez alguma coisa, todos no Brasil fizeram, sempre houve muita miséria a serexplorada, mas é indignante como politoca é time de futebol no Brasil e o quanto isto ainda vai afundar o país nesta maldita polaridade que só interessa ao PMDB, que é o gaiato que realmente governa desde a morte do Tancredo Neves. Um país onde a esquerdopatia acha que vai bem, e se for um pobre que nunca roubou, este pode, se for do seu time, pode. Brasileiro de bem nem se importa mais com quem entrará, quer ver estes que lhe roubaram na cadeia, principalmente quem prometeu ser diferente.

      Eliminar
    5. Anónimo26.7.15

      Meu caro, desculpe mas sua visão é um conto de fadas no que se refere a atuação das corporações petrolíferas mundo afora. Elas são execráveis e assassinas até suas medulas, como também as megacorporações financeiras. Aliás, a maioria absoluta daquelas têm ligações com estas. Há uma gigantesca conexão no mundo corporativo e isto é o calvário do homem. Exemplo:

      http://outraspalavras.net/posts/a-rede-do-poder-corporativo-mundial/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=a-rede-do-poder-corporativo-mundial

      Há um vídeo muito interessante que deixa claro as grandes putarias das petroleiras. Hoje algumas delas operam com outro nome, mas a forma operacional é sempre a mesma, criminosa. Se quiser veja:

      https://www.youtube.com/watch?v=jQYK3ttfVaw

      Este é o primeiro de quatro vídeos. Só tem podridão, de cabo à rabo. Quem tem prisão de ventre pode se beneficiar com a visualização.

      E se ainda tiver espaço para mais nojeira, assista esta bucólica opereta que se passou em Pequim e de onde surge a ignomínia moral conhecida como HSBC.

      https://www.youtube.com/watch?v=H2qeWX2rTA8

      Gostaram tanto da bilheteria que andam refilmando, com pequenas adaptações no roteiro, até nossos dias. O enredo se encorpa com manipulações das taxas de câmbio, da libor, com o tráfico de armas e com a lavagem de dinheiro dos corruptos mundo afora. Este é o grande mundo corporativo que exige do ser humano vidas corporativas, atitudes corporativas, educação corporativa e brevemente sonhos corporativos. E o HSBC não está sozinho nesta. Serve apenas como boi de piranha.

      Sobre o Fla x Flu que se tornou esta tremenda imbecilidade que é a disputa, ou defesa, de PT e PSDB te digo: duas grandessíssimas bostas. Nenhum dos dois preza pelos interesses da nação. Nenhum dos dois trabalha pelo futuro do país. O objetivo é facilitar a sacanagem da banca internacional. Única e exclusivamente isto. 11 PIBs mundiais de papeis podres, é o que nos espreita.

      http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/41027/revelar+origem+da+divida+grega+provocaria+revolucao+financeira+mundial+diz+auditora.shtml

      Inté.

      Eliminar
    6. Anónimo26.7.15

      A única coisa que opinei sobre a indústria do petróleo é como o PT tenta usar estas mesmas evidências que você coloca para se posicionar como vítima. Claro que o país precisa ser defendido desta indústria, mas antes precisa se defender dos próprios irmãos ladrões. É muita grana, não importa quem entre ou domine estes meios, eles parecem impossíveis de não derrubar a todos através da corrupção. Mas quem ainda se mantém afastado disso, sonha com a utopia de que esta grana fosse utilizada para o bem da nação, nada mais que um sonho que destrói até aqueles que prometem não fazer igual aos anteriores. Mas isto SEMPRE foi óbvio. A questão é que uma nação ainda precisa confiar em alguém menos pior e hoje este menos pior é a operação Lavajato.

      Eliminar
    7. Anónimo26.7.15

      Ah, em tempo, obrigado pelas referências.

      Eliminar
    8. Anónimo26.7.15

      "A questão é que uma nação ainda precisa confiar em alguém menos pior e hoje este menos pior é a operação Lavajato.", que para ser considerada honesta deveria ir até as tripas da podridão que grassa na Petrobrás, e ela vem de longa data, passando inclusive pela mudança das regras de licitações ainda no governo FHC para chegar nos hoje idolatrados (por alguns) tempos ditatoriais.

      Eliminar
    9. Anónimo27.7.15

      Bom, é seu direito pensar assim, mesmo que o faça pensando em defender o PT. A aplicação da lei sempre é ruim quando é contra o time que torcemos, e já foi muito difícil conseguir investigar agora, imagine antes. Ao menos os empresários estão caindo, e eles sempre participaram diaso em todas as épocas. Ditadura? É um argumento no mínimo estranho.

      Eliminar
    10. Anónimo28.7.15

      Amigo, você se esquece que tem gente enfiada até o pescoço na lama querendo não apenas que a Dilma cante para subir e que carregue consigo o Temer. Esta gente já tem falado de nova eleição. Porque será? Nos livraremos de Lula/Dilma para colocar os vândalos do entreguismo Schumaker no poder. Sobre esta ótica de F1 nas privatizações/concessões prefiro os entreguistas Barrichelos do PT. Sim, porque tá mais do que evidente quem deseja e coloca as nações de joelhos para depois exigir que torrem suas riquezas a preço de banana aceitando papeis podres como pagamento. Isto é o que tem acontecido no Brasil e no mundo. A Grécia que o diga. Estão dando uma ajeitada nestes papeis (muito embora o montante seja gigantesco [11 PIBs mundiais segundo o BIS em 2011] jogando-os no colo das nações. O pior é que nossos algozes estão cada vez mais fortes com esta panaceia privateira vendida pela mídia. Diziam que países que aceitassem se livrar das estatais veriam prodígios quanto ao déficit público. Hoje, ao olharmos o nível de endividamento dos países, inclusive aqueles que fizeram conforme o tatcherismo pregou, fica evidente de que participamos de uma grande mutreta mundial, que serviu para carrear recursos para os bolsos de um minúsculo grupo de corporações. Além do que, no caso brasileiro e grego ao menos, tais privatizações têm servido para dar fim num bolinho daqueles papeis maravilhosos que ninguém quer. A verdade é que o PT, como também o PSDB, não vão colocar um ponto final nisso. E por favor, não me coloque neste Fla X Flu. Os sinais estão todos aí. Veja como têm surgido "ótimas" ideias sobra o pré-sal. Mais um bolinho daqueles papeis jeitosos pra dar uma forcinha na educação e na saúde do povo brasileiro.

      Anônimo benfiquista. (como sugerido por olissiponense mais abaixo)

      Eliminar
  8. Babeuf25.7.15

    E ninguém cita o monopólio do refinamento de petróleo no mundo...estranho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo26.7.15

      Babeuf, fale o que sabe. Dê sua contribuição. Gratos.

      Eliminar
    2. Babeuf27.7.15

      Resumindo. Desde o truste de John Rockfeller, com sua standart oil, o refino do petróleo no mundo sempre foi monopolizado por sua holding criada à partir da necessidade dos Estados Unidos demonstrar o quanto não admitia monopólios, ou seja, pura propaganda. Desde lá, formou-se o cartel Rockfeller, conhecido como as "irmãs", que, através de sucessivas fusões/incorporações se camuflam para continuar seu controle.

      Eliminar
  9. ...eu percebo que algumas pessoas ... sempre ou ás vezes... não queiram identificar os próprios comentários... só que... eu fico baralhado com as respostas e réplicas... nem que seja anonimo1...anonimo2...etc... aliás... quem não tem nome não devia ter o direito de falar... sabem dar bitates... em que nem acreditam... se acreditassem não se importavam de os explicar...

    ResponderEliminar
  10. imunizar criminalmente politicos... só porque uns ignorantes dizem que existe obra feita... (e até pode existir, é indiferente para o caso)... é de uma imbecilidade demolidora... é até dificil responder a afirmação tão bizarra... e é a posição preferida de qualquer ladrão (e/ou politico)... pois sim... roubei a empresa que me paga porque na semana passada saí mais tarde duas vezes... pois roubei como todos roubam... eu tenho obra feita e por isso posso roubar... parabéns aos imbecis que ilibam o sócrates... o Lula... o Cavaco...o Sarkozy... o Juan Carlos... o Berlusconi... etc... etc...
    Já agora... o Lula foi o melhor presidente de qual Brasil? Desde a fundação, ou nos ultimos 15 anos? Camarada, Deus só há 1, e não é o Lula!!!!! Voçe e mais alguns podem até pensar isso; eu, que vivo em altitude, e por isso mais próximo do Céu, onde habita Deus, garanto de Deus criou o Lula como como qualquer outro ser humano, bem cheinho de defeitos e pecados e irregularidades...Esse crescimento mágico do Brasil do tempo do Lula... não existe... existiu o crescimento possível... nas condições que existiam... inventar heróis é sinal de uma leitura fraquinha das realidades... graças a Deus... o Max não é desses... e trata dos assuntos com realismo... qualquer assunto... mesmo quando se estica um pouco relativamente aos américas do USA... mas também... quem não gosta de meter uma farpa nos americanos de vez em quando?

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...