03 março 2016

O glifosato, provavelmente.

O glifosato (N-(fosfonometil) glicina, C3H8NO5P) é um velho amigo do blog: já falámos dele várias vezes, sendo um dos herbicidas mais vendidos no mundo (principal nome comercial: RoundUp). Mas é necessário voltar sobre o assunto por duas razões:
  • A União Europeia esta semana irá decidir se renovar a licença para o uso do produto ao longo dos próximos anos.
  • Em Portugal a situação é grave e no Brasil não é melhor.
Mas vamos com ordem.

Saúde: uma questão de probabilidades

Escusado será dizer que o glifosato foi inventado pela Monsanto, nos anos '70. É um herbicida, muito utilizado em praticamente todas as culturas de soja ("Bebo leite de soja porque contém aminoácidos, cálcio, vitaminas e glifosato"). De acordo com a IARC (Agência Internacional de Investigação do Cancro), o glifosato pode ser encontrado em pelo menos 750 produtos destinados ao consumo humano e há no mínimo três estudos que confirmam o seu perigo para a saúde.

Segundo a IARC, o glifosato é "provavelmente cancerígeno". Pelo contrário, de acordo com a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) é "provavelmente não cancerígeno". Portanto, é uma questão de probabilidade: podemos morrer mas também não. Que, por acaso, era quanto dito do famigerado DDT. E se mesmo decidirmos teimosamente não morrer, há sempre uma boa probabilidade de ficar com uma doença celíaca, como pensam no MIT.

Esperando que o glifosato faça os seus efeitos, é bom lembrar que esta substância pode ser encontrada em alimentos comuns: em quatorze tipos diferentes de cervejas alemãs (marcas Beck's, Paulaner, Warsteiner, Krombacher, Oettinger, Bitburger, Veltins, Hasseroeder, Radeberger, Augustiner, Franziskaner, Konig Pilsener e Jever), na couve-flor, nas lentilhas, no alho francês, nos figos, nas toranjas, nas batatas, no trigo e na aveia. Evita-lo não é simples: pensem no trigo e em todos os produtos derivados, por exemplo.


Como afirmado, a UE tem que decidir se a licença para o uso de glifosato (licença que expirou em 2015) pode ser renovada por mais 15 anos. E vai fazê-lo até o final da semana. Em teoria todos estão em favor da renovação (excepto os Suecos). Mas por qual razão são favoráveis perante um produto que é suspeito de ser cancerígeno? As opiniões positivas estão baseadas num estudo que afirma como o glifosato não seja cancerígeno, um relatório produzido pela Glyphosate Task Force. Um painel de especialistas, portanto.

Podemos nós desconfiar dos especialistas? Sim, podemos, porque o semanário alemão Die Zeit foi espreitar e descobriu que a tal Task Force é na realidade um grupo no qual colaboram os produtores do pesticida. Para ser ainda mais claros: é o grupo de empresas que produzem o glifosato que pediram para continuar a vender a dita substância na União Europeia.

Portugal: Gondomar e a Feira do Glifosato

E a propósito: qual a situação num dos vários Países da UE? Um País escolhido aleatoriamente: Portugal.

O Bloco de Esquerda questionou todas as autarquias do País sobre o uso do herbicida. Até o passado dia 17 de Fevereiro, das 91 Câmaras Municipais que já tinham respondido, apenas 16 afirmaram não utilizar o glifosato (cujo nome comercial mais conhecido é, como já lembrado, o RoundUp). Ou seja, a esmagadora maioria das autarquias (82%) continua a utilizar o composto nos espaços públicos, apesar dos riscos para a saúde pública.

Gondomar, com 4.000 Litros, Matosinhos (2.800 L), Évora (2.500 L), Ferreira do Zêzere (2.420 L), Portimão (1.800 L), Elvas e Cuba (1.000 L) são as autarquias que usam mais pesticida à base de glifosato, em quantidades bastante superiores à generalidade das autarquias.

Isso apesar da já citada IARC ter estabelecido uma relação entre a exposição ao herbicida e o Linfoma Não-Hodgkin, uma doença do sangue que é dos cancros que mais se regista em Portugal (cerca de 1.700 novos casos por ano), País em que a utilização de glifosato duplicou nos últimos 10 anos. O mesmo Bloco de Esquerda tinha apresentado, em 2015, um projecto de resolução no sentido de proibir o uso do glifosato, mas a proposta foi recusada com os votos contrários do PSD (Partido Social Democrata), CDS-PP e a abstenção do PS (Partido Socialista) e PCP (Partido Comunista Português). Um "obrigado!" e um beijinho para todos.

Brasil: o glifosato? Como um café

E no Brasil? O País é o maior importador de agrotóxicos do planeta e consome pelo menos 14 tipos de venenos proibidos no mundo, dos quais quatro (pelos riscos à saúde humana) foram banidos no ano passado. Todavia, os pesquisadores suspeitam que ainda estejam em uso na agricultura.

Um estudo, coordenado pelo médico professor da UFMT Wanderlei Pignati, ainda constatou que os agrotóxicos aparecem em todas as 62 amostras do leite materno de mães que pariram entre 2007 e 2010, onde se destaca (além do Endosulfan, da Deltametrina, do DDE - versão modificada do potente DDT -, do Paraquat e do Metamidofóis) o glifosato, presente em 70 das 79 amostras de sangue e urina recolhidas nas áreas rurais.

E a Monsanto, o que diz? Os representantes da empresa participaram numa audiência pública na Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEP), em Recife (PE), em Agosto do ano passado. Andrea Aragon, gerente de assuntos corporativos da empresa norte-americana, disse que o “glifosato é igual ao cafezinho” e que “o sal de cozinha pode matar mais rápido que o glifosato”.
Calamos um piedoso véu...


Ipse dixit.

Relacionados:
Alarme Portugal: a Monsanto mata
Monsanto mata. UE sabe. E não fala.
A Monsanto mata (e os OGM não crescem)
Monsanto e o tabaco argentino

Fontes: IARC Monographs Volume 112: evaluation of five organophosphate insecticides and herbicides (ficheiro Pdf, inglês), EFSA, Anthony Samsel and Stephanie Seneff: Glyphosate, pathways to modern diseases II: Celiac sprue and gluten intolerance, Zeit Online, Terra, Portugal Mundial, Brasil De Fato, Notícias ao Minuto, Esquerda.net

18 comentários:

  1. Mas é claro que o sal de cozinha mata mais rápido do que o glifosato, sal de cozinha (quase todos) contém FERROCIANETO DE SÓDIO, pelo nome já da para imaginar como ele é "bonzinho".
    Tem que fazer muita pesquisa se quiser cuidar da saúde, ou então ter um bom plano funerário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo o Wikipedia, que tudo sabe e vê, Ferrocianeto de sódio, também conhecido como hexacianoferrato tetrassódico or hexacianoferrato (II) de sódio, é um composto de coordenação de fórmula Na4Fe(CN)6 o qual forma cristais semi-transparentes amarelos a temperatura ambiente, os quais se decompõe no seu ponto de ebulição. É solúvel em água e insolúvel em álcool, e a solução pode reagir com ácido ou fotodecompor-se liberando gás cianeto de hidrogênio.

      Na sua forma hidratada, Na4Fe(CN)6•10H2O (ferrocianeto de sódio decahidrato), ele é genericamente conhecido como prussiato de soda amarelo

      Eliminar
  2. Os mais antigos por aqui sabem que moro em uma zona rural de pequena cidade do interior. Então convivo com pequenos agricultores e o Round up é comprado aos galões em qualquer agropecuária e utilizado indiscriminadamente. E nem é preciso pensar nos alimentos contaminados porque o serviço mais eficaz aqui (como por suposto em qualquer outra zona agrícola no meu país) é através da água que é ingerida e utilizada para qualquer fim. Toda família depende de poço artesiano ou água de nascente de superfície que, nessa região é de altíssima qualidade (água mineral e/ou termal à 40 graus)O que poderia ser fonte de saúde e qualidade de vida torna-se veneno ingerido diariamente porque as plantações alvo de pesticidas e do Round up (para limpar o terreno com vistas a novos cultivos) são situadas ao redor e particularmente em terrenos acima dos mananciais de água subterrânea, de forma que o veneno é diretamente canalizado. Certa vez fiz um teste para ver se rendia efeito com agricultores conhecidos. Despejei um litro de gasolina a dez metros de distância de um dos meus poços em desuso, e uma semana depois retirei água mineral que, como esperado, contaminada e cheirando a gasolina, com um gosto bem ruim. Queria demonstrar o que acontecia com a administração do Round up. Em nada resultou porque o pessoal argumenta que sabe que é veneno mas ´"é prático", mata o campo depressa e evita trabalho manual do agricultor. O uso de óleo de Nim, ou outros sem prejuízo à saúde têm fraco desempenho. Então é assim. Não conheço estatísticas locais nem sei se existem ,as é visível o número de filhos de agricultores com síndrome de Down, e um monte de disfunções físicas e retardamentos mentais. O envelhecimento precoce de homens e mulheres é também notável, não digo que seja exclusivamente decorrente deste tipo de envenenamento. Pessoalmente, acomodei-me em uma área vizinha do parque estadual, área de preservação permanente onde só se trabalha com produção de alimentos de origem orgânica, e aqui em casa, obviamente todo cuidado é pouco, e escolhi uma terra considerada ruim (muita pedra e muitos desníveis que na Europa é lugar comum, mas no Brasil terra boa é plana, com solo fofo, sem pedras, onde o trator trabalha quase sozinho) e por isso só sujeita à agricultura faz muitos anos pelos índios locais, "naturalmente" já disseminados ou assassinados. Mas sei que mesmo as pessoas que optaram pela vida mais ou menos saudável sempre terão problemas com as sementes (não é fácil obter sementes criolas), pela contaminação do gado e das aves, pela morte da terra, enfim não se trata só de um manejo orgânico dos vegetais. Me parece que a grande questão é que as pessoas estão conformadas em serem envenenadas.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo4.3.16

    http://estaoteenvenenando.blogspot.com.br/2015/04/aluminio-fluor-e-glifosato-triplice.html
    Ze´Ruela

    ResponderEliminar
  4. Chaplin6.3.16

    Com a propaganda ao meu lado transformo veneno em salvação...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo7.3.16

    Esta notícia é têm dias: Roundup (Glifosato) encontrado em 14 conhecidas marcas de cerveja.
    Parece que a industria cervejeira alemã está em estado de choque. Coitados!

    Artigo: http://www.mintpressnews.com/214427-2/214427/

    Krowler

    ResponderEliminar
  6. Anónimo8.3.16

    Oi Max, gostaria de lhe dar uma dica sobre um assunto.
    Já ouviu falar no modelo de um "imposto negativo"?
    Segue o link de uma reportagem "rasa" mas com um video original do defensor da idéia Milton Friedman.

    http://exame.abril.com.br/economia/noticias/canada-vai-experimentar-dar-renda-minima-sem-condicoes

    ResponderEliminar
  7. Anónimo10.3.16

    OFF - Caro Max, ja é hora de "botar" windows 10? Confio em você, maldito o homem que confia no homem!!!! - LOL

    ResponderEliminar
  8. maxx por onde vc anda?? queria saber o q vc acha dessa flutuacao do dolar e as variacoes nas bolsas de valores pode de alguma forma ta ligada ao lula sendo nomeado ministro, eh possivel q exista alguma ligacao?

    ResponderEliminar
  9. Prenderam o MAX, será????

    ResponderEliminar
  10. Realmente nosso grande Max está sumido. Está fazendo falta.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo22.3.16

    Olá Max, boa noite. Desejo que estejas bem e com saúde. Desde a tua ausência que aprofundei a minha busca por fontes de informação mas gostaria de ter o teu ponto de vista acerca dos atentados ont na Bélgica. Estou completamente as cegas. Já encontraram explosivos, bandeiras do daesh uma ak 47 só falta mesmo encontrarem os passaportes. Poderá ser a main stream a criar ruído para vender ou poderá ser a história do costume, não sei. Pontos interessantes, o encontro de Henry Kessinger com Putin e passado cerca de 1 mês o acordo de cessar fogo para a Siria e o anúncio da retirada parcial das tropas Russas e agora está vaga de atentados na Turquia e UE.

    Abraço meu caro

    EXP001

    ResponderEliminar
  12. Anónimo24.3.16

    Oi Max tudo bem?

    https://www.bostonglobe.com/ideas/2014/10/18/vote-all-you-want-the-secret-government-won-change/jVSkXrENQlu8vNcBfMn9sL/story.html
    Abraço
    Nuno

    ResponderEliminar
  13. Prezados comentaristas de ii: se este blog tivesse postado algo a favor ou contra, ou apenas dados sobre a situação de golpe parlamentar-jurídico-policial que hoje turva o horizonte do meu país, eu utilizaria este espaço de comentário para expor minhas opiniões a respeito e sujeitar-me à polêmica que surgisse. Como tal não aconteceu, não sei se o Max se ausentou por vontade própria sem nenhuma explicação, se com ele houve algum problema que o impedisse de continuar. Então não me sinto a vontade para discutir a respeito. Aproveito a oportunidade para despedir-me dos colegas comentaristas de ii com quem quase sempre tive algo a aprender, e espero ter sido útil também. Neste momento comento, como é de se esperar em órgãos de imprensa virtual, como o GGN do Nassif, e bolgs nacionais como o Tijolaço do Fernando Brito. Um grande abraço a todos.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo29.3.16

    Espero que Max não tenha tomado muito glifosato, quando ele "sai" ele "avisa"!
    Zé Ruela

    ResponderEliminar
  15. Bandido5.4.16

    É uma pena ver o II a desaparecer...
    Estamos numa altura de mudança que é uma verdadeiro turbilhão e tudo está em aberto.
    Uma altura fantástica para ser estar vivo, para debater, reflectir, intervir.

    ResponderEliminar
  16. Até que ponto pode estar o dito glifosato na água engarrafada comercializada em Portugal? Sugestão para um post...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na água engarrafada, nos galões de 20 litros, sempre tem algum fungicida, ou são ozonizadas, por isso algumas pessoas tem cistitite, dores na bexiga e males similares, sempre em pequena escala, mas o mal há.

      Eliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...