30 novembro 2015

O Sistema Solar aquece. Aliás, não.

Diz o Anónimo Leitor:
Alguém sabe dados da evolução da temperatura nos outros planetas?
Um desejo dum Leitor é uma ordem para mim!
Pelo que vamos ver: como estão as temperaturas nos outros planetas?
A resposta é: estão bem, obrigado.

Alguns anos atrás tinha sido difundida a ideia de que a temperatura dos planetas estava a aumentar.
Por exemplo: em 2007, os dados sugeriam que Marte tivesse elevado a temperatura de 0.6 Cº em 20 anos.

Explicação de Lori Felton, astrónomo da Nasa: é a radiação solar que cria ventos e tempestades de areia, as quais mantém o calor.
Explicação de Habibullo Abdussamatov, do Observatório Astronómico de São Petersburgo: é a radiação do Sol que aquece a Terra e Marte.

O gelo desaparece. Aliás, não.

Começa a reunião de Paris, onde 150 chefes de Estados e governos vão discutir as medidas contra a
crise climatérica que ameaça o planeta: o calor, os glaciares que desaparecem, a subida dos oceanos, o efeito estufa, o buraco no ozono, a CO2 na atmosfera.

Vamos contribuir, afinal o clima é responsabilidade de todos. O Instituto Meteorológico da Dinamarca (DMI, Danmarks Meteorologiske Institut) é um bom ponto de início.

Fundado em 1872, é hoje administrado pelo Ministério da Energia e do Clima e engloba o conhecimento combinado do Instituto de Meteorologia original, do Serviço Meteorológico da Aviação Civil e do Serviço Meteorológico da Defesa. Pode contar com uma equipa de 380 funcionários e 450 observadores voluntários no terreno.

A carteira de Netanyahu

Benyamin Netanyahu ficou zangado.
Coitadinho.

A razão é a decisão da União europeia de rastrear os produtos israelitas oriundos dos territórios ocupados, quais a Cisjordânia e o Golã: na prática, os territórios fora das fronteiras de 1967. São os territórios ocupados ilegalmente, subtraídos com a força aos Palestinos.

Mas israel vai além disso: não apenas ocupa e envia colonos, como também afasta os donos originários e a seguir explora os recursos. Os produtos assim obtidos são vendidos como made in israel. É o famoso "direito à defesa" tanto proclamado por Tel Avive.

A decisão da União tenciona informar os consumidores europeus com uma rotulagem que identifica toda a cadeia de abastecimento dos produtos assim obtidos, desde o fabricante até o importador e o vendedor ao varejo. Tais produtos ficam excluídos dos benefícios aduaneiros.

29 novembro 2015

A alma dos bárbaros

Talvez Deus esteja a punir-nos pelos nossos pecados, e os Hunos são a ferramenta de que precisa.

Padre Cristodemo dizia que é o que merecemos por tolerar hereges e idolatras entre nós, por permitir que nas nossas cidades, nas nossas casa, ainda se mostrarem os ídolos dos velhos demónios, enquanto os ímpios prédios ainda estão de pé, quase gozando da verdadeira Fé.

Mas agora Padre Cristodemo foi-se, tal como os outros meus irmãos. E do nosso mosteiro, daquele que era o nosso mosteiro, há apenas pedras e vigas em chamas. Estávamos à procura de paz, num lugar afastado da vaidade e da loucura do mundo, um lugar onde dar graças ao Senhor; mas a loucura do mundo encontrar-nos, até aqui.

Ellac, o líder deste bando de ladrões sem Deus, decidiu poupar-me.
Enquanto os meus irmãos choraram e se escondiam, eu fiquei à espera, em pé, diante da porta da nossa pequena igreja; Ellac viu-me, descalço e com a pobre túnica. Viu-me e riu-se. Simplesmente, achou-me ridículo e salvar a minha vida foi o prêmio por ter-lhe proporcionado aquele momento de alegria.

28 novembro 2015

O Domingo dos Cadáveres

Sábado? Um post um pouco diferente.

Um dos melhores e mais conhecidos cantores e autores em Italia foi Fabrizio De André (1940-1999), ao qual sou particularmente ligado porque nasceu em Genova e foi autor de muitas letras no dialecto da minha cidade.

Pergunta: música é apenas passatempo? Não, como é óbvio. A música é muito mais do que isso: é cultura, espelho dos tempos, inspiração, reflexão. E este artigo quer dizer exactamente isso.

A canção aqui apresentada é uma das mais profundas de De André e fez correr muita tinta quando saiu porque precisa de análise. Trata-se duma fotografia da nossa sociedade, escrita no começo dos anos '90 mas ainda terrivelmente actual. Parte da queda do Muro de Berlim e o fim dos regimes pseudo-comunistas. É uma fotografia crua e complexa, que não deixa muito espaço para a esperança. Mas é sempre a nossa história e a nossa sociedade.

27 novembro 2015

Hitler, Stalin, Trotskij, Tito, Freud e Lenin

Imaginem uma cidade do passado, na qual vivem ao mesmo tempo as seguintes pessoas:
  • Joseph Stalin
  • Adolf Hitler
  • Lev Trotskij
  • Josip Broz (o Marechal Tito)
  • Sigmund Freud
  • um imperador, como Francisco José I
Teria sido impressionante, não é?
A parte curiosa é que não é um romance: é História. A cidade é Viena e o ano é o 1913.

Adolf Hitler tinha sido rejeitado já duas vezes pela Academia de Belas Artes: era pintor, mas sem grandes dotes.

Josip Broz, o futuro Marechal Tito, ganhava uns trocos na fábrica da Daimler e as meninas bonitas eram o seu passatempo.

Sigmund Freud era um médico já de sucesso.

Stalin chegou da Rússia, fugindo da Okhrana (a polícia secreta czarista) com um comboio via Cracóvia (Polónia) e um passaporte falso (Stavros Papadopoulos era o nome utilizado); aí encontrou Trotskij, nascido Joseph Vissarionovich Zhugashvili.

26 novembro 2015

Amor e Piedade na Sagrada Bília

Para completar o discurso acerca das religiões, vamos analisar a Bíblia.

Temos a certeza de que o Cristianismo (cujo livro sagrado é a Bíblia, com Antigo e Novo Testamento) seja tão pacífico? Que seja muito mais pacífico do que o Corão? Que não incluía a violência? Que rogue a tolerância? O Amor? O respeito do próximo?

A seguir, uma lista de passos do Antigo Testamento, dos quais é reportado o número (assim cada um é livre de procurar para verificar) e o sentido.

O Antigo Testamento

Génesis 34:13 - Sichem juntou-se carnalmente (antes do casamento) a Dinah, filha de Jacob, despertando a ira dos seus outros filhos. A união antes da circuncisão era considerada uma desonra, assim Jacob ficou bastante enervado. Três dias depois, "dois dos filhos de Jacob, Simeão e Levi, irmãos de Dinah, tomaram cada um a sua espada, entraram na cidade (de Sichem) e mataram todos os homens". Também passaram ​​a fio de espada Sichem e Hamor, seu filho, e tiraram de casa Dinah". Os filhos de Jacob atiraram-se para os mortos e saquearam a cidade, porque a irmã tinha sido contaminada. Roubaram os seus rebanhos, os bois, os jumentos, o que estava na cidade e nos campos.

Os Muçulmanos e eu

Pelo visto, os artigos acerca do Islão despertaram curiosidade e opostas reacções.

Aproveito então para contar aquela que é a minha experiência pessoal com os Muçulmanos.

A imigração árabe em Italia começou no final dos anos '70, com indivíduos principalmente oriundos dos Marroccos, da Argélia e da Tunísia. Em princípio, estes imigrantes dedicavam-se a trabalhos humildes, que consistiam essencialmente em vender objectos de vária natureza ao longo do Verão nas praias: cintos (de óptima qualidade, diga-se), bijuteria, coisas destes género.

O ganho era reduzido, mas dado que o nível de vida nos Países de origem eram muito baixo, dava para enviar dinheiro para casa e ajudar assim a família que lá tinha ficado. As coisas mudaram de forma lenta: passados estes primeiros anos, alguns entre os imigrantes decidiram estabelecer-se em Italia com as respectivas famílias. A actividade praticada era sempre a mesma: venda de objectos de uso diários, desta vez não apenas ao longo do Verão mas durante o ano todo, nas ruas.

25 novembro 2015

O príncipe e o Captagon

Há quase um ano falámos do Captagon, a droga sintética utilizada pelos combatentes do Oriente
Médio. Na altura o blog relatava:
Em 2013, o governo libanês já tinha apreendido 12,3 milhões de pílulas de Captagon perto da fronteira entre o Líbano e a Síria, enquanto a polícia turca ficou pelo 7 milhões de comprimidos. Além disso, as autoridades do Dubai têm relatado que uma outra apreensão, desta vez de 4,6 milhões de pílulas de Captagon em Dezembro do ano passado. Números que desaparecem perante os 55 milhões de pílulas que por ano são confiscados na Arábia Saudita: provavelmente, isso representa 10% do total que é contrabandeado no reino.
E acerca da droga:
O Captagon permite que os soldados lutem mais horas sem sentir fadiga, permite ficar activos por longos períodos de tempo com poucas horas de sono e sem reduções significativas do estado de alerta ou de desempenho: se capturados, os soldados podem resistir melhor à dor.

A Turquia e o avião russo

Durante as fases iniciais da recente guerra na Jugoslávia, perto da praia de Muggia (Italia) podia
acontecer de ouvir um barulho ensurdecedor e, a seguir, observar alguns MiG-29 (esloveno? croatas? sérvios?) que por causa do impulso e da inércia do voo, entraram no território italiano.

Os MiGs imediatamente desaceleravam (para poder manobrar melhor), curvavam, ganhavam velocidade e regressavam em território jugoslavo, passando perto da cidade de Trieste.

Tudo acontecia numa questão de minutos, no espaço aéreo italiano, e nenhum avião de Italia ou da Nato levantava o voo: aqueles MiGs não constituíam uma ameaça, já tinham problemas suficientes em casa deles. Todavia, a Turquia não apenas enviou enviou aviões contra a intrusão como também escolheu abater o "invasor". Por qual razão?

24 novembro 2015

Os falsos mitos da Jihad

Da Jihad islâmica já falámos no passado, mas o termo continua a ser utilizado por todos os media de
forma errada: parece que uma parte do mundo islâmico se encontra numa Jihad (entendida como "guerra santa") contra o Ocidente. Mas assim não é e nem poderia ser.

Claro, os media têm a função de espalhar o medo e criar um inimigo: por isso pegam num termo árabe, descontextualizam-o e apresentam o nosso pesadelo diário.

Todavia, a nossa função é aquela de não cair no medo e tentar entender quem são os nossos verdadeiros inimigos (não é preciso ir muito longe, muitas vezes é suficiente pegar num espelho). Portanto, vamos acrescentar mais alguns pormenores acerca desta "terrível" Jihad.

A Jihad

Como relatado no citado artigo anterior, o termo Jihad não significa "guerra santa" mas sim "esforço". E há duas Jihad: a Grande (ou Maior) Jihad e a Pequena (Menor) Jihad.

23 novembro 2015

Bill Gates ecológico: a Democracia é um problema

Curiosa entrevista que Bill Gates concedeu ao mensal The Atlantic.
Sim, o governo é um pouco inepto, duma certa forma. Mas o sector privado é inepto no geral é inepto. Quantas empresas capitalistas investem em coisas que vão mal? De longe, a maioria deles.
Começa bem. Duma só enfornada, o simpático Bill define como "um pouco incapaz" o governo que ajudou a ser eleito com os seus financiamentos e rotula como "muito incapaz" o sistema no qual ele prosperou e ainda prospera.

Sobretudo esta última é uma afirmação curiosa: é como ouvir um ladrão dizer que roubar é pecado. Portanto, após disso seria lícito esperar algo como "desculpem, agora vou esconder-me atrás duma árvore e nunca mais vou sair daí por causa da vergonha". Seria o mínimo. Mas não: o simpático Bill continua a espalhar pílulas de sabedoria. E vale a pena segui-lo.

22 novembro 2015

VIX, o índice do medo

VIX é oficialmente o nome em código do CBOE Volatility Index (Índice de Volatilidade CBOE). Já perceberam: falamos de Finança.

No momento em que há alta volatilidade, o VIX sobe, correlacionado com as quedas de ouro índice, o S&P 500 (o mais indicativo do mercado americano, que já ultrapassou em importância o Dow Jones).

Mas o que indica o VIX em substância? Se o mercado baixa, se os investidores acreditam que o mercado vai cair (por inúmeras razões, tais como uma guerra, um atentado...), o VIX consegue "medir" este medo aumentado o seu valor; se, vice-versa, os investidores forem optimistas, o VIX cai. Em definitivas, o VIX mostra quais as expectativas dos mercados accionários.
Muito simples.

20 novembro 2015

As sociedades gilánicas - Parte II

Na primeira parte do artigo analisámos uma das últimas sociedades gilánicas, aquela da Ilha de Creta.

Esta, todavia, representou o epilogo deste tipo de sociedade: o que tinha havido antes?

Responder não é simples, mas qualquer pesquisa tem que partir do culto da Grande Mãe, esta corrente religiosa que dominou amplos territórios antes da História "oficial". Sem considerar os aspectos típicos desta fé, é impossível entender o funcionamento das sociedades gilánicas. 

O proto-comunismo

A descoberta e as escavações da estação neolítica de Catal Hüyük e Hacilar, nas planícies da Anatólia (a actual Turquia), revelaram uma continuidade histórica entre a religião do Paleolítico Superior e aquele do Neolítico. Afirma o arqueólogo James Mellaart, que liderou as escavações:
A brilhante nova avaliação da religião do Paleolítico Superior feita por Leroi-Gourhan esclareceu muitos mal-entendidos [...] A interpretação da arte do Paleolítico Superior assim conseguida, com base no tema de um simbolismo feminino complexo, mostra fortes semelhanças com as imagens religiosas de Catal Hüyük.

Elogio do mulo

O mulo, este desconhecido.
O mulo é um animal fantástico. Híbrido entre um asno e um cavalo, é presente apenas na versão feminina (na verdade há só mulas). E a sua especialidade é o transporte.

Como o Isis, o mulo adquire uma importância estratégica fundamental. Alias, é possível dizer que sem o mulo o Isis não existiria.

Os especialistas afirmam que o Estado Islâmico é financeiramente independente, ganhando cerca de 2 milhões de Dólares por dia com a venda do petróleo: este é extraído dos territórios que o Califado ocupa, nos mesmos lugares onde até recentemente prosperavam gigantes como a Total ou a Shell.

Problema: não há oleodutos. Havia, mas a guerra devastou estas "autoestradas do petróleo" também.
Duas contas: dois milhões de Dólares correspondem a mais de 20.000 barris por dia; e cada barril contém cerca de 160 litros. Pelo que, o Isis entrega a "alguém" 2.800 toneladas de petróleo por dia. Como? Simples, com a ajuda do nosso herói: o mulo.

19 novembro 2015

O Verdadeiro Poder - Parte VI

O ISGP termina a análise dos quatros grandes ramos do Poder com o Sionismo.

O movimento sionista tem origem antigas: foi criado principalmente em volta de radicais judeus sionistas, não apenas daqueles que é possível encontrar entre os neoconservadores americanos, mas também entre os liberais e os que ficaram em pátria (como já realçado muitas vezes: estas divisões internas ao Poder não são estanques mas algo muito mais fluído e transversal).

Basicamente, o movimento consiste em boa parte na elite presente no estado de israel, nas comunidades judaicas espalhadas pelo mundo e na potente lobby judaica nos Estados Unidos. É uma comunidade muito unida, altamente organizada também dos pontos de vista político e económico.

17 novembro 2015

A religião mata?

Vou "chamar-me" fora dos massacres de Paris.

Tudo o que tinha ser dito foi dito e não haverá novidades ao longo das próximas semanas ou talvez
meses. Teremos a guerra na Síria, sem dúvida, e no Iraque: mas acerca dos massacres de Paris nada mais. Só confirmações: para quem acredita ter sido um ataque "apenas" islâmico (a teoria dos media) e para quem procura mais além do óbvio.

Sem dúvida: serão identificados todos os terroristas (radicais islâmicos), provavelmente será reconstruida a rota seguida pelas armas, serão descobertas bases na França, na Bélgica, na Alemanha, até serão indicados as possíveis mentes atrás do crime (sempre do Isis); e, enquanto isso, o Estado Islâmicos sofrerá recuos no terreno, talvez algo mais do que isso. Mas nada capaz de mudar duma vírgula a teoria até aqui aceite, aquela pela qual tudo não passa duma acção dos "loucos" do Estado Islâmicos.

Pelo que, vamos em frente. Aliás: atrás.
Pergunta: a religião é a raiz de todos os males? Não se fala aqui da religião islâmica, mas da religião no geral, da Fé.

16 novembro 2015

A origem do Estado Islâmico

A propósito de Isis: como se formou o Califado?

Entende-se aqui: como se formou de verdade, não segundo a história tipo almanaque de Wikipedia.

Pode ser útil espreitar um documento do passado mês de Maio, publicado pelo governo dos EUA com base no Freedom Act.

O documento foi escrito pela DIA (Defense Intelligence Agency) no dia 12 de Agosto de 2012.
Portanto antes do aparecimento do Isis (oficialmente surgido em Junho de 2014).

Vamos ler o primeiro trecho:

A situação geral:
A. Internamente, os eventos estão a tomar uma clara direcção sectária.
B. Os Salafistas, a Irmandade Muçulmana e a AQI [Al-Qaeda, ndt] são as maiores forças que conduzem a rebelião na Síria.
C. O Oeste, os Países do Golfo e a Turquia apoiam a oposição; enquanto Rússia, China e o Irão apoiam o regime [de Assad, ndt].

Y el pasado?



Ipse dixit.

Paris: a sombra do imperialismo

Um dia particularmente negativo na Europa, algo que não sei via há décadas.

Não pode haver uma comparação com os atentados de Madrid ou de Londres: aí eram bombas posicionadas por mãos anónimas, aqui é um acto de guerra perpetrado por kamikaze armados.

E a resposta (a França que bombardeia o Isis) atira outra lenha para a fogueira: pior teria sido impossível. Era exactamente esta a resposta mais óbvia, da qual todos estavam à espera. A resposta que dá sentido aos ataques.

Guerra de religião? Só para quem deseja crer uma coisa destas. Os muçulmanos não têm nenhuma intenção de "invadir " a Europa, já têm suficientes problemas em casa deles. Não há nenhuma guerra de religião, esta é uma explicação para mentes simples e desinformadas.

14 novembro 2015

O massacre em França

Sábado de manhã, dá para ficar acordado até tarde e tentar perceber o que aconteceu em França.

Por enquanto fala-se de 126 mortos, mas o total pode subir. Todos os terroristas islâmicos mortos também, ou suicidas ou abatidos pela polícia.

A primeira coisa que passa pela cabeça é false flag.
Normal, assim somos estados habituados. O que aconteceu com Charlie Hebdo no princípio do ano, com as fortíssimas dúvidas, as incongruências e, por fim, o segredo oficial acerca das investigações, é uma recordação demasiado recente.

Mas algo não bate certo desta vez.

13 novembro 2015

Notícas & notícias: a psico-policia

Que azar!
Não um, mas duas televisões russas têm revelado um segredo de Estado. Qual segredo?
E temos também "novidades" acerca do assassinato de JFK...

O "segredo" de Putin

Em Sochi, durante uma reunião do Presidente Putin com as chefias militares, a câmara tem parado
numa página com desenhos e descrição de um torpedo, mais precisamente um drone subaquático atómico. O tempo suficiente para que fosse possível ler e traduzir, coisa que as agência ocidentais têm feito.

Trata-se do Status-6, um aparelho que pode ser lançado como um torpedo a partir dum submarino para explodir na costa dum País inimigo com o fim de "danificar componentes importantes da economia do adversário na área costeira e para infligir danos inaceitáveis ​​no território de um País, a criação de grandes áreas de contaminação radioactiva que se tornam intransitáveis ​pela actividade económica, agrícola ou militar por um longo período de tempo".

12 novembro 2015

O Factor Rh: extraterrestre!

Parto do comentário do Anónimo (que agradeço pela ideia) para enfrentar rapidamente um assunto muito delicado:
sempre me intrigou as diferenças de tipo sanguíneo dos homens e, principalmente, porque existe o fator RH negativo (tá cheio de teorias conspiratórias sobre isso). É notório a prevalência do tipo A+ entre ou europeus (exceção dos bascos) e africanos (chega a ser cômico isso), do tipo B+ entre asiáticos e O+ entre indígenas americanos, tanto do norte quanto do sul. Talvez a explicação seja está viemos de espécies de hominídeos diferentes...
De facto o Factor Rh é uma proteína e distingue o sangue dos seres humanos. A grande maioria dos humanos neste planeta possui esta proteína, o que significa que seu factor sanguíneo é Rh Positivo. Mas num grupo minoritário, com Rh Negativo, a proteína falta.

Agora: quando o tipo de sangue é herdado de pais, sabe-se que este elemento é a característica mais consistente transmitida aos descendentes. Há muitas poucas aberrações: raramente muda.

As sociedades gilánicas - Parte I

Um artigo sobre a História? Nada disso.
Falamos aqui de sistemas de governos.
Ou melhor: de organizações diferentes da nossa.

E comecemos com uma observação: há um buraco. Onde? Na História.

Aha! Então é um artigo de História!
Não, não é: sigam o raciocínio pois este não é um buraco casual.

O que é ensinado nas escolas? É ensinado que o esquema é este:
1 .Pré-história
- Paleolítico
- Mesolítico
- Neolítico
2. História Antiga
- Primeiras civilizações: Egípcios, Suméria, Babilónios, etc.
No imaginário geral, o Neolítico (que é sempre Idade da Pedra) é uma época obscura, povoada por brutos que vivem em cavernas e nem falam mas emitem grunhidos. O que é falso, como é óbvio, pois é mesmo durante este período (pelo menos desde 12.500 a.C.) que é desenvolvido um tipo de vida sedentário, com a prática da agricultura e a criação de animais domestico.

11 novembro 2015

Indonésia: a apocalipse ambiental

"Curioso", por assim dizer.

Todos a encher-se a boca com termos quais "ambiente", "ecologia", "natureza".

Barack Obama acaba de publicar um vídeo no Facebook, com o qual fala das próximas reuniões para deixar um planeta melhor às próximas gerações (e entretanto pisa a relva com os seus sapatinhos pretos bem lúcidos). A humanidade toda está de acordo: temos que cuidar do ambiente.

Depois a natureza pega fogo, arde, destrói, mata (por culpa nossa,. que fique claro) e as notícias mal chegam a ocupar as páginas dos diários. Não falamos aqui dum pequeno fogo, dum incêndio que atingiu um bairro qualquer: falamos duma catástrofe.

10 novembro 2015

Portugal: caiu o governo

Caiu o governo de Portugal.
Ainda bem.

Após ter vendido o País todo, feito disparar o desemprego, cortado reformas e ordenados, aprofundado as divergências entre os cidadãos, dizimado a já escassa classe empreendedora, tudo em nome duma austeridade exigida por Bruxelas (lê-se "Alemanha"), Pedro Passos Coelho caiu logo à primeira, com uma moção de censura.

Algumas notas.
O que se passou em Portugal é a Democracia que funciona. No Parlamento há uma maioria absoluta, indigitada pelos eleitores, formada pelos partidos da oposição; e esta maioria votou contra a minoria que constituía o governo. Tudo segundo os ditames da Constituição. Qualquer outra interpretação é fruto de alucinações. Não há aqui nenhum golpe, nenhuma batota, como grita a Direita. Democraticamente, os votos decidiram o destino do actual governo.

Homo: retrato de família

E que tal mudar de assunto e falar de mortos?
Não mortos frescos, mas de muito, muito tempo atrás.

Os mortos em questão são os nossos antepassados e a razão da curiosidade provém das algumas recentes descobertas que já obrigaram a Ciência a reescrever alguns capítulos.

Capítulos em nada secundários mas bem importantes: fala-se aqui dos nossos antepassados mais directos, os que deram origem a actual espécie humana.

Vamos ver qual a razão.

2 milhões

Mais de 2 milhões de visualizações.
E fala-se aqui apenas das visualizações directas, sem contar com os Leitores dos vários Facebook, Google +, Twitter, via e-mail...


É um óptimo resultado, sobretudo tendo em conta a tipologia de blog. Seria muito simples multiplicar este número por 10 ou 100 vezes: acreditem, seria uma questão de poucas semanas. Mais difícil é continuar em crescimento mantendo o mesmo espírito, tratando de assuntos que não são "fáceis", muitas vezes deprimentes até. Mas é aquilo que acontece com a vossa ajuda.

Então queria agradecer todos os Leitores, velhos e novos, e também dar-lhes os parabéns. Não por ter escolhido este blog em particular, mas porque todos decidimos (eu também!) dedicar parte do nosso tempo à tentativa de entender o que se passa à nossa volta. Não é simples e entre nós há diversidade de pontos de vista. Mas tentamos na mesma e isso é importante.

Última nota: falta algo no blog e este algo é um blogroll decente (como já foi feito notar). O actual é amplamente incompleto e a próxima tarefa será listar não apenas blogues e sites de referência como também fontes para aprofundamentos.

Obrigado!


Ipse dixit.

09 novembro 2015

O Verdadeiro Poder - Parte V

Mais um capítulo na descrição do Verdadeiro Poder segundo os estudos do ISGP.

Após as vertentes Liberal e aquela Conservadora, encontramos o Vaticano e a Rede Paneuropeia.

O Vaticano pode parecer uma espécie de Cindarella no meio dos outros Poderes: já não há um clássico poder temporal (aquele feito de territórios) e a penetração dos valores religiosos na sociedade civil está cada vez mais fraca nos Países ocidentais.

Todavia seria um erro subestimar as suas potencialidades: em parte porque, se for verdade que no Ocidente os cidadãos estão cada vez mais longe da igreja, é também verdade que as coisas não estão bem assim em outras áreas do planeta; em parte porque a face visível do Vaticano, feita de padres e paroquias, é apenas uma parte do poder eclesiástico. Este permanece forte, com a sua rede de influências que actua em campos tão distantes como o social, o político ou a Finança.

08 novembro 2015

A fosfoetanolamina sintética

Diz o Leitor Ferreira:
Gostaria de ver um post seu sobre a fosfoetanolamina sintética
E eu também! Só que nada sei do assunto, o que é triste. Não é por nada, mas aqui está um dos meus pontos fracos: Química. Não é tão ruim como a Matemática, mas anda lá muito perto, sem dúvida...

Mas o assunto é interessante, pelo que tentamos entender alguma coisa.

A fotosfoetanolamina, esta desconhecida.
Começamos com encurtar o nome: FS, a versão sintética, ok? A questão FS é quase totalmente desconhecida fora do Brasil. Pelo que: vamos ver o que dizem no Brasil acerca disso. E vamos ver alguém que apresenta boas ideias.
Vamos ver e ouvir.


Excelente vídeo, não pelos tons mas pela clareza.
Primeira questão: a FS não é um medicamento e nem pode sê-lo até passar pelo processo de reconhecimento que, como vimos, é bem preciso.

Charlie Hebdo: je suis un couillon


Daesh, a força aérea russa intensifica os seus bombardeios

06 novembro 2015

Pílulas e massacres

Cada vez que houver um massacre entre civis nos Estados Unidos (nos últimos tempos quase com
cadência semanal), a informação alternativa cavalga a onda das teorias conspiracionistas: é o projecto MK Ultra da CIA, é o governo que quer assustar os cidadãos para que abandonem as suas armas, etc.

Teorias se calhar fascinantes mas que apresentam todas um problema: não passam de teorias, sem uma única prova. Por exemplo: o facto de ter existido o Projecto MK Ultra não significa que seja utilizado agora com o fim de desarmar os americanos. Além disso, a ideia de que um cidadão armado possa constituir uma espécie de seguro contra as prepotência dum governo é simplesmente ridícula, em particular no País que mais gasta no planeta em armamentos para o seu sistema militar.

Seria também interessante observar qual a relação entre massacres e vendas de armas aos privados. Não tenho dados, só a suspeita de que a leitura poderia reservar algumas surpresas.

Proponho aqui uma ideia talvez menos "conspiradora" mas que tem aos menos o mérito de ser baseada em dados objectivos, que todos podem tranquilamente conferir com uma breve pesquisa.
Uma teoria que também não recorre a outras teorias para explicar os acontecimentos mas, mais simplesmente, é filha directa do Capitalismo exasperado no qual vivermos.

05 novembro 2015

Voo Kogalymavia 9268: a bomba israelo-saudita

Afinal o avião russo desintegrado no Sinai teve um acidente ou foi vítima dum atentado?

O voo Kogalymavia 9268 (KGL 9268/7K-9268) era operado pela companhia aérea russa Kogalymavia e que caiu no norte de Sinai no passado 31 de Outubro de 2015 às 04:13 UTC, após a decolagem do Aeroporto Internacional de Sharm el-Sheikh, tendo como destino o Aeroporto de Pulkovo.

A aeronave, um Airbus A321-231, transportava 217 passageiros e sete tripulantes: todos a bordo eram turistas, 219 eram russos, quatro eram ucranianos, e um era bielorrusso. Não houve sobreviventes.

Em 16 de Novembro de 2001, enquanto era operada pela Middle East Airlines, a aeronave tinha sofrido um tailstrike (a extremidade traseira do meio atingiu a pista) no Cairo, depois foi reparado e voltou em serviço em 2002; isso nas primeiras horas após o último acidente, fez pensar a um colapso estrutural, devido a uma reparação inadequada. Todavia, nos dias seguintes emergiram novos detalhes e agora o cenário parece bem diferente.

04 novembro 2015

O Brasil em crise

Depois de anos de crescimento, o Brasil parou de repente e começou uma descida que tem como direcção a recessão. A moeda, o Real, desvaloriza em relação ao Dólar e ao Euro, as agências de rating cortam o grau de confiança no País, os investimentos param e a produção industrial perde quase 7% só neste ano.

E como as desgraças nunca chegam sozinhas, eis que o governo de Dilma Rousseff é dominado pela tema da corrupção que envolve políticos e empresários ligados à Petrobras.

Quão profunda é a crise brasileira? Eis uma análise do Brasil visto "de fora". Pode parecer um sem sentido comentar "de fora", mas isso tem as suas vantagens: pode-se contar com a ajuda dos Leitores, correcto? Então vamos.

03 novembro 2015

Varoufakis, o anti-capitalista em business class

Só como curiosidade.
Após ter sido demitido do papel de Ministro da Economia na Grécia, Yanis Varoufakis começou um verdadeiro tour dentro e fora da Europa. Congressos, artigos, conferências, entrevistas... Varoufakis explica a crise e como resolve-la.

O que até seria bom, não fosse por um pormenor: o dinheiro que ele recebe.

60 mil dólares no caso de conferências fora da Europa.
5.000 Dólares para um discurso na Europa.
1.500 Dólares para uma lição universitária.
Nada mal.

No passado dia 17 de Setembro, Varoufakis transitou na televisão italiana: 24 mil Euros. Considerando que a aparição durou 22 minutos, fazem mais de 1.000 Euros por cada minuto. E temos que acrescentar alguns extras: viagem em business class, alojamento, transferências de e para o aeroporto, comida.
Nada mal mesmo.

O Verdadeiro Poder - Parte IV

Continuemos com a análise do Institute for the Study of Globalization and Covert Politics (ISGP) acerca do Verdadeiro Poder.

Na secção anterior vimos a "instituição" (establishment em Inglês) Liberal, uma das quatro que o ISGP identifica; agora é a vez da Conservadora, sempre lembrando de que esta divisão não é estanque, enquanto membros duma vertente podem tranquilamente ser encontrados em outra(s).


A instituição Conservadora

A vertente conservadora do Verdadeiro Poder está centrada em torno do Pentágono e da CIA, sobretudo após o período de Richard Helms (director da Central Intelligence - DCI entre 1966 e 1973) . Entender os conceitos-base do Poder Conservador é bastante simples: para isso é só observar as ideias que determinaram a política da ultra-Direita norte-americana nos últimos 60 anos.

De facto, a vertente conservadora cresceu a partir do trabalho de figuras conhecidas quais o general Douglas MacArthur, Pedro del Valle, Bonner Fellers, Charles Willoughby, Albert Wedemeyer, George Stratemeyer e Robert Wood, aos quais podemos acrescentar o apoio de H.L. Hunt, Clint Murchison, Sid Richardson e bem conhecido J. Edgar Hoover. Juntos, atacaram Eisenhower (um ex-executivo da Pilgrims Society) e o grupo da East Coast pelo facto deste serem brando demais com o Comunismo.

02 novembro 2015

Smart

A História contada é apenas uma versão da realidade: existem outras versões, provavelmente bem mais próximas da realidade.

Um bom exemplo chega da ex-União Soviética, hoje conhecida como Rússia. E é um exemplo interessante porque demonstra também como exista um fio vermelho que liga o passado ao presente e este último ao futuro.

Não é novidade o facto da História não ser um conjunto de "saltos" mas algo bem mais homogéneo e linear; pode ser novidade descobrir a natureza do tal "fio vermelho", quem o gere e quanto distante isso fique das nossas convicções.

Smart: Magnitogorsk

Se observamos as cidades de Gary (Indiana, Estados Unidos) e aquela de Magnitogorsk (Rússia) podemos notar muitas similitudes: cidades marcadas por um quadrilátero constituído pelas grandes vias de comunicação, um rio que divide o habitado da empresa siderúrgica, até a disposição dos implantes desportivos e do terminal ferroviário é a mesma. Não é um acaso: quem construiu Gary em 1906 desenhou Magnitogorks também em 1928.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...