28 fevereiro 2015

Isis e História: a Idade do Gesso

Sábado, dia da Cultura!
Então, já viram o vídeo? Eis como o pseudo-Califado trata a Cultura:


Os fanáticos do Isis atacaram o museu de Mosul e destruíram achados de valor inestimável, arte com 9.000 anos de idade. Desta vez não com facas mas com martelos, apesar do resultado ser o mesmo: há sempre uma vítima e desta vez é a Cultura.

Estas imagens deram volta ao Mundo, semeando o horror: já não há palavras.

27 fevereiro 2015

Messenger, a App que faz o que lhe apetecer

O Leitor tem um smartphone?
Gosta de Facebook então decidiu instalar a aplicação Messenger?
Muito bem. Então faça um favor a si mesmo: desinstale-a.

Não? Gosta e quer ficar com ela? Ok, tudo bem. Mas sabe quais autorizações concedeu na altura da instalação?

Se calhar vale a pena lembra-las, pois o Leitor autorizou a aplicação Messenger a:
  • gravar o áudio com o microphone do Seu smartphone em qualquer altura e sem pedir a Sua autorização. 
  • tirar fotografias ou gravar vídeo em qualquer altura sem pedir a Sua autorização.
  • ler e modificar todos Seus contactos
  • efectuar chamadas telefónicas
  • determinar qual a Sua posição geográfica
  • controlar as chamadas efectuadas (número ligado, ID dos dispositivos, etc.)
  • ler e modificar o registo das chamadas efectuadas e recebidas
  • efectuar o download de dados de internet
  • recuperar informações acerca das aplicações utilizadas

Portugal: presos 7 alegados membros de Anonymous

O fundador do site Tugaleaks foi preso ontem com outras seis pessoas suspeitas de pertencer ao
grupo Anonymous de Portugal.

"Suspeitas"? Melhor: já condenadas.
Eis o título do Correio da Manhã:
Judiciária apanha piratas da net Responsáveis por ataques informáticos detidos em megaoperação.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/pj_desmascara_piratas_da_net.html
Judiciária apanha piratas da net. Responsáveis por ataques informáticos detidos em megaoperação.
O processo? Um desperdício: o diário mais lido no País já emitiu a sentença.
A única coisa que pode sobrar é espreitar as acusações, assim, só como curiosidade.
Vamos vê-las.

26 fevereiro 2015

O Grande Roubo dos Cartões SIM

Cada telemóvel ou smartphone tem no seu interior um cartão Subscriber Identity Module, "Módulo
de Identificação do Assinante", mais conhecido como cartão SIM.

O que interessa isso? Interessa, interessa...

É que os últimos documentos fornecidos por Edward Snowden e Gleen Greenwald mostram uma das acções mais graves implementadas pela Agência de Segurança Nacional, a NSA: a violação do cartão SIM dos telefones móveis.

Entrando na infra-estrutura de segurança da Gemalto, a multinacional holandesa que produz os pequenos chips inseridos nos cartões dos telefones celulares e cartões de crédito de última geração, os agentes do espionagem americanos e britânicos têm garantido o acesso a dados e informações vitais, incluindo telefonemas, mensagens e endereços de milhões, talvez biliões de pessoas.

SpyCables e a atómica iraniana

Ainda pouco sabemos de SpyCables, mas a coisa promete ser interessante.

Há provavelmente muito mais nos documentos obtidos pelo The Guardian e Al Jazeera: CIA, MI6, os russos do FSB, os serviços iranianos, os sul-africanos da SSA. Tudo num período entre 2006 e 2014.

O director de Al Jazeera:
Em muitos casos, escondem-se atrás do véu do segredo quando não é necessário
E os documentos que serão publicados prometem demonstrar isso mesmo.
Um exemplo?

25 fevereiro 2015

Malcolm X: um homem muito a frente

No dia 21 de Fevereiro de 1965 morria Malcolm X.

Reza Wikipedia versão portuguesa:
Al Hajj Malik Al-Shabazz, mais conhecido como Malcolm X [...] foi um dos maiores defensores do Nacionalismo Negro nos Estados Unidos
Extraordinária a capacidade que os modernos media têm de deturpar os factos, rotula-los e reduzi-lo a umas insignificantes quanto erradas notas. Malcolm X foi principalmente um activista para os direitos do Homem. Não branco ou negro: só Homem.

O problema é que o pensamento dele encontrava-se a frente do seu tempo.

Malcolm X começou mal, muito mal. Em juventude teve problemas por causa das actividades ilegais (venda de droga, prostituição, jogo, roubo), até for preso. Paradoxalmente, foi esta a sua salvação: o irmão Reginald enviou-lhe material acerca da Nation of Islam (NOI). Esta era uma seita segundo a qual a maior parte dos africanos eram muçulmanos antes de serem capturados e vendidos como escravos: portanto, todos os negros deveriam re-converter-se ao Islam.

Wesley a toupeira

Lembram-se do General Wesley Clark?

Em Junho de 1999, este génio quase provocou a III Guerra Mundial ordenando aos Britânicos para disparar contra as forças de paz russas desembarcadas antes dos Americanos na capital do Kosovo, Pristina. Para boa sorte, o comandante britânico da força de paz, o General Sir Mike Jackson, teve a coragem de responder: "Não vou começar a Terceira Guerra Mundial para você".

Wesley Clark é o típico produto do exército dos EUA: West Point, uma licenciatura em Ciência Militares, 34 anos ao serviço do Departamento da Defesa, decorações e Medalha Presidencial da Liberdade. Fosse também inteligente seria quase perfeito. Mas não é possível ter tudo.

Global Research lembra de quando numa entrevista com a jornalista Amy Goodman, em 2007, revelou que um dos generais mais importantes do Pentágono lhe tinha mostrado uma nota do então secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, não muito tempo depois do ataque de 11 de Setembro.

New Model Army: Angry Planet Legendado

Do novo álbum dos New Model Army.
Gostei e adicionei as legendas.

(Para ver as legendas, carregar em Legendas/CC em baixo à direita!).


Nascido em 1980 em Bradford, Reino Unido, New Model Army (NMA) é um grupo que originalmente fazia parte do movimento pós-punk, passando depois para a corrente alternativa do rock.

Em 1985 o Departamento de Imigração impediu que o grupo actuasse no território dos EUA, afirmando que o grupo não tinha "méritos artísticos". O mesmo voltou a acontecer em 2007, depois da saída álbum High.

O último trabalho, ao qual pertence Angry World, é de Setembro de 2014 e tem o nome de Between Wine And Blood.


Ipse dixit.

24 fevereiro 2015

NSA: o software-espião no disco rígido

A Agência de Segurança Nacional (a NSA, agência dos Estados Unidos responsável pelo acompanhamento e análise de informação a nível mundial) conseguiu encontrar uma maneira de esconder software-espião nos níveis mais profundos dos discos rígidos.

O que lhe permite monitorizar e potencialmente espreitar a maior parte dos computadores no mundo, mesmo quando estes não estiverem conectados à rede Internet.

A fonte desta notícia? A produtora de software de segurança Kaspersky Lab, que afirma ter descoberto computadores com um ou mais desses programas-espiões em 30 Países diferentes. De acordo com a Kaspersky, a NSA teria começado a infectar computadores desde o ano de 2001, mas os seus esforços teriam aumentado a partir de 2008, ano da eleição do presidente Obama.

23 fevereiro 2015

A receita original do Pesto Genovês

Hoje é Segunda e, como reza a Torah, "Não é semana se da cozinha não sai uma banana".
Esquisito? Pois, mas não se esqueçam que na Torah a cabala é importante.
Pelo que: culinária!

Há alguns tempos circula pelo mundo fora a moda do "pesto".
Nos programas de culinária (coisa que não falta), os chefes pegam em algo de verde, misturam com outras coisas, partem tudo em pedacinhos e eis que sorridentes anunciam ter criado o Pesto.

Informação Incorrecta diz "Basta!" perante esta vergonha: uma Humanidade que não sabe distinguir um Pesto original duma lama esverdeada não merece salvação. Eis, portanto, o blog empenhado na gravosa tarefa de restabelecer ordem e justiça, para que a paz nas cozinhas possa reinar soberana.
Eis a verdadeira receita do Pesto, escrita por um Genovês 100% (eu!).
E que raio...

SITE: a fábrica dos vídeos

Donde chega a maioria dos vídeos do Estado Islâmico?
Donde chega a maioria dos vídeos dos Jihadistas?
Qual o grau de confiança que estes vídeos têm?

Aqui, intenção não é pôr em causa a brutalidade e o fanatismo do ISIS. Isso está fora de questão.

Mas temos a certeza de que tudo o que nós apresentado seja verdade?
Por exemplo: se descobrirmos que, na prática, todos os vídeos mais marcantes têm uma única fonte? E que esta fonte nem é muçulmana mas é declaradamente sionista e anti-muçulmana? Mudaria alguma coisa?
Talvez sim.

22 fevereiro 2015

Glezos: "Peço desculpa"

E fechamos este fim de semana dedicado à Grécia com as palavras de Manolis Glezos, o guerrilheiro
que em '41 retirou a bandeira nazista do Parthenon, começando assim a revoltar-se contra Hitler.
Diz Glezos:
Um erro o acordo com Eurogrupo, temos que reagir, não pode haver compromissos com aqueles que nos oprimem.
Palavras claras e directas, com um só destinatário: Alexis Tsipras, o líder de Syriza que traiu o povo grego. A mesma Syriza da qual Glezos era o ícone até hoje.
O acordo com o Eurogrupo é uma vergonha, tínhamos feito promessas e não as mantivemos: temos que pedir desculpa ao povo grego. Temos que reagir e imediatamente. E entre liberdade e opressão, eu escolho a liberdade.

21 fevereiro 2015

Grécia: festa grande! (com update)

O novo avança? Pior: não pára, nem para almoçar. E os resultados estão à vista.

No psico-drama Grécia vs. União Europeia, Syriza, esta força de Esquerda (e radical!), ganhou tudo e mais alguma coisa, obrigando Bruxelas a dobrar-se. Para ceder? Não, provavelmente para recolher mais uns trocos caídos do bolso dos Gregos.

Mas vamos ver qual o desfecho da dura batalha e, sobretudo, vamos listar as vitórias de Atenas.

O risco, lembramos, era grande: Syriza tinha sido muito clara durante a campanha eleitoral, tinha chegado a altura de dizer "Basta" ao Euro. Não admira, portanto, a maratona diplomática para tentar ficar no Euro. Porque a coerência é tudo na vida.
Mas valeu.

Primeiro ponto: Atenas obrigou a União a retirar da Grécia a Troika (UE, BCE e FMI) para supervisionar as políticas do governo. Será substituída por uma nova instituição formada por UE, BCE e FMI que, todavia, não poderá ser chamada Troika. A mudança é evidente: Syriza poderá agora apresentar aos seus eleitores o primeiro sucesso, o desaparecimento da odiada Troika. Festa grande em Atenas, finalmente livres de receber ordens das mesmas instituições (mas com nome diferente).

20 fevereiro 2015

Gordon Walton: A Teoria das Seis Ilusões - Parte II

Professor, por enquanto vimos as primeiras Três Ilusões que fazem parte da sua teoria: a Ilusão da Lei, da Ordem e da Autoridade, a Ilusão da Prosperidade e a Ilusão da Liberdade. Mas há mais...
Sim, há. Na Idade Escura havia pelo menos outras três Ilusões que marcavam o ritmo da vida, seja das pessoas como indivíduos sejam como sociedade. Além das três que já citou, havia também a Ilusão da Verdade.

Ilusão da Verdade?
Sim, sem dúvida. Veja, o ser humano é programado para acreditar em algumas "verdades", que podem ser dispensadas por entidades divinas, por meio de profetas por exemplo, ou por organismos superiores, acima de qualquer suspeita. Como os órgãos de comunicação conceituados, por exemplo.

Está a dizer que um diário pode substituir um Deus na "revelação da verdade"?
Com certeza. Quando uma religião ou não existe ou perde o papel de detentora da Verdade, cria-se um vazio que deve ser ocupado por outra entidade. Na Idade Escura o distanciamento entre a vertente espiritual e aquela pragmática tinha atingido o auge, pelo que foi uma passagem normal assistir aos mass media quais veículos para espalhar a "verdade".

Al-Qaeda: a fonte Wahhabista

Zacarias Moussaui
Pepe Escobar é um dos melhores jornalistas em circulação: nunca banal, sempre atento, acumulou experiência e conhecimentos. E se um artigo dele fala de terrorismo, vale a pena prestar atenção. Sobretudo se o foco estiver na origem do terrorismo.

Nas páginas online de Sputnik, Escobar pega nas revelações de Zacarias Moussaui, condenado à prisão perpétua nos Estados Unidos, e nas mais de 100 páginas do seu depoimento perante um tribunal federal de New York. Moussaui fala de terrorismo, fala dos financiamentos, do franchising Al-Qaeda, da Casa de Saud.

Não é toda a verdade: estas revelações saem num momento particular e têm uma função. Mas é uma parte considerável da verdade e não é difícil ir além do dito para entender o não-dito. Aliás: é muito, muito simples.

Segundo Moussaui, entre os financiadores mais importantes de Al-Qaeda antes do 11 de Setembro de 2001 encontramos nada menos que o ex-chefe de intelligence saudita, o príncipe Turki al-Faisal (por acaso, grande amigo de Osama bin Laden), o ex-embaixador nos EUA príncipe Bandar bin Sultan, também conhecido como Bandar Bush por via das amizades e um querido amigo dos mercados ocidentais (e de Rupert Murdoch), o príncipe al-Waleed bin Talal; mais todos os maiores clérigos Wahhabis da Arábia Saudita.

18 fevereiro 2015

Gordon Walton: A Teoria das Seis Ilusões - Parte I

Professor Walton, você dedicou o seu último trabalho a um período obscuro da nossa História, a assim chamada Idade Escura. De que se trata?
É verdade, o "A Segunda Idade das Trevas" é dedicado inteiramente a este período histórico que podemos indicar como as décadas que vão desde a Primeira Guerra Mundial até as Grandes Revoluções após a Terceira. Uma época conturbada, feroz, de grandes desigualdades. Mas, sobretudo, uma época em que foi tentada uma operação nunca vista antes: a homologação planetária.

Como foi possível isso?
É difícil resumir isso em poucas palavras: o processo tinha começado pouco séculos antes, com a descrição daquele que depois foi conhecido como Capitalismo. Um sistema perverso, baseado em leis não-naturais, mas que conseguiu proporcionar um novo bem estar e a ilusão de progresso ao longo dos primeiros tempos.

E depois?
Depois, como sempre acontece, o sistema esgotou-se. Este "esgotar-se" do Capitalismo foi bastante rápido até, mesmo por ser algo tão afastado da Natureza. E aqui aconteceu algo extraordinário.

17 fevereiro 2015

Quem atrás de Gladio?

Muitas vezes, quando se fala de anos de terrorismo em Italia (e na Europa no geral), fala-se de Gládio qual meio que a CIA utilizou para perpetrar atentados e culpar os extremistas de Esquerda.

Encontrei muitas vezes esta afirmação em site não-italianos mas nunca dei-me o trabalho de corrigi-la porque o discurso não pode ser liquidado em poucas linhas.

"Corrigi-la"seria necessário, pois fechando o discurso com a palavra "Gládio" arriscamos não entender quem estava (e provavelmente ainda está) no topo duma organização muito mais complexa daquela apresentada como responsável. Até a equação Gládio = CIA arrisca ser demasiado limitada.

Começamos com o entender o que era Gládio e quais os fins dela.

A organização Gládio era paramilitar e clandestina, do tipo stay behind (literalmente: "ficar atrás"), lançada pela Nato e organizada pela CIA para combater uma eventual invasão da Europa Ocidental por parte dos Países do Pacto de Varsóvia. Nunca poderia ter sido um exército, mas poderia ter actuado com sabotagem, guerra psicológica e guerrilha atrás das linhas inimigas, em cooperação com os serviços secretos.

16 fevereiro 2015

A profecia de Khadafi

Dia 7 de Março de 2011, uma das últimas entrevistas de Khadafi.
O que está a acontecer?
Todos já ouviram falar da Al-Qaeda no Magrebe Islâmico. Na Líbia, havia células adormecidas. Quando explodiu a confusão na Tunísia e no Egipto, foi decidido tirar proveito da situação e Al-Qaeda emitiu instruções para as células adormecidas, ao fim de voltar para a superfície. Os membros dessas células atacaram quartéis e esquadras da polícia, pegaram as armas. É o que sucedeu em Benghazi e Al-Baida, onde houve luta. Houve mortes de ambos os lados. Pegaram nas armas, aterrorizam o povo de Benghazi que hoje não pode sair de casa e está com medo.

Donde chegam essas células da Al-Qaeda?
Os líderes são provenientes do Iraque, Afeganistão ou da Argélia. E da prisão de Guantánamo.

Black Ops

Antigamente, o Huffington Post era um site bonito e interessante.

Depois foi adquirido pela Google e agora podemos saber de como Miley Cyrus decidiu participar num festival de pornografia ou qual o melhor hambúrguer dos Estados Unidos segundo um painel de chefes.
Prioridades.

Todavia, de forma esporádica, alguns artigos normais ainda aparecem. São raras pérolas, provavelmente fruto da distracção de redacção. É o caso de The Golden Age of Black Ops, trabalho de Nick Turse.

O assunto é  extremamente interessante: as Black Ops (Black Operations) são operações clandestinas que podem ficar no limite da legalidade segundo as leis internacionais; mas, na maior parte dos casos, são operações explicitamente ilegais, perpetradas por um governo com o auxílio de corpos especiais ou de empresas privadas.

No caso dos Estados Unidos, o termo Black Ops logo faz pensar na CIA por óbvias razões.
No ano de 2007, a Central Intelligence Agency desclassificou uma série de documentos que faziam luz sobre as Black Ops da organização entre os anos '50 e '70: apenas a ponta do icebergue, mas suficiente para ter uma ideia.

Comparação

Eu acho que ninguém pode seriamente defender o regime da Coreia do Norte, a não ser um irremediável nostálgico dos antigos regimes pséudo-comunistas. Por isso, uma comparação torna-se ainda mais interessante, não acham?
Criticável mas interessante.


Ipse dixit.

15 fevereiro 2015

Guerra ou não guerra?

Olhem que comentários interessantes que temos por aqui. Diz Chaplin:
Russos e americanos representam o teatro do bem e do mal. Exercem funções distintos em favor de um mesmo sistema de poder e dominação global. A Rússia que pode complicar essa equação de poder é a Rússia da elite sucessora da antiga monarquia dos czares, opositora ferrenha do próprio Putin.
Mas estão enfraquecidos pelos sionistas russos, parceiros dos anglo-saxões desde o final da segunda guerra, mas que foram propagandeados como seus inimigos...
O poder maior escolhe e configura seu pseudo inimigo, para que as massas populacionais se convençam dessa dualidade, condicionados pela propaganda midiática e dessa forma acabam por apoiar os pseudos defensores do bem...
E eis a resposta do Anónimo:
Então esta tensão toda entre os EUA e a Rússia é um teatro só para entreter aqui o povinho?
A guerra fria afinal não foi um confronto ideológico e militar mas apenas uma brincadeira?
No mundo ocidental detestam e diabolizam o Putin mas e só a fingir? Mas afinal são amiguinhos do coração.
A China também participa na peça?
Então nesse caso estamos condenados, sem salvação, esta escrito no destino e não se pode contrariar o que esta destinado.
A realidade e bem mais complexa que isso e garanto que se houvesse essa gente com esse poder todo para montar uma peça de teatro dessa magnitude, simplesmente não o fariam pois não precisariam de o fazer. E o mundo seria bem pior para nos.
Interessantes, porque são o espelho de duas visões contrastantes.

14 fevereiro 2015

"Enviamos um fax..."

A gripe não passa. Melhora, depois a febre volta.
Ligo para Saúde 24. Muitas perguntas, mas são disponíveis.

- Enviamos um fax para o Seu Centro de Saúde que fecha às 20:00 horas.
- O que significa "enviamos um fax"?
- O que significa enviar um fax?
- Não, entendo: significa que posso ir lá já agora?
- Sim, preparamos um relatório para os médicos do Centro e vamos envia-lo: o senhor pode ir lá agora mesmo.

Wow, que serviço. Mas ainda estou em Portugal? Não é que com a febre passei a fronteira e nem dei por isso? Visto-me e vou. Está frio, mas vale a pena: com o fax que chega, um médico já tem uma ideia do que tenho e vai visitar-me em breve.

- Fax? Nós não recebemos fax ao longo da semana, Saúde 24 sabe disso. Uma visita? Não, não há vagas disponíveis. Mas pode voltar para as consultas da gripe. São feitas a partir das 20:00 horas.

Definitivamente ainda estou em Portugal.


Ipse dixit.

13 fevereiro 2015

Grécia: vamos ver as contas?

Ao ligar a televisão aqui em Portugal é simples encontrar dois indivíduos que deveriam passar o resto da vida deles na prisão e que, pelo contrário, ainda estão em liberdade: não só, mas falam como se quisessem instruir o povinho acerca das contas gregas.

Por incrível que pareça, as declarações de ambos são ouvidas e rematadas pelos media de regime. Falamos, obviamente, do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e do digno compadre Primeiro Ministro, Passos Coelho.

Mas podem ficar descansados os amigos Portugueses: Lisboa não é uma excepção. Em cada País, nesta altura, há um ou mais indivíduos que defendem publicamente os interesses dos bancos sem nunca apresentar dados. Porque espreitar os dados significa perceber que as coisas estão ligeirissimamente diferentes de quanto afirmado.

Pegamos nas palavras da múmia, o Presidente:
Portugal tem vindo a demonstrar solidariedade em relação à Grécia para que ela permaneça na zona do Euro. Além do empréstimo que fizemos à Grécia de cerca de mil e 100 milhões de euros [no âmbito do primeiro resgate a este país], Portugal tem vindo a transferir para a Grécia o produto do juros das obrigações na posse do Banco de Portugal, o que significa muitos milhões de euros que saem da bolsa dos contribuintes portugueses.

12 fevereiro 2015

9/11: Putin ameaça apresentar as provas

Os especialistas norte-americanos acreditam que, apesar das relações entre Estados Unidos e Rússia terem atingido o ponto mais baixo desde a Guerra Fria, até agora Putin "entregou" a Obama apenas problemas menores.

Seria uma espécie de "calma antes da tempestade". Por enquanto, o Presidente russo encaixa uma vitória acerca da Ucrânia. Dum lado ameaças de guerra, do outro o apelo para o diálogo. E Putin consegue anunciar uma inesperada trégua.

Mas o problema de fundo permanece, então eis que Vladimir Putin prepara uma nova arma: que tal a publicação de provas sobre o envolvimento do governo dos EUA, e dos relativos serviços secretos, nos ataques de 11 de Setembro. Uma série de provas com tanto de imagens satelitares.

11 fevereiro 2015

Google inventa o cão para ser pontapeado

Um gajo levanta-se da cama, cheio de medicamentos, liga o computador para distrair-se um bocado e dá de cara com isso:


Já o facto de ter inventado um cão digital me deixa um pouco duvidoso: eu tenho um exemplar analógico (o Leo) que não será perfeito mas parece funcionar bem (nem preciso liga-lo a uma tomada).

Mas era mesmo necessário publicita-lo com um vídeo no qual é pontapeado? Não é para ser um animalista fundamentalista, sei que não é um animal verdadeiro, mas na net cérebros com carência de neurónios não faltam: que tal não difundir maus exemplos?

Quem são estes génios? A Boston Dynamics? Ahhhh, é a companhia adquirida pela Google.
Ok, está tudo explicado.
Melhor voltar para a cama.

Ipse dixit.

09 fevereiro 2015

A doença mortífera...

Lamento informar que o bom Max foi atingido por uma terrível doença e que nos próximos 1 ou 2 dias o blog pode ficar parado. A doença, que costuma deixar poucas esperanças (no sentido que quando chega, chega e ficas com ela), tem o nome de "gripe". Não sei se é conhecida no Brasil.

Em qualquer caso, pareceu-me coisa bonita avisar; peço desculpa pelo incómodo e aproveito para deixar as saudações ao estilo de Aldo Luiz: sinto muito, me perdoe, os amo, estou doente.

E às melhoras :)

Ipse infirmum! 

08 fevereiro 2015

Fomos à Lua? Sim.



Diz Joaquim:
Eu penso que um tema interessante para um artigo seria a ida do homem à Lua, especialmente a primeira, foi provavelmente uma ficção?
O homem foi à Lua? Qual homem? Quem era este? E quem lhe deu a autorização? Ahhh, o homem no geral...ok, então recomecemos.

O homem foi à Lua? Olha, bom assunto. Até estava convencido de ter já escrito acerca disso, mas fui ver no arquivo cheio de pó e teias de aranha e não encontrei nada. Pouco mal, falamos disso agora.

Primeira pergunta (que depois é sempre a mesma): o homem foi à Lua?
A resposta é: sim.

Gostando muito de tudo o que estiver relacionado com a astronomia, procurei bastante com o passar do tempo. E estive na dúvida até, porque sobretudo no Youtube é simples encontrar material, até bem feito, que "demonstra" o contrário.

Mas é precisa atenção: na verdade, o que a maior parte destes vídeos demonstram é que muitas das imagens (fotografias e vídeos) publicadas pela Nasa acerca da missão Apollo 11 (e também das sucessivas) deixam em aberto numerosas questões, em nada secundárias (esta última frase é uma maneira elegante para dizer: "Parecem falsas mesmo").
Mas o discurso da alunagem é diferente.

Eu sei, muitos irão ficar desiludidos: "Mas Max, foi um hoax, foi tudo filmado no deserto do New México, não viste o filme Capricorne One?".

Claro que vi o filme Capricorne One, mas a realidade é outra coisa. Não que factos ao estilo de Capricorne One não possam acontecer (pessoalmente acho acontecerem coisas bem piores...), só que aqui as coisas parecem estar um pouco diferentes, como será possível ver a seguir.
Mas a seguir quando?
Agora.

06 fevereiro 2015

Ucrânia: a vitória será nossa!

No âmbito do conflito ucraniano, eis que chega o relatório da Brookings Institution (fundos Rockefeller e Ford), assinado por:
  • Steve Pifer (Embaixador)
  • Strobe Talbott (presidente da Brookings Institution)
  • Ivo Daalder (Embaixador)
  • Michele Flournoy (ex-Secretário de Defesa)
  • John Herbst (Embaixador)
  • Jan Lodal (ex-vice-Secretário da Defesa)
  • James Stavridis (Almirante )
  • Charles Wald (General).
Mais ninguém? Olhem, já que aqui estou assino eu também como Max (blogueiro).

Trata-se dum relatório equilibrado, que analisa com objectividade a situação e sugere algumas medidas racionais.
Aliás: necessárias.

Biliões letais

Título: "Manter a independência da Ucrânia, resistir à agressão russa. O que têm que fazer os Estados Unidos e a Nato". E já assim fica clara a objectividade.

05 fevereiro 2015

O regresso da bonança

Ahhhh...o Baltic Dry Index!
Alguém se lembra disso?

Breve resumo. Há poucos anos (era o 2011 d.C.), os governos ocidentais repetiam: "A crise acabou, tranquilos, foram um par de anos complicados, mas olé, tudo ficou como novo agora!".

O parvo aqui pensava e escrevia: "Pessoal, não oiçam, a crise não acabou". E não tinha acabado.

O parvo tem dotes divinatórias? Nada disso. Simplesmente observa os dados, entre os quais um dos mais importantes é o Baltic Dry Index (BDI).

O (BDI) é um indicador dos custos de transporte dos navios cargo, aqueles que entram a mercadoria em todo o mundo. O nome diz "Baltic", mas na verdade inclui os indicadores das maiores rotas comerciais do planeta. Diz "Dry" (que significa "seco") porque é relativo aos material sólidos (nada de petróleo) como as matérias-primas ou as commodities agrícolas (carvão, ferro, trigo, etc.). 

Onde é que o Estado encontra o dinheiro?

Pergunta o Leitor Gito:
Há uma coisa que eu não percebo em tudo isto. Se é assim, porque é que os estados se financiam no setor privado, para fazer escolas, hospitais e pagar salários e tudo o resto?
Boa pergunta.
Em verdade, em verdade vos digo: sigam-me.

A resposta do Ministro

Uma vez acabados os anos das "vacas gordas" da década dos '80, a Italia teve que encarar a questão da Dívida Pública.

Em 1994, muitos especialistas achavam inevitável que o País entrasse em bancarrota, porque a Dívida tinha alcançado 120% do Produto Interno Bruto (PIB) e as taxas de juros eram dum espantoso 12%. Os juros sobre a dívida absorviam 22% do orçamento do Estado, enquanto a média de outros Países era de 12%.

Na altura, o economista Warren Mosler chefiava um fundo de investimento especializado em dívida e achava que o mercado estivesse errado acerca da Itália. Então pegou num avião e foi até Roma para falar com o então Ministro do Tesouro. Este, apesar do apelido (Spaventa, que significa "assusta"), estava na boa: sabia que o País não teria entrado em bancarrota.

Mosler perguntou-lhe: "Por qual razão emitem Títulos de Estado, para ter dinheiro para gastar?".
A pergunta aparentemente era retórica, pois parecia óbvio emitir Títulos: apesar da Dívida Pública já ter chegado a 120%, o Estado tinha que continuar a funcionar. Mas nada óbvia foi a resposta do Ministro Spaventa: "Para evitar que as taxas interbancárias caiam para zero".

A Croácia apaga as dívidas

Eis uma manobra interessante e teoricamente "impossível". O governo da Croácia eliminou a dívida de cerca 60 mil cidadãos, nomeadamente os mais pobres.

 Como "eliminou"? É isso mesmo: eliminou. A iniciativa, cujo nome é Novo Começo, tem como objectivo ajudar alguns dos 137.000 croatas cuja conta bancária foi bloqueada devido ao não pagamento de facturas.

Condições para aceder ao programa Novo Começo:
  • ter dívidas inferiores a 35.000 Kuna (cerca de 5.100 Dólares)
  • um rendimento mensal não superior a 1.250 Kuna (138 Dólares)
  • não possuir qualquer propriedade
  • não possuir outras contas bancárias com activos e/ou poupanças.
Quanto custa esta iniciativa ao Estado?
O governo croata reuniu autarquias, empresas públicas e privadas, os principais provedores de telecomunicações bem como nove bancos privados e convenceu todos a apoiar o plano para a absorção da dívida: no total, os custos do Estado serão de 30 milhões de Dólares (27 milhões de Euros), mas parte das dívidas não serão pagas pelo governo, simplesmente serão apagadas.

04 fevereiro 2015

Bangka

O Siempre Muy Nobre Saraiva enviou um link muito interessante, algo que publico com culpado atraso (e peço desculpa). Assunto? Bangka.



Ipse dixit.


Argentina: a Presidente e o juiz-mártir

Assim, Cristina Kirchner mandou assassinar o juiz Alberto Nisman.
Com certeza.

A Presidente, como não poderá ser reeleita na eleições deste ano, terá que apoiar Daniel Scioli, braço direito dela, cujo eventual sucesso poderá não ser tão simples. Portanto, eis a ideia: vamos matar um juiz! Nada mal como começo da campanha eleitoral.

Então? Então passamos de Je suis Charlie para Yo soy Nisman. Pouco mal, sempre mortos são e nem o sotaque muda: sempre anglo-israelita é.

O que fez o pobre juiz-mártir Nisman? Vamos ver.

Do Sol até Júpiter (só ida)

Come será atravessar o Sistema Solar com a velocidade da luz?

Bom, a velocidade da luz é de 299.792,458 km/s, o que significa mais de um bilião de quilómetros por hora. Bastante elevada, de facto.

Considerado isso, demora cerca de 8 minutos para percorrer a distância entre o Sol e a Terra. Mas no Sistema Solar não há só a Terra e a luz encontra outros objectos na sua viagem. E o realizador Alphonse Swinehart decidiu criar um vídeo que mostrasse mesmo isso: a viagem da luz uma vez deixado o Sol, atravessando parte do Sistema Solar, tudo em tempo real.

O vídeo acaba ao minuto 44, pouco depois de ter cruzado Júpiter. A musiquinha é simpática, mas o vídeo é um pouco aborrecido: afinal são 44 minutos de vazio, com uns quantos planetas de vez em quando. Se o desejo for acelerar, eis algumas dicas:

03 fevereiro 2015

Malaysia Airlines MH370: a hipótese final

A Malásia suspende a pesquisa do voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu no dia 8 de Março de 2014. Versão oficial: um acidente. É assim que o governo de Kuala Lumpur arquivou o caso que custou a vida de 239 pessoas. O avião estaria algures, no fundo do mar, ao largo da costa de Perth, Austrália. Mas...

Mas, se de facto o avião tivesse caído na área perto da Austrália, teriam sido encontrados os destroços, em particular aqueles que se partem primeiro: a cauda e as asas. Portanto, deveria ter havido o rastro de combustível no mar (nos aviões, o combustível fica armazenado nas asas) e os corpos dos passageiros. Mas não foi encontrado nada. Nada de destroços, nada de rastos, nada de corpos, nada de caixa preta, nada de nada.

O último sinal partido do avião foi detectado numa área onde fica a ilha de Diego Garcia, no arquipélago de Chagos, e onde há também uma base militar da Marinha dos Estados Unidos com um aeroporto militar. Alguns habitantes das Ilhas Chagos de facto viram um avião com as cores da Malásia e disseram que voava na direcção da base militar de Diego Garcia. Mas as autoridades negaram o acontecimento.

É o caso de descobrir um pouco mais acerca desta base de Diego Garcia? É.

02 fevereiro 2015

Syriza: diga-me com quem andas...

A Grécia votou as sanções contra a Rússia.
Sonhar não é pecado nenhum, até faz bem.
Mas chega sempre a altura de acordar.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros grego, Kotzias:
Nós não somos contra qualquer sanção. Estamos com a corrente principal, não somos os meninos maus. [...] Eu não sou um fantoche russo.
Bravo Kotzias, continua a ser o fantoche de Bruxelas então.
Pelo que, agora podemos tranquilamente esquecer Syriza.

Aliás, não: mais uns pormenores.

O que é o dinheiro: resumo - Parte IV

Então: vimos que o dinheiro não existe como um valor, é um código abstracto que transmite o valor real, vimos que apenas a produção de bens e serviços são reais.

Mas é preciso salientar uma coisa sobre esses "códigos abstractos" que chamamos "dinheiro": há uma enorme diferença se esses códigos forem emitidos pelo sector privado (os bancos) ou pelo sector público (o Estado).

Lembramos: os bancos emitem dinheiro com os empréstimos, as hipotecas, criando dinheiro do nada, o Estado cria dinheiro com a Despesa Pública, que sempre "dinheiro do nada" é. Mas qual esta enorme diferença?

Os códigos abstractos emitidos pelos bancos dão grandes voltas depois regressam para os bancos e anulam-se, ok? Tudo verdadeiro mas... mas sobra algo: os juros.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...