12 novembro 2015

O Factor Rh: extraterrestre!

Parto do comentário do Anónimo (que agradeço pela ideia) para enfrentar rapidamente um assunto muito delicado:
sempre me intrigou as diferenças de tipo sanguíneo dos homens e, principalmente, porque existe o fator RH negativo (tá cheio de teorias conspiratórias sobre isso). É notório a prevalência do tipo A+ entre ou europeus (exceção dos bascos) e africanos (chega a ser cômico isso), do tipo B+ entre asiáticos e O+ entre indígenas americanos, tanto do norte quanto do sul. Talvez a explicação seja está viemos de espécies de hominídeos diferentes...
De facto o Factor Rh é uma proteína e distingue o sangue dos seres humanos. A grande maioria dos humanos neste planeta possui esta proteína, o que significa que seu factor sanguíneo é Rh Positivo. Mas num grupo minoritário, com Rh Negativo, a proteína falta.

Agora: quando o tipo de sangue é herdado de pais, sabe-se que este elemento é a característica mais consistente transmitida aos descendentes. Há muitas poucas aberrações: raramente muda.

Assim, como seria esta crucial diferença explicada cientificamente? E por que ela existe? Através dos anos, vários estudos científicos têm procurado a respostas. Uma explicação que circula no mundo da informação "alternativa" é que este Factor Rh Negativo (a falta da tal proteína) seria o resultado duma manipulação efectuada pelas alienígenas. E quem entre estes alienígenas tinha o poder de manipular geneticamente o Homem? Eles, claro: os Annunaki.

Mas foi isso que realmente aconteceu?
Informação Incorrecta pode finalmente pôr o ponto final nesta discussão: sim, foram os Annunaki. E esta não é uma teoria, mas um facto.

Eis a tradução integral duma tabuleta suméria, escrita na argila e encontrada no mercado do peixe aqui da praça, que pessoalmente traduzi:
Mesopotâmia, ano 31.256 a.C., Quinta-Feira, pouco depois do pequeno almoço.

Uma nave espacial Annunaki aterra pouco fora de Bagdade e por pouco não atropela um camelo.

- Raios de camelos, sempre entre os pés... olá Karimuz!
- Olá Quentotal! Então, feita uma boa viagem?
- Não dizer-me nada, um trânsito perto de Alpha Centauri...
- Ah, por via das obras.
- Pois, o novo túnel espaço-temporal. E tu, tudo bem?
- Sim, obrigado.
- Olha Karimuz, fui enviado pelo Chefe Supremo, Karimburi III, para saber a situação acerca da manipulação. Que fique entre nós, mas o ouro faz falta e muita até: nem imaginas todas as ourivesarias que fecharam nos últimos dois meses...
- Tranquilo Quentotal, o trabalho está feito.
- Sério?
- Sério. Queres ver? Tu, vens aqui!
- O que é isso?
- É o primeiro entre os manipulados geneticamente.
- Tão pequeno?
- Pequeno para nós que somos grandes, mas entre eles é normal.
- Olha, ficou de pé!
- Pois, fazem isso de vez em quando. Experimenta dar-lhe uma maçã.
- Olha, ficou de pé outra vez... e fala?
- Não propriamente: emite sons mas não são articulados, duvido que tenham um significado.
- Estou a ver...e diz-me: achas mesmo que este coiso vai resolver os problemas?
- Sem dúvida.
- Quero dizer: achas mesmo que estes coisos conseguem cavar nas minas e extrair o ouro?
- Sem dúvida. Olha as patas anteriores: vê as unhas?
- Não são lá grande coisa...
- Não, mas são bem durinhas e cada dedo tem a sua. E olha as patas posteriores. Vês? Bem mais musculadas, perfeitas para empurrar um carrinho cheio de metal.
- Será... e porque tão claro?
- Assim é mais simples controla-los na escuridão. Mas, no caso, temos alguns pretos também, outros castanhos...é só escolher.
- Parece-me bem. O cérebro não será demasiado pequeno?
- Não faz mal, afinal têm só que cavar e pouco mais.
- Justo. Mas não sei...
- O que te inquieta?
- Como é que fizeste?
- Retirei do sangue deles o Factor Rh.
- Do sangue?
- Precisamente.
- Olha, assim ficam Rh Negativos? Quero dizer, isso deixa vestígios? E se alguém entre a espécie dele começasse a suspeitar?
- Estás a brincar? São demasiado atrasados, seriam precisos milénios de evolução!
- Ok, ok...então posso espalhar a boa notícia? Quando é que estarão prontos?
- Sem dúvida, comunica. Os primeiros começam amanhã depois do almoço.
- Perfeito. Ah, uma última coisa: como é que se chamam estes bichos com o Factor Rh Negativos?
- "Coelhos".
Esta é uma prova espantosa: os Annunaki não retiraram a proteína Rh apenas do sangue humano mas daquele dos coelhos também! E dos gatos. E dos cães. E dos cavalos. E das vacas. Pelos vistos, tencionavam utilizar toda a fauna do planeta nas minas de ouro. Ou isso ou eram dementes: o Factor Rh (seja ele Positivo ou Negativo) está presente em todas as espécies animais.

Um caso muito interessante parece ser aquele do cão, pois este tem bem 13 grupos sanguíneos: DEA 1.1, DEA 1.2, DEA 3, DEA 4, DEA 5... Um cão com sangue DEA 1.1 Positivo (DEA 1.1 +) não poderá receber sangue dum cão DEA 1.1 Negativo (DEA 1.1 -).

Mas atenção: 40% dos cães têm Factor Rh Negativo!!! Não será o caso de indagar? Qual significado obscuro esconde esta anomalia? Qual foi o verdadeiro relacionamento entre cães e alienígenas?

Uma dúvida importante e sem resposta é: para que serve este Factor Rh? A sua função (repetimos: em todos os animais, não apenas no Homem) é desconhecida. Mas tranquilos: logo que encontrar uma outra tabuleta suméria vou traduzir e solucionar também esta dúvida.


Ipse dixit.

18 comentários:

  1. Bom ponto de vista,

    ...lOl...

    ResponderEliminar
  2. Caro Max, exagerasse na dose do vinho no jantar de hoje ? Ou será porque amanhã é sexta feira 13 ?
    Aliás é um bom assunto: porque a cisma com esta data.
    Abraço e parabéns ( ah, desculpe....sem elogios).

    ResponderEliminar
  3. A diferença não é no sangue, mas sim nas bactérias do intestino, que determinam os doshas (medicina Ayurvedica), ai temos e 3 grandes grupos , meros caprichos da natureza.

    ResponderEliminar
  4. Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias foram os Vogons que retiraram a proteína do fator Rh do sangue humano porque é ingrediente fundamental para fazer concreto poliflutuante para construção da via hiperespacial. Isso é um fato!

    ResponderEliminar
  5. lol: Max, já pensaste em dedicar-te á comédia interplanetária? È que tens mesmo jeito para a coisa.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo13.11.15

    Ele tem jeito prá coisa!

    ResponderEliminar
  7. Ridicularizas os que acreditam em teorias conspiratorias e anunakis e depois enveredas pelo mundo da comedia alternativa... boa!!! E o que se segue? vais começar a lançar as cartas do tarot aqui no blog ? Se não das valor as teorias dos ETs & C.ª porque lhe dedicas tanto tempo? Isso é algum ódio de estimação?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá P. Lopes!

      "Se não das valor as teorias dos ETs & C.ª..."
      Eu disse isso? Conseguem encontrar isso no blog?

      "...porque lhe dedicas tanto tempo?"
      Talvez porque acredito no assunto. Só que há maneira e maneiras de tratar as questões.

      Exemplo: o que é a trovoada?
      - Um fenómeno atmosférico
      - Deus que comeu demasiados feijões
      - Um sinal vindo de outra galáxia.

      Uma questão, três maneiras de aborda-la. Eu não sei ao certo qual das respostas estiver correcta: mas, dado que tenho uma opinião e acredito em determinadas coisas, escolho uma delas e recuso as outras.

      Quando o assunto for UFO & C.ª, o raciocínio é o mesmo. P. Lopes acredita nos Annunakis (é só um exemplo)? Muito bem. Eu não, acho a questão ridícula. E tenho pena, do meu ponto de vista, que um assunto importante (os UFOs, não os Annunakis...) seja tratado de forma tão infantil. Tenho pena que haja pessoas que ganham dinheiro difundido idiotices como esta (neste caso: os Annunakis).

      É também por esta razão que, ainda hoje, após décadas (mas seria melhor dizer séculos) de existência, o fenómeno UFO é ridicularizado nos media. Mesmo aqui no blog há pessoas que não se interessam no assunto: por falta de informação, porque estas são coisas "que não existem", porque são coisas de visionários, etc.

      Sempre, desde o início, trabalhei para que o assunto UFOs seja tratado de forma séria, com o único instrumento que temos: a lógica baseada em provas. Ao abandonar isso, entramos no mundo da especulação pura, onde vale tudo, sem limites. É o universo onde a trovoada é Deus que comeu demasiados feijões.

      Podemos aceitar que assim seja. Mas depois que ninguém se queixe se o assunto UFOs continua a ser ridicularizado pelos media.

      Abraçooo!!!

      Eliminar
    2. Ok então trabalhas para que o assunto UFO seja tratado de uma forma seria e depois escreves novelas com ETs e as suas ourivesarias? E depois perguntas onde no blog é que eu encontro que não das valor as teorias dos ETs & C.ª ? Aprecio o bom humor ...mas misturar demasiado bom humor com assunto sérios deixa-me confuso...confuso sobre as intenções de quem escreve. Ok mas o blog é teu e só le quem quer...Amen!

      Eliminar
    3. Anónimo14.11.15

      P. Lopes.
      Eu tenho impressão que foi o único maluquinho que até agora e sem esconder a identidade descreveu dois episódios...mas à mais que presenciei e "senti".
      Se o Max acreditou ou não ou a maioria dos leitores aqui acreditam ou não é outra coisa.
      Isto é como dizia o tal de São Tomé: ver, presenciar ou "sentir"/ver para acreditar.
      E vou ser muito sincero eu tenho uma forma de pensar igual.
      É um assunto complicado porque conseguiram transformar o que chegou quase uma ciência numa pseudo ciência cheia de charlatães ou uma espécie de religião.
      Isto na minha modesta opinião é algo que escapa ao controlo e a sociedade baseia-se nisso. E provas? Se calhar vi mas vou ser hipócrita senão passo por aquilo que não sou ou ninguém me leva a sério e calo-me, claro.


      Abraço
      Nuno

      Eliminar
  8. Chaplin13.11.15

    Tai um assunto palpitante e raramente abordado. Filologia! Ou seja, toda riqueza perdida e proveniente das tradições orais. A atual linguística, ciência relativamente recente, despreza essas fontes baseando-se exclusivamente nos escritos. Ora, inexiste qualquer possibilidade de acharmos os elos entre ambos. Aproveitando-se dessa condição, a propaganda editada pelos dominantes aos longo do tempo se encarregou de transformar sua versão histórica em axioma temporal. Quais são as principais fontes da civilização nos últimos 2000 anos? Torá original em hebraico ou adaptado (velho testamento) em latim para o cristianismo, o Talmude, ou o novo testamento cristão, o I Ching na Ásia, adaptado por último por Confúcio e seguido por budistas mundo afora, assim como o livro mór do Islã. TODOS "TABULETAS" QUE POSSIBILITAM INTERPRETAÇÕES MÚLTIPLAS SOBRE NOSSA EXISTÊNCIA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser a segunda vez que estou totalmente de acordo com Chaplin!
      Vou marcar a data no calendário lolololololol

      Proximamente, neste mesmo canal: Filologia! Da qual nada sei :(
      Ok, terei que aprender algo, não é? O assunto merece.

      Obrigado e abraçoooooooo!!!!!!

      Eliminar
  9. Anónimo14.11.15

    O aparente deboche e descaso do autor esconde um certo reducionismo, senão vejamos:
    1. o fator RH se trata de uma molécula presente no macaco Rhesus, portanto diferente da situação de outros animais como, por exemplo, o cachorro que tem o fator DEA (uma espécie de cachorro: CACHORRO, CANINOS, entendeu?), não se pode comparar os dois casos;
    2. Quem tem o fator RH negativo não pode "descende" deste macaco Rhsus;
    3. Não se explica por que os bascos, europeus orientais e judeus tem maior incidência de fator RH negativo;
    4. Nem por que pessoas "importantes", celebridades, ricos e com poder político tem maior incidência deste fator.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, já que entendeu (não sem esforço, acho eu) a diferença entre caninos e humanos, tente empenhar-se um pouco mais e descubra o que é o Factor DEA, definido Q nos equinos (dica: "equinos" significa "dos cavalos").

      Será um antigene proteico presente nos eritrócitos (significa "glóbulo vermelho") tal como o Rh humano? Mah, quem sabe?

      "Não se explica por que os bascos, europeus orientais e judeus tem maior incidência de fator RH negativo"

      Porque os Sardos (dica: da Sardegna, ilha do Mediterrâneo que fica entre Europa e África) sofrem de Talassemia (uma alteração na redução da hemoglobina e dos eritrócitos), enquanto os restantes povos da Italia (País da Europa, do qual a Sardegna é parte) não? Será que isso tem a ver com algo chamado "genética" e com a difusão de alterações em grupos que ocupam determinadas áreas geográficas? Mah, é um mistério...

      "Quem tem o fator RH negativo não pode "descende" deste macaco Rhsus"

      Porque o Anónimo fala de coisas que não entende? Mas acha mesmo que o ser humano descende do macaco rhesus que nem pertence à nossa família (o Macaco Rhesus é uma Cercopithecidae, subfamília Macaca, enquanto o Homem é da família Hominidae, subfamília Homininae)???

      Além disso, a divisão entre Factor Rh Positivo e Negativo já foi amplamente ultrapassada: a proteína Rh é apenas 1 entre os 40 antígenes que pertencem ao mesmo sistema, todos presentes no sangue dos seres humanos.

      Claro, podemos também supor a existência de 40 manipulações genéticas efectuadas por 40 espécies alienígenas diferentes...

      Às melhoras.

      Abraço.

      Eliminar
  10. Anónimo14.11.15

    O meu é O-
    Sou esp_a_cial de corrida. :-)))))

    N

    ResponderEliminar
  11. Anónimo16.11.15

    O fator Rh é usado somente para designar tipos sangüíneos exclusivos da espécie humana. Os animais, assim como o homem - que possui diversos grupos sangüíneos, não apenas A, B e O -, têm uma enorme variedade de tipos de sangue, podendo chegar a várias dezenas. Portanto, o grupo sangüíneo designado em uma outra espécie também como A, B ou O não é exatamente igual ao do ser humano. Isso porque essa denominação, na realidade, corresponde apenas a uma nomenclatura. As transfusões de sangue entre animais de uma mesma espécie podem ser realizadas. No entanto, isso quase não acontece porque há poucos bancos de sangue especializados em animais. Somente os bichos de estimação e de convívio direto com o homem, como cães e gatos, podem desfrutar desse privilégio. As transfusões de sangue entre animais de espécies diferentes são bastante arriscadas, embora elas fossem muito freqüentes em outros tempos. Antigamente, era comum o uso de sangue animal em transfusões para seres humanos. Essa prática, porém, foi interrompida quando se comprovou que o sangue humano, misturado ao de outro animal, coagulava, causando a morte do paciente.
    fonte: http://galileu.globo.com/edic/89/sem_duvida1.htm

    ResponderEliminar
  12. Anónimo24.11.15

    Blog interessante, a autora defende a tese que RH negativos descendem de antigos neandertais europeus,

    http://rhnegativebloodsecrets.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  13. Nao acredita em ET mas acredita em deus no menino Jesus, em Adão e Eva, que foi deus que criou o mundo. que Jesus morreu e ao terceiro dia ressuscitou, tambem deve acreditar no coelhinho da Pascoa e no Pai Natal. Mas o mais interessante é que ao menos podia por o animal onde foi encontrado que foi no macaco Reshus é dai que vem o RH. Ao menos podia fazer piada mas contar as coisas como elas são.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...