30 outubro 2010

Dilma e o Diabo

Sempre comedida a campanha de Serra.

Desta vez é um vídeo que, com serenidade, analisa os possíveis cenários após a eleição de Dilma.
O título, Dilma Rousseff 2010, já deixa intuir algumas coisas. Mas é ao assistir às imagens que podemos perceber qual a verdade: o Brasil está à beira do Armageddon.

Aprendizes clarividentes, os apoiantes de Serra confeccionaram um filme que não deixa dúvida: Dilma não deixará pedra sobre pedra e, após ter destruído São Paulo,o seu objectivo será a aniquilação do Brasil inteiro. Violência descontrolada, isolamento internacional, guerra civil: são apenas algumas das consequências. Os capitais? Fugidos. O turismo? Já é história. Irão e Venezuela estão no futuro dos Brasileiros, e por os piores motivos.

Na prática, o Brasil deixará de existir tal qual hoje o conhecemos.
E Dilma poderá então abandonar-se à orgias sabáticas no topo de Pão de Açúcar, entre luxuria e gargalhadas.
Esta última parte não é presente no vídeo, mas representa o seu óbvio desfecho.

Agora ficamos à espera da próxima curto-metragem na qual, provavelmente, será mostrada a altura em que Dilma assinou o pacto com o Diabo.



Ao que parece, o vídeo foi posto no site oficial da campanha de José Serra mas, após poucas horas, foi retirado.
Pena, pois bem demonstra a espessura da candidatura do PSDB.

Só um reparo: o título não deveria ser "Dilma 2012" mas "Boomerang".

Ipse dixit.

O Esquema Ponzi

Bill Gross
A Pimco é uma empresa privada dos Estados Unidos.

Com sede em Newport Beach, Califórnia, e escritórios em New York, Londres, Hong Kong, Tokyo, Munique, Zurique, Amesterdão, Toronto, Singapura, e Sidney, a Pimco é apenas o primeiro gestor mundial de fundos, com um portfolio avaliado em 500 biliões de Euros (dados de Outubro de 2010).

Quando Bill Gross, fundador e administrador da empresa, fala em Esquema Ponzi para descrever a dívida pública dos Países ocidentais, bom, se calhar é uma boa ocasião para ficar a ouvi-lo.

Porque é que Bill Gross está triste hoje? 

Quarta-feira é o dia em que a Federal Reserve vai anunciar um novo compromisso, o Quanitative Easing 2 (QE2), uma maneira disfarçada de dizer "imprimir notas"... O anúncio de Quarta-Feira é um pouco como um peru que espera ansiosamente pela Acção de Graças.
O QE2 é parecido com um esquema Ponzi

Imprimir um trilião de Dólares não é bom para os investidores mundiais: é inflacionário e, em verdade, é algo do tipo "Esquema Ponzi". 
Uma afirmação forte 

A dívida pública, na verdade, sempre teve características do tipo Ponzi.
Com certeza, os EUA têm, por vezes, pago a própria dívida nacional, mas havia sempre a hipótese de que, enquanto era possível encontrar novos credores para comprar os novos títulos de Estado e renovar os velhos Títulos, o jogo podesse continuar para sempre.
Os Países soberanos sempre reconheceram implicitamente que a dívida pública existente nunca seria paga, porque o crescimento constante teria permitido a prosperidade futura e pagar as finanças de hoje.
 
E a coisa complicas-se: 

Agora, porém, com um crescimento em dúvida, parece que a Fed levou o esquema Ponzi um passo em frente.  
Em vez de simplesmente pagar a dívida com as receitas dos credores do sector financeiro (bancos, companhias de seguros e gerentes de investimento, só para citar os mais significativos) a Fed agora junta-se à festa. Ao invés de orquestrar o jogo a partir "de fora", saltou nas águas com os outros nadadores.
Um trilião e meio foi imprimido em 2009, e um trilião é esperado agora.. A Fed, na verdade, diz agora aos mercados para não se preocuparem com o nosso deficit, ela será o comprador com o dinheiro imprimido. Não há necessidade, como no esquema Ponzi, de encontrar uma quantidade crescente de investidores no futuro, será ela que preencherá os cheques. 

Eu pergunto: já houve um esquema Ponzi tão descarado?  
Não, este é tão único que requer um novo nome. Eu chamo-lhe um esquema de Sammy, em homenagem ao Tio Sam e aos políticos (bem como os cidadãos), que nos trouxeram até este momento crítico.  
Não é um esquema de Bernanke, porque esta é sua única alternativa e ele não compartilha a responsabilidade da sua origem.  
É um esquema de Sammy: você, eu e os políticos que elegemos a cada dois anos merecemos toda a culpa.

Mas o que é afinal um esquema Ponzi?

Ainda bem que existe Wikipedia, assim é só fazer copy/paste:

Esquema Ponzi
Um esquema Ponzi é uma sofisticada operação fraudulenta de investimento do tipo esquema em pirâmide que envolve o pagamento de rendimentos anormalmente altos ("lucros") aos investidores, às custas do dinheiro pago pelos investidores que chegarem posteriormente, em vez da receita gerada por qualquer negócio real. O nome do esquema refere-se ao criminoso financeiro italo-americano Charles Ponzi.

Os esquemas Ponzi oferecem aos investidores grandes juros num curto período, e o sistema pode funcionar apenas a curto prazo, tudo dependendo da quantidade de novos investidores que integrem o negócio.
O sistema Ponzi degenera sempre em bancarrota, já que a maioria esmagadora dos investidores perde todo o seu dinheiro. As características típicas da propaganda para recrutar novos investidores são:
  • Promessa de altos rendimentos a curto prazo.
  • Obtenção de rendimentos financeiros que não estão bem documentados.
  • Dirigido a um público não financeiramente esclarecido.
  • Um único promotor ou uma única empresa.
Torna-se evidente que o risco de investimento nas operações que fazem uso desta prática é elevadíssimo. O risco é cada vez mais alto ao crescer o número de subscritores, já que cada vez se vai tornando mais difícil encontrar novos seguidores.
Em muitos países, esta prática é um crime.


Fontes: Plimco Financial Times Alphaville, Wikipedia
Tradução: Informação Incorrecta

29 outubro 2010

Da Democracia - Parte II

A Democracia é hoje vendida como uma necessidade.

As antigas ditaduras falharam: falar ainda de fascismo ou de comunismo é um anacronismo. Hoje em dia o controle pode ser efectuado com armas mais eficazes.

Com o fim de melhor dominar as massas, é preciso convence-las de ser livres, de poder decidir o próprio destino.
A farsa do voto democrático é simplesmente isto: formar uma espécie de governo, expressão da vontade popular, que possa implementar as decisões tomadas por outras forças além daquelas representadas no parlamento.

Hoje somos chamados a escolher entre duas posições aparentemente diferentes, eleger pessoas que afirmam representar "o novo" enquanto são perfeitamente integradas no sistema, muitas vezes há décadas.

As políticas que são realizadas são sempre as mesmas, funcionais aos grandes centros de poder financeiro, centros de poder que preferem aqueles movimentos que se apresentam como "progressistas": porque é evidente que certas medidas que afectam o cidadão são mais facilmente implementadas por aqueles que pretendem fazê-lo "em defesa das camadas mais desfavorecidas da sociedade".

Os governos de esquerda são, de facto, os que podem mais facilmente implementar os programas de "direita", como as mais recentes experiências em terras portuguesas mostram claramente.

A propaganda do "sagrado direito e dever de votar" fez o resto, e o sistema democrático provou ser o mais funcional para os objectivos das oligarcas, que continuam a governar imperturbáveis enquanto os "eleitores" estão demasiado ocupados a discutir se for melhor o partido verde ou o amarelo.

Mas, no fundo, palavras como esquerda e direita são chamarizes sem sentido.
Somos chamados a expressar uma preferência entre os dois "lados", mas não é uma verdadeira escolha.
Como preferem ser torturados? Com a electrocussão ou com um alicate?
Direita ou esquerda?

O importante é que as pessoas não possam reparar na operação, e fiquem assim calmas na convicção de manter o poder.

Como já realçámos no artigo O Pior Inimigo, este é um sistema genial.
Reprimir as vozes dissidentes afinal é contraproducente, muito melhor deixa-las desabafar na indiferença geral.

O actual sistema joga com os medos atávicos das pessoas.
E um em particular: o medo do desconhecido.

Afirma Henry Kissinger:
O que cada homem teme é o desconhecido. Quando essa situação ocorre, abdicamos voluntariamente dos nosso direitos individuais para garantir o bem-estar garantido pelo governo mundial
Sem um poder central, o que impediria aos homens de matar-se uns aos outros?

A segurança pessoal é a principal razão pela qual ao longo dos séculos os seres humanos aceitaram a autoridade.
É um dar para receber, os cidadãos oferecem algumas das suas liberdades em troca da "segurança".

Consideramos isto: numa sociedade sem um governo central, nem polícia, os homens realmente matariam os seus similares? O mundo ficaria transformado numa espécie de inferno?

Todos, alguns mais do que outros, tendemos a acreditar nisso, mas esta não pode ser apenas propaganda, espalhada pelos governantes para justificar o próprio domínio?

A ideia que os poderes, ao longo de milhares de anos, têm difundido é que os homens são cruéis animais selvagens quando deixados livres; e por isso é necessário um governo autoritário, que proteja os próprios súbditos (tal como Hobbes ensina).

A ideia básica é "o Homem não é capaz de ser livre."

Os resultados:
  • Aqueles que assumiram a tarefa de "domar" os homens (as "bestas selvagens") foram os maiores criminosos da história, os promotores de todas as guerras e de todos os genocídios.
  • Ao alimentar esta teoria e ao dar os piores exemplos, têm aproximado os homens a esse ideal (negativo) que eles próprios tinham criado.
Fomos vítimas da propaganda ao longo dos tempos?

É esta uma degeneração do sistema democrático?

Depende do ponto de vista. Na óptica da classe dominante a resposta é "não". a democracia esta a funcionar nos melhores dos modos.

Será este o inevitável desfecho de qualquer regime democrático?

Provavelmente sim. A democracia favorece os políticos, os burocratas, os conciliadores. Numa palavra: os medíocres. As pessoas com fortes convicções são muitas vezes vistos como fanáticos, extremistas, e a tendência é de uniformizar as várias componentes da sociedade democrática.

Mas permanece uma pergunta fundamental: pode existir uma alternativa?

28 outubro 2010

Duas notas

Breves notas: em Poortugal foi publicado um novo artigo acerca da situação portuguesa, além de ter sido re-editado o "Saldos de Outono".

Entretanto aconselho os leitores, e em particular os brasileiros, a ler os recentes artigos publicados nas páginas de Evoluindo Sempre: podem encontra algo de interessante acerca da economia e da finança do Brasil, nomeadamente Bolha Especulativa Brasileira Vai Explodir - Brasil escravo dos Illuminatis e A feitiçaria finaceira brasileira - Superávit recorde é mentira!  

Podiam faltar os Illuminati? Estes fulanos são um autentico pesadelo...


Saldos de Outono



Mas como?
Mora em Portugal e nem fala da crise orçamental? E das consequências?
Mas afinal que raio de blog é este?

Opá, meus senhores, em verdade não aconteceu nada de especial, ainda não foram tomadas decisões definitivas. Juro!
Mesmo assim, vamos fazer um breve resumo para quem não mora neste cantinho do mundo. E que os leitores não Portugueses tenham paciência, este artigo tratará de "crónica local".


Wall Street e Main Street

Dissemos isso várias vezes: a economia real é uma coisa, a Bolsa é outra.
Infelizmente.

A Bolsa deveria ser o espelho do que se passa na economia dos Países. Uma olhada e deveria ser fácil "medir o pulso" da situação. Não só: as Bolsas poderiam funcionar como indicadores acerca do futuro próximo, isso devido à intrínseca capacidade de antecipar as tendências.

"Deveria", "Poderia"...de facto esta é a teoria, mas podemos tranquilamente esquece-la.

Da Democracia - Parte I



Vivemos em democracia.

A maioria dos Países do mundo são democracias; com várias nuances, mas todas baseadas no mesmo conceito: δῆμος (démos), povo, e κράτος (cràtos), poder, e significa governo do povo.

A invenção é antiga, apareceu na Antiga Grécia por volta do 500 antes de Cristo. Mas, além das experiências grega e romana, ficou como curiosidade ou pouco mais até o final do 1700.
A partir de então começou a renascer, antes nos círculos dos intelectuais (Rosseau, Mill), a seguir nas massas e, após a Segunda Guerra Mundial, como forma de governo predominante.

Hoje é natural viver numa democracia, e costumamos olhar com um misto de comiseração e pena para aqueles Estados que ainda estão agarrados a conceitos como o totalitarismo ou a monarquia não constitucional. Mesmo assim, constituem excepções destinadas a desaparecer para dar lugar a novos regimes democráticos.

Nem sequer há sérias discussões acerca de possíveis alternativas: presente e futuro devem ser democráticos, ponto final.

Este é um erro típico da nossa sociedade arrogante: assim como esquecemos que haverá uma ciência do século XXII, do XXIII e assim por diante, da mesma forma não consideramos o facto que no futuro poderão surgir novos regimes políticos.

O que seria perfeitamente natural.

A democracia não é justa, pelo contrário.
Consideramos um caso limite, numa comunidade de 100 pessoas: 49 querem comer só vegetais, 51 só carne.
Como os últimos são a maioria, é implementado um governo democrático que subvenciona a compra de costeletas. E a vontade dos outros 49? No lixo.
É justiça esta?

Na verdade a democracia é um regime que satisfaz os desejos da maioria, não da totalidade do povo.

Dizia Lenin:
A democracia é um estado que legitima a subordinação da minoria à maioria, e é comparável a uma organização criada para o uso sistemático da força por uma classe contra outra, uma parte da população contra a outra.
E ao ir ainda mais atrás, descobrimos que já Platão tinha individuado os problemas da democracia:
Cada governo cria leis para o seu próprio proveito: a democracia faz leis democráticas, a tirania tirânicas, e da mesma maneira fazem os outros governos. E depois de ter feito as leis, eis que anunciam que o justo para os governantes identifica-se com aquilo que é, pelo contrário, o útil deles, e quem se afasta é punido conforme a lei é a justiça. É aí que reside, meu bom amigo, o que eu digo, idêntico em todas as polis, o útil do poder estabelecido. Mas, se bem me lembro, esse poder detém a força. Assim isso significa, para quem pode pensar, que, em qualquer caso o que é justo é sempre idêntico ao lucro do mais forte.

Nas palavras de Platão pode ser vislumbrada uma tendência hoje bem conhecida: a das democracia sa transformar-se em oligarquias.
Formada pelos termos gregos ὀλίγοι (oligoi), poucos, e ἀρχή (archè), poder ou comando, a oligarquia é o sistema de governo no qual quem manda é um restrito grupo de pessoas
A oligarquia é o verdadeiro rosto das modernas democracias.

A escolha que podemos fazer com o voto é, na realidade, uma escolha muito limitada: poucos partidos, (alguns dos quais sempre condenados à oposição), com políticos de profissão presentes no sistema ao longo de décadas.
Com a recente bipolarização da política dos Países ocidentais, a situação tornou-se ainda pior: agora a escolha só pode ser entre a área de esquerda (geralmente um partido ou movimento, em teoria, mais sensível aos assunto sociais) e de direita (mais a favor do livre mercado). 
Os restantes partidos não têm possibilidade de alcançar o número de votos suficientes para governar sozinhos; a única possibilidade é entrar numa coligação (e pesados compromissos) com um dos dois partidos maiores.

Assim, um sistema com dois partidos, gerido por políticos de profissão.

Por esquisito que pareça, costumamos definir isso como "democracia".

Ipse dixit.

Quanto custa... o taxi?

Apanhar um táxi.
É caro? Depende. Em algusn Países é caro, em outros nem por isso.
Vamos ver:

Baleias à beira da extinção

Recebemos e reencaminhamos para os nosso leitores:

Caros amigos,
Muitas baleias estão entre o 1/3 de toda a vida no planeta que está à beira da extinção. Governos estão se reunindo esta semana para considerar um plano ousado de proteger 20% dos oceanos e terra firme até 2020.

Nós só temos alguns dias e um chamado internacional poderá fazer a diferença. Clique para assinar a petição pelo plano 20/20 e encaminhe este alerta:

Hoje existem apenas 300 baleias francas do atlântico norte e 99% das baleias azuis já foram eliminadas. Estes majestosos gigantes estão ameaçadas de extinção e seu caso está sendo usado como exemplo repetidamente. Mas na realidade, um terço de todas as formas de vida no planeta estão à beira da extinção.

O mundo natural está sendo esmagado pela actividade humana, poluição e exploração. Mas existe um plano para salva-lo - um acordo mundial para criar, financiar e implementar áreas protegidas cobrindo 20% das nossas terras e mares até 2020. Agora mesmo, 193 governos estão reunidos no Japão para enfrentar esta crise.

Nós só temos 3 dias até o fim desta reunião crucial. Especialistas dizem que os políticos estão hesitantes em adoptar um objectivo tão ambicioso, mas que um clamor público mundial poderá fazer a diferença, mostrando aos governantes que os olhos do mundo estão sobre eles. Clique para assinar a petição urgente e encaminhe este email amplamente - a mensagem será entregue directamente para a reunião no Japão:

27 outubro 2010

O pior inimigo

It doesn't matter if we all die
Ambition in the back of a black car
In a high building there is so much to do
Going home time, a story on the radio
(The Cure, One Hundred Years)

Entre os bons e idos jornalistas deste cada vez mais Velho Continente, Indro Montanelli ocupa um dos melhores lugares. 
Ele costumava ter uma foto de Stalin na própria mesa de trabalho. Quando perguntado acerca do porquê, ele respondia que sentia falta dos tempos em que havia um homem contra quem lutar. 

A solução


Excerto dum novo programa da televisão portuguesa.

Já o programa em si é um triste exemplo da involução que parece afectar a espécie humana, mas ainda pior é o facto dum dos principais diários deste País ter inserido a queda da condutora nas notícias da primeira página da versão on line, com o título de "Vídeo hilariante".

Não é hilariante, é deprimente. Ver pessoas adultas nestas condições é simplesmente deprimente.

Agora, a condutora faz isso pela módica quantia de 35.000 € mensais: mas as duas senhoras vestidas de cão?
A resposta é: fazem isso porque este é um programa onde os concorrentes que ganham as provas vêm as próprias contas pagas pela emissora.

Sim, este é o prémio do novo programa.
A ideia é a seguinte: venha na televisão, faça de parvo, actue como um parvo, cobra-se de ridículo, rasteje, salte, faça o palhaço. E nós vamos pagar-lhe as contas.

Já disse e repito: começo seriamente a ver a nossa extinção qual única solução.

Quanto custa...a gasolina?

Pois é, a gasolina.
Quanto custa a gasolina nos vários Países do mundo?

Eis a resposta:

26 outubro 2010

O Novo Monopólio


 "Jogo breve: um jogador é nomeado banco. E ganha."

 Fonte: Informazione Scorretta

Terrorista Made in USA

É grande, feia e má, terrivelmente má!

Não, não é Angela Mekel. Falamos de Al-Qaeda, a mãe do Terror, o Berço de Todo o Mal, a Ruína da Humanidade, etc., etc.

O grupo liderado pelo ex agente da CIA, Bin Laden, é considerado o responsável dos piores ataques terrorista das últimas décadas: não só 11 de Setembro, mas muito mais.

Mas ainda mais importante do que isso, por quanto perturbador possa ser, é a actividade de divulgação que "A Base" (este é o nome traduzido do grupo) leva em frente. É com o proselitismo que Al-Qaeda recruta novos ferventes apoiantes dispostos a fazer qualquer coisa em nome de Allah.
E um papel fundamental é desenvolvido pelas mensagens mediáticas.


O salto

Passei a minha adolescência sem o telemóvel e não lembro quando enviei o meu primeiro sms, mas com certeza tinha mais de 18 anos.

Entre os meus pares, na altura, fui entre os últimos a adquirir o "precioso" aparelho: a idéia de ser rastreado em cada momento do dia parecia perturbadora, além de incómoda. 

Para aqueles que nasceram na segunda metade da década de 80, pode parecer difícil de conceber, mas ainda 10-12 anos atrás havia muitas pessoas poucos entusiastas com esta nova tecnologia.
Afinal sempre tinha sido possível viver sem telemóveis, e não era nada impossível imaginar a vida sem eles.

A corda

Aperta o cerco aos Países da União Europeia com problemas de deficit.
Já referimos das multas propostas.

Mas agora há mais: a Alemanha e a França querem suspender o direito de voto para quem não consegue pôr em ordem (e depressa) as próprias contas.

Afirma o ministros das Finanças da França, Christine Lagarde: 
Reforçar os mecanismos de sanção é uma forma de reforçar a estabilidade

Somos quase 20.000!

Queridos leitores de Informação Incorrecta,

em primeiro lugar um grande obrigado: a média das visitas atingiu as 200 visitas diárias (dados Google Analytics), por um total de 17.024 visitas desde a abertura do blog e 26.455 páginas visitadas; o que, considerada também a involuntária paragem de Agosto (Blogger maldito...) não é nada mal para um blog com 6 meses de vida e que trata de assuntos um pouco "pesados".

Não é uma auto-celebração: acho ser mais um (agradável) dever o facto de agradecer quem aprecia o trabalho do blog e continua a segui-lo.

Afinal, o que seria este blog sem os leitores? Seria inútil.

Também é verdade outra coisa: o que seria do vosso dia sem poder ler Informação Incorrecta? Um dia triste e cinzento... :)


A seguir: a intenção é melhorar constantemente o serviço oferto, por isso se existirem assuntos que querem ver desenvolvido é só escrever.
Podem fazer isso de duas formas:
  • deixando uma mensagem no espaço dos comentários
  • escrevendo ao mail do blog (informacaoincorrecta@gmail.com)

Neste último caso seria bom especificar se o vosso desejo é de ver publicado o texto do mail ou se, pelo contrário, a coisa tem que ficar entre nós.

Nada mais? Não, nada mais.

A não ser, outra vez: Obrigado!

Ipse dixit.

25 outubro 2010

Quanto custa...internet?

Quanto custa?
O quê?
Tudo!
E onde?
No mundo!

Ok, vamos com ordem.
Uma das minhas curiosidades sempre foi: mas quanto pode custar o mesmo objecto nos vários Países do mundo. Um objecto qualquer, não importa qual.

Ora bem: a partir de hoje vamos publicar algumas tabelas com os preços do mesmo tipo de objecto adquirido em varias partes do globo.

Hoje começamos com internet.
Vamos analisar o custo mensal, em Euro, duma ligação internet, ADSL, com 2 Mega de velocidade.

A retoma, pois, a retoma...

Estados Unidos numa guerra civil?

Não seria a primeira vez. Mas por enquanto a perspectiva não parece iminente.
Todavia é sintomático o facto duma revista conceituada como Time dedicar espaço ao assunto.

Vamos ler um artigo de Prison Planet:

A conversão de Ferreira Gullar



Voltamos aos acontecimentos eleitorais no Brasil.
Desta vez quem fala é um escritor, Ferreira Gullar.
Eis a entrevista publicada hoje nas páginas do diário português Público. Comprida, eh? Pois é.

Lula comprou os pobres do Brasil

Publicou um texto chamado “Vamos errar de novo?”, a apelar ao voto em José Serra. Não faz parte de nenhum partido. Porque sentiu necessidade de intervir?

Como cidadão, não só tenho o direito como o dever. Sempre participei politicamente.

É uma eleição bastante importante. Pode significar uma mudança para o país e ter consequências sérias.

Há quem ache o contrário, que nada de essencial se vai alterar, seja quem for que ganhe.

[Batendo com a mão na mesa] A permanência do PT no poder é uma ameaça à democracia brasileira. Está vendo o que acabou de acontecer? Espancando o Serra!

Foi um rolo de papel [atirado à cabeça de Serra num passeio de campanha].

Ah, não, isso é o que o Lula diz. Não acredito no Lula, é um mentiroso.

Illuminati: uma crítica


Pela série "Artigos que um blogger inteligente nunca deveria escrever para não ser submergido de críticas e perder leitores", eis algumas considerações pessoais acerca dos Illuminati.

Em primeiro lugar: não vou aqui fazer um relato pormenorizado do fenómeno dos Illuminati, pois na internet é facílimo encontrar montes de material acerca deste assunto. Mesmo no BlogRoll ou nos links de Informação Incorrecta não faltam ligações úteis neste sentido.

Por isso: síntese extrema.

E começamos com algumas perguntas:

24 outubro 2010

O pântano

Para entender como está a Nato no Afeganistão apenas dois episódios que ocorreram esta semana.


1. O amigo Irão

Segunda-Feira houve em Roma, Italia, a reunião dos representantes dos 45 Países que ocupam aquele País. 

Inesperadamente, houve também um iraniano do establishment, Ali Oanezadeh, para o qual os Americanos mostraram uma invulgar cordialidade.  
No final Richard Holbrooke (conselheiro especial do presidente Barack Obama e da Segretária de Estado Hilary Clinton) disse:
Reconhecemos que o Irão tem um papel para desenvolver com o objectivo de encontrar uma solução.  
Mas como? O Irão não era um dos três Países do Eixo do Mal, um dos Estados Sacanas, violador de direitos humanos?
E a pobre Sakineh, no fundo culpada só de ter feito matar o marido? 

23 outubro 2010

Inqualificável violência no Brasil

A campanha eleitoral no Brasil acaba de chegar a um ponto de viragem: a violência entra em campo e derruba o papel principal da política. 

O impensável aconteceu: ao longo duma manifestação pública para promover a própria candidatura, José Serra foi atingido por um objecto que só por sorte não provocou danos permanentes.
Ainda não é conhecida a natureza do objecto, mas os apoiantes de Serra acreditam tratar-se de algo com pelo menos dois quilos de peso.

Nas seguintes imagens podemos ver o momento exacto do incidente, com Serra que, após ter sido brutalizado, consegue sair do local e, mesmo em evidente sofrimento, afasta-se.
A seguir foi visitado por um veterin...ehm, médico que, constatado o profundo trauma, não prescreveu nada.
Esquisito médico brasileiro...
 
Dada a natureza das imagens, aconselhamos a visão a um público bem-disposto.




Horrorizados? Acredito que sim.
É impossível, ao ver estas imagens, não lembrar dum outro atentado, muito parecido na dinâmica:


Pois: Dallas, 1963.
E não podemos não lembrar algumas "estranhas" coincidências:

- Kennedy foi atingido numa Sexta-Feira
- Serra também.

- Kennedy foi atingido na cabeça.
- Serra também.

- Kennedy a seguir foi para o hospital.
- Serra também.

- Kennedy ficou sem parte do cérebro.
- Serra também, embora este seja um problema mais antigo.

Impressionante.

Mas o que atingiu o candidato?
Não sabemos pois o objecto desapareceu.

Nas imagens é possível ver um objecto que voa, não identificado.
Por isso, só podemos afirmar que Serra foi atingido por um objecto voador não identificado. Um Ovni, de facto.

A redacção de Informação Incorrecta, ao condenar este acto inqualificável, faz votos para que José Serra possa recuperar de forma rápida dos ferimentos exteriores e do trauma interior.  

Ipse dixit.

22 outubro 2010

Porque sempre os piores?

Um artigo acerca dos seres humanos. Dos piores seres humanos.

Quem? Quem manda.

De facto o artigo em questão parte dum pressuposto que deixa a desejar: quem manda, afinal, são sempre os piores elementos da raça humana.

Discordo, não é bem assim.

Todavia são presentes observações interessantes.
E, ao reflectir, podemos chegar à conclusão que não sempre quem manda é o melhor exponente da Humanidade. 
Aliás, isso acontece só às vezes. 
Ou melhor, raramente. 
Muito raramente. 
Quase nunca.

Psicopatas e poder

Cada ser humano carrega virtudes e defeitos, a sua alma é o resultado duma alquimia especial, na qual coexistem o bem e o mal, criando um equilíbrio que, segundo os vários casos, favorece um o outro aspecto.

É  este o equilíbrio em direcção ao qual os seres humanos procedem quando estão numa comunidade para conseguir uma convivência pacífica, pois a coexistência pacífica é a única que garante um maior benefício para o indivíduo.


Esta é uma questão prática, antes mesmo de moral, cooperar com os outros traz benefícios a todos, beneficia o indivíduo, beneficia a comunidade.


Essas considerações, porém, parecem ser refutadas por uma simples observação dos eventos que caracterizam a história da humanidade por milénios.


Guerras, opressão, saques, ódio e intolerância são uma constante na evolução da civilização humana.

Uma aparente contradição, portanto.


Mas com uma análise mais próxima, após uma observação mais pormenorizada dos acontecimentos históricos, podemos descobrir como ao longo dos séculos foram sempre grupos de poucas pessoas
que determinaram o curso dos eventos, grupos de pessoas com um poder especial ou carisma, capazes de arrastar as multidões e faze-las participar nos seus planos de dominação.

A grande questão daqueles que estudam os processos do passado e do presente deveria ser a seguinte: porque são sempre os piores membros da raça humana que estão no poder?


Podem mudar as formas de governo, a estrutura da sociedade, a cultura ou o nível de riqueza colectiva: mas, em qualquer caso, são sempre os piores que mandam.


Pessoas que preferem a violência antes da convivência pacífica, e empurram multidões para massacres destrutivos e irracionais.


Pessoas aparentemente sem sentimentos, sem consciência, prontos para a guerra e ao sacrifício de milhões de homens para alcançar os próprios objectivos.


Aparentemente sem qualquer sentimento.

Aparentemente?

Este é o verdadeiro coração da questão.

 

Desordem ou vantagem?

De fato, há pessoas que não têm tais sentimentos, típicos dos seres humanos, sentimentos como a empatia, a capacidade de sentir compaixão, o instinto de proteger os mais fracos, a solidariedade.


São sentimentos tipicamente "humanos".


No entanto, existem indivíduos que ignoram estes sentimentos.


A psicologia moderna descreve esta condição como uma doença, e cataloga as pessoas que sofrem disso no seio da família dos psicopatas.

Mas o que para a psicologia contemporânea é classificado como uma desordem, dentro da nossa sociedade torna-se uma grande vantagem.


Devido à impossibilidade de provar qualquer sentimento de compaixão, sem qualquer escrúpulo moral, de fato o psicopata tem tudo para subir os degraus da hierarquia social, uma hierarquia estruturada de tal forma a facilitar a subida dos que são sem escrúpulos .


O Dr. Kevin Barrett, no seu
Twilight of the Psychopaths [O Crepúsculo dos Psicopatas, título lindíssimo! NDT] resume:
Os psicopatas têm desempenhado um papel preponderante no desenvolvimento da civilização, porque prestam-se mais facilmente a mentir, matar, roubar, torturar, manipular, e geralmente causam grande sofrimento a outros seres humanos, sem sentir qualquer remorso, a fim de estabelecer o próprio sentimento de segurança através da dominação. [...]

Quando compreendermos a verdadeira natureza da influência do psicopata, que é desprovido de consciência, emoções, egoístas, frio computador, sem qualquer ética ou norma moral, ficamos horrorizados, mas ao mesmo tempo tudo de repente começa a fazer sentido.

A nossa sociedade está cada vez mais sem alma, porque as pessoas que mandam e dão o exemplo são sem alma, literalmente não têm consciência.

No seu livro Political Ponerology, Andrej Lobaczewski explica que os psicopatas clínicos desfrutam dos benefícios das vantagens mesmo não de forma violenta durante a subida da hierarquia social.

Isso acontece porque eles podem mentir sem remorso (e sem a presença do indicador de stress fisiológico que é detectado pelos testes do polígrafo), os psicopatas podem sempre dizer o que você precisa para conseguir o que querem.


Uma minoria potente

Os psicopatas representam uma minoria dentro da sociedade, mas têm uma grande vantagem sobre a maioria.

Conscientes da própria diversidade, usam isso para manipular pessoas à sua volta e para chegar a posições de dominação.


No fundo, onde uma pessoa honesta, em média, pararia, antes dum compromisso com a própria consciência, a traição, a corrupção, os psicopatas podem ir em frente sem hesitações, e portanto não há obstáculos nos corredores do poder.


Acontece assim que a civilização humana ao longo dos séculos é guiada pelos piores representantes, enquanto as pessoas ignorantes são estimuladas a expressar as potencialidades destrutivas.


E numa sociedade onde os líderes demonstram através das suas acções que é somente através do engano e da astúcia que é possível alcançar o sucesso, as classes que compõem as camadas mais baixas tendem a imitar o comportamento daqueles que os precedem, trazendo a própria civilização num inevitável decadência.


O que é necessário hoje, como nunca antes, é entender o mecanismo pelo qual os psicopatas são capazes de subjugar os seres humanos, entender que são pessoas que pensam e sentem duma forma fundamentalmente diferente do resto da humanidade, capazes de actos inimagináveis para um homem comum.


Só ao saber como eles funcionam, podemos ter a esperança de despertar a humanidade do feitiço pelo qual é actualmente dominada.

O verdadeiro problema é que o conhecimento de psicopatia e de como os psicopatas governam o mundo tem sido efectivamente escondido.

As pessoas não têm o mínimo conhecimento de que necessitam para fazer uma verdadeira mudança de baixo para cima.

Repetidas vezes, ao longo da história, acabamos com o servir o novo patrão, idêntico ao antigo patrão.

Se houver um trabalho que merece esforços e dedicação a tempo inteiro para o bem final de ajudar a humanidade nestes tempos de escuridão, este é o estudo da psicopatia e a propagação das informações o mais depressa possível.

Fonte: Nexus

O (quase ex) motor da economia mundial


O gráfico mostra o "peso" dos Países do G7 ( Estados Unidos, Canada, França, Alemanha,, Italia, Japão, Grã Bretanha) na economia mundial.
São presentes 3 linha: a branca indica a economia G7 em conjunto, a azul a economia dos EUA, a vermelha a economia chinesa. E não é só uma impressão: das três, só uma está em subida, a chinesa.
Os valores são apresentados em Dólares e a partir de 2009 reportam a previsões do Fundo Monetário Internacional (que também é o autor do gráfico).

No exterior: disparates

Os ministros das Finanças do G20 começaram as reuniões oficiais em Gyeongju, Coreia do Sul: e já começaram a refilar.
Normal: quando as coisas não correm bem é mais difícil entender-se. 

Sensação estranha

Algo de esquisito no ar. Como uma tensão.
Ao ler os vários blogs de quem fica atento à realidade, podemos reparar como a maioria destes estão a prever algo de sinistro, uma guerra.

Mesmo hoje, Evoluindo Sempre publica um artigo com um título bastante explicito, Observe!!! Crise e guerra..., no qual é presente uma série impressionante de sintomas que demonstram uma coisa simples: a situação é delicada e a sensação é que possa ser suficiente uma pequena faisca para desencadear um grande incêndio.

Em particular, a situação é pesada no Médio Oriente.
Aqui a impressão (e algo mais até) é que seja impossível ultrapassar o obstáculo sem um confronto directo. O que, dito em palavras simples, significa uma guerra.

iiNetWork, 2º vídeo: Giulio Tremonti, Anno Zero, 2008

O que é este iiNetWork agora?
Nada, "ii" significa Informação Incorrecta e "NetWork" é para dar a ideia que atrás haja coisas importantes... :)

Mas o que importa é o seguinte: eis o segundo vídeo de Informação Incorrecta.

Giulio Tremonti tem um bom curriculum. Professor universitário, vária vezes ministro da economia em Italia...enfim, uma pessoa que não tem problemas.
Então porque ir para a televisão e começar a falar de assuntos normalmente tabu?

A seguir o vídeo, traduzido e legendado após ter ficado doido para aprender a fazer isso...bom, afinal aprendi!


O vídeo pode ser encontrado no Canal de Informação Incorrecta no YouTube.

Aproveito também para agradecer todas as milhares...talvez não...centenas...nem por isso...dezenas...bah, as 3 pessoas que comentaram o meu primeiro vídeo.
É um prazer trabalhar e saber que alguém aprecia o nosso trabalho. Mesmo quando existirem aspectos que terão de ser melhorados.

Obrigado e boa visão!


Ipse dixit.

21 outubro 2010

Nato: um futuro difícil

No próximo dia 20 de Novembro, em Lisboa, haverá um encontro crucial para a Aliança Atlântica: 28 chefes de Estado irão reunir-se para aprovar o novo Strategic Concept, o terceiro desde o fim da Guerra Fria.

Na capital Português a tentativa será a duma redefinição da identidade duma aliança que tem sido capaz de navegar na fase geopolítica marcada por tensões entre o Oriente e o Ocidente, mas que agora parece ter dificuldades.

Um sério "renascimento" da Nato não é uma opção tão realista. 

Uma questão de idade

A síntese da reunião em Lisboa, provavelmente, irá realçar as incompatibilidades entre as diferentes posições: dum lado as dos EUA e daqueles que afirmar que Washington tem de ditar os rumos da Aliança (Reino Unido, Holanda e Dinamarca), do outro as defendidas pelas principais potências da "velha Europa" (França e Alemanha) e, finalmente, a linha seguida pelo clube dos Países da "nova Europa", com posições decididamente anti-Rússia.

Mensagem Promocional

Gilson Sampaio, do homónimo blog, pediu-me para escrever algo sobre a actual situação na Europa.
Na prática, a crise do Velho Continente vista por um Europeu.

E, com grande prazer, enviei-lhe algumas linhas que podem ser encontradas no blog acima mencionado. O título, escolhido por Gilson, é: E nós trocámos a nossa liberdade por um prato de lentilhas.

A propósito: Gilson cuida um blog interessante.

Na prática, vasculha a Web em busca de notícias. Contrariamente ao que fazem muitos (incluído eu), não elabora os textos, não sempre pelo menos: desta forma Gilson Sampaio (o blog entendo) fica como um grande quadro que é o retrato da nossa sociedade com os olhos de muitos autores.

Os assuntos? Podem ser intuídos ao ler a definição que Gilson fornece de si mesmo: "Sou um entre tantos brasileiros que se rebela contra a mídia manipuladora e venial". 

Aconselho.

Ipse dixit.

Fonte: Gilson Sampaio

20 outubro 2010

Saudável? Não: ainda não doente

O leitor questiona a autoridade? Não consegue aceitar a sabedoria convencional? Fica irritado ao ouvir um político fazer uma promessa que não pode manter?

Em caso afirmativo, de acordo com a última revisão do Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais (DSM), o leitor pode ser doente mental. Lamento ter que dar esta triste notícia, mas alguém tem que faze-lo.  

Estamos doentes. E muito.

Com esta nova revisão do Manual, os psiquiatras esperamos acrescentar dezenas de novos transtornos mentais.
Infelizmente, muitas das assim chamadas doenças têm como alvo pessoas que apenas pensam ou que têm uma atitude diferente da maioria da população.
 
Um caso exemplar é o "transtorno desafiador opositivo". O DSM define este transtorno como "um padrão persistente de comportamento desobediente, hostil e desafiador para as figuras da autoridade." Os sintomas incluem estar irritado, irritar as pessoas e ser susceptível. Outras "doenças" incluem o comportamento anti-social, arrogância, cinismo e narcisismo.  

Afinal parece que uma boa percentagem dos que frequentam este blog, autor incluído, é um doente mental. Como foi possível para nós ir em frente até hoje sem ajuda é um mistério.
 
Embora o diagnóstico das "vítimas" do "transtorno desafiador opositivo" é focalizado maioritariamente nas crianças, não há razão para que este não possa existir nos adultos. 
De facto, descobrimos que o "transtorno desafiador opositivo" pode evoluir até tornar-se "transtorno de conduta", que o Manual revisto define como "aquele em que os direitos dos outros ou as normas sociais são violados."  
Oooohhh...assim, também a violação das "normas sociais" é agora uma doença mental.
 
Interessante...vamos resumir.

13.665.000.000.000 (!!!)

Um bonito dia de sol, sem greves ou manifestantes na rua (em Portugal): é só ligar internet para encontrar notícias engraçadas.


EUA: dívida de 13.665.000.000.000 Dólares

A dívida dos EUA atingiu o valor máximo de todos os tempos, a uma quota de 13.665 biliões de Dólares, isso é, mais 3.000 mil milhões de Dólares desde que o presidente Barack Obama tomou posse. É notícia da emissora CBS, que sublinha como durante o segundo mandato do ex-presidente George W. Bush a dívida aumentou de 4.900 biliões de Dólares.
A coisa agora tem um pouco de ridículo: estamos a falar da nação que é (ainda) o motor económico do mundo. E que, com estes novos dados, têm uma dívida que é igual ao PIB.
Dito de outra forma: em teoria a maior economia do mundo deveria trabalhar ao longo de um ano, sem gastar um cêntimos, apenas para pagar a dívida: nada de despesas, nada de serviços, tudo para poder apagar a dívida.

Mas também nos Estados Unidos há quem pense numa solução.

Federal Reserve: precisamos de 100 biliões por mês

Ao continuar no mundo do surreal, encontramos esta declaração do presidente da Federal Reserve Bank de Atlanta, Dennis Lockhart: o qual declara-se a favor dum novo quantitative easing (ou seja, dinheiro imprimido a partir do nada com as consequências que estamos a ver todos)

O QE2 (como é conhecido na gíria dos mercados internacionais) "pode ter algum efeito positivo", mas "tem de ter um valor bastante elevado para fazer a diferença," disse Lockhart numa entrevista na CNBC.

E concluiu assim:
Algo na ordem de 100 biliões de Dólares por mês seria óptimo
Sim, porque não? Mais mil, menos mil...afinal é só ligar a impressora e as notas começarem a sair.

E para acabar:


China: Pequim ameaça exportação de "terra raras"

A China planeia restringir ainda mais as exportações dos minerais preciosos chamados "terras raras", dos quais tem o monopólio com 95% da produção mundial. A notícia é relatada pelo jornal China Daily que cita um alto funcionário do Ministério do Comércio.

Este seria a segunda redução nas exportações no ano, alguns dias depois do anuncio segundo o qual os Estados Unidos estão a investigar para determinar se a quota de exportação é uma prática proibida pelo Acordos globais sobre o comércio (Wto).

 
Tudo bem: mas afinal o que são estas "terras raras"?

As terras raras são essenciais para a produção de motores eléctricos para automóveis, turbinas eólicas, baterias de lítio, computadores e muito dos acessório informáticos e são amplamente usados na produção de armamentos.


Segundo o funcionário citado pelo China Daily, Chao Ning, a China tem reservas limitadas e está preocupada com as necessidades da indústria nacional.


De facto, Pequim está a ameaçar a restrição à exportação dos 17 minerais raros que servem para o nosso telemóvel, iPod, PlayStation Portable, o ferro de engomar com receptor GPS integrado (para saber onde o leitor vai com o ferro), a máquinas de café ligada a Internet e outros acessório deste tipo.

Preocupados? Eu não muito: afinal já agora é tudo Made in China



Fonte: Informazione Scorretta

Dilma, Serra, EUA, CIA e Joana d'Arc

Falta pouco para as eleições no Brasil: será o rush final entre Dilma e Serra.

Desafio complicado, pois em causa não estão só os próximo 4 anos mas muito mais. 
Os dois candidatos personificam duas visões diametralmente opostas que podem mudar o rumo da política interna e externa do Brasil; a importância da escolha ultrapassa os confins brasileiros e abrangem o futuro geopolítico do inteiro continente sul-americano.

19 outubro 2010

União Europeia, uma estúpida história

As Mentes Brilhantes da União Europeia hoje estão em grande. Um blogger não acaba de escrever algo que eles, zac!, outra ideia luminosa.

Antes a notícia, que já com o título provoca gargalhadas:

Bruxelas propõe a criação de IVA europeu para financiar orçamento da UE

A Comissão Europeia pôs hoje sobre a mesa várias opções para criar novas fontes de financiamento para o orçamento da União Europeia e reduzir as contribuições dos Estados nacionais, entre as quais a criação de um IVA (imposto sobre o valor acrescentado) europeu.

O golpe de estado na Europa

A Comissão Europeia acabou de aprovar uma directiva que multa os Estados da Zona Euro de 0,2% do PIB se não se conformar aos parâmetros do Pacto de Estabilidade (deficit de 3% do PIB e dívida de 60%), os parâmetros que foram pensados especificamente para paralisar os governos na tarefa de criação de riqueza para os cidadãos, e para destruir os mercados europeus dos quais dependem as nossas famílias para trabalhar e viver.

França: gás lacrimogéneo e bastões

Uma breve nota e uma actualização.

A nota

A nota é a seguinte: além de Kafe Kultura, Mário Nunes é autor de outro blog, Espaço Aberto - Uma Nova Miranda. É um blog que trata de assunto regionais, mas nele podemos hoje encontrar uma notícia que vai além do local e constitui ao mesmo tempo um claro sintoma da difícil situação na qual mergulhou Portugal.
Falamos do caso do Metro do Mondego. Ou melhor: do ex Metro.

Do assunto tratámos também em Poortugal, mas em Espaço Aberto podem encontrar muito mais pormenores.


A actualização

É constrangedor observar o silêncio que os media dedicam ao que se passa na Europa.
Fui ver agências de notícias de Portugal, França, Italia, Espanha...e todos falam do dia de hoje como dum teste importante para o presidente francês, Sarzkozy.

Mas a verdadeira notícia é outra e surge relatada pelo diário português Público (quem diria?): em França há choques entre policia e manifestantes,

França está "em pé de guerra" devido à sexta jornada de greves e manifestações 

A polícia de choque tem estado hoje a recorrer a gás lacrimogéneo e a bastões nos seus confrontos com os manifestantes franceses, alguns deles estudantes do ensino secundário.
Numerosos sectores da economia estão a ser afectados, pela sexta vez em menos de dois meses, por greves e manifestações contra o aumento da idade de reforma preconizado pelo Presidente Nicolas Sarkozy para entrar em vigor dentro de oito anos. O país encontra-se em “pé de guerra”, segundo escreve a edição online do jornal “Libération”.
O tráfego aéreo encontra-se fortemente perturbado pela adesão dos controladores aéreos à greve geral, tendo sido anulados metade dos voos previstos para o aeroporto parisiense de Orly e 30 por cento dos voos para os demais aeroportos da França. Pelo menos oito voos de Lisboa e Porto para a capital francesa foram cancelados hoje, segundo informações disponíveis na página na Internet dos Aeroportos de Paris e citadas pela Lusa.
O braço-de-ferro entre os sindicatos e o Governo está a atravessar uma fase crucial, marcada
pela falta de combustível em 2500 postos de abastecimento (20 por cento dos existentes) e pelo aumento de tensão nos liceus. A BBC já admitiu que ao fim do dia venham a ser 2600 as estações de serviço encerradas.

Um blog do jornal “Le Parisien” indicou que 379 liceus foram afectados pela contestação, enquanto o ministério da Educação dizia que 14 por cento das escolas primárias também tinham sido atingidas.
Esta sexta jornada nacional de mobilização prevê 277 manifestações em toda a França. Em Paris, o desfile com todos os líderes das oito centrais sindicais está marcado para as 13h30 locais (12h30 em Lisboa), com partida da Praça de Itália, em direcção aos Inválidos.
Sarkozy promete medidas para que ordem pública seja garantida

Em Deauville, na Normandia, à margem de uma cimeira franco-russo-alemã, Sarkozy disse ontem à noite que a alteração do sistema das reformas “é essencial”, não tencionando transigir perante os protestos populares.
Depois, já hoje, terminada a cimeira, o chefe de Estado anunciou que vai tomar medidas, nomeadamente contra o bloqueio das refinarias, e pediu a “responsabilidade do conjunto dos actores”.
“Compreendo a inquietação. Numa democracia, cada um pode exprimir-se, mas deve faze-lo sem violência e sem excessos. Efectuarei, ao regressar a Paris, uma reunião para desbloquear um certo número de situações, porque há pessoas que querem trabalhar e não devem ser privadas de combustível”, declarou Nicolas Sarkozy à imprensa.
“Verificarei com as forças da ordem que a ordem pública seja garantida. É esse o meu dever”, sublinhou.[...]
A Sociedade Nacional dos Caminhos de Ferro (SNCF) anunciou hoje de manhã que que estavam a circular 25 por cento dos comboios interprovinciais, 60 por cento dos comboios com saída ou destino de Paris, metade das composições de alta velocidade e todas as do Eurostar, com destino a Londres.

Os jornais não foram impressos ou distribuídos, devido à greve geral, permanecendo os quiosques fechados.[...]

Ontem, numa sondagem CSA, 71 por cento dos franceses manifestaram o seu apoio e simpatia à jornada de protestos que hoje iria decorrer; e durante a qual se têm estado a somar as críticas de esquerda às posições governamentais

Que dizer, temos um País da União Europeia em pé de guerra e quais são as notícias em destaque dos principais órgãos de informação?

Diário de Notícias (Portugal): Manuela Moura Guedes rescindiu contrato com a TVI 
El País (Espanha): Elena Salgado atesta a recuperação da confiança na Espanha  
The Guardian (Grã Bretanha): Sir Alex Ferguson enfrenta os media do mundo. Falará de Rooney?

Verdade, são notícias indispensáveis, em particular as de Manuela Moura Guedes e de Rooney. Mas enfim, talvez um pouco mais de espaço aos bastões da França...

Ipse dixit


Fonte: Espaço Aberto - Uma Nova Miranda, Poortugal, Público
Fotografias: Efe via Público.es

Pequenos sinais...

A propósito de dissecção Geopolítica Global , algumas notícias que é difícil encontrar nos media tradicionais.

Pequenos sinais...

EUA: Produção industrial, em Setembro queda de 0,2%

A produção industrial dos EUA em Setembro marcou uma queda inesperada de 0,2%. As estimativas eram de um aumento de 0,2%. A notícia é de Bloomberg.
 
A capacidade de utilização das industrias caiu para 74,7% desde 74,8 do mês anterior


 
Grécia: Precários ocupam Museu Arqueológico de Atenas

Os trabalhadores temporários do Ministério da Cultura ocuparam o Museu Arqueológico de Atenas, impedindo o acesso aos visitantes para protestar contra o não-pagamento dos salários e uma vaga de despedimentos.

A ocupação dum dos maiores museus arqueológicos do mundo segue a da Acrópole de Atenas, que recentemente obrigou ao fecho por quase três dias da colina sagrada. Os precários foram evacuados pela polícia, mas continuam ainda hoje em protesto embora sem impedir o acesso ao local.  


Bélgica: Greve ferroviária, a 350 km de filas nas estradas

O dia de greve dos funcionários das Ferrovias do Estado belga (SNBC) paralisou o transporte ferroviário na maior parte do território da Bélgica e afectou as conexões européias. 

Nas estradas da Bélgica, ao longo da manhã, formaram-se filas por um total de cerca de 350 km, também devido a pequenos acidentes ou colisões.

A greve de 24 horas paralisou o tráfego ferroviário nas curtas e longas distâncias, envolvendo também os comboios de alta velocidade Thalys.


França, reformas: em acção camiões, bloqueios nas autoestradas

Quando faltam 48 horas para a aprovação da reforma das pensões no Senado, entram em cena, em protesto contra a medida solicitada pelo presidente Nicolas Sarkozy, também os camiões. Bloqueios estradais impedem ou atrasam o tráfego nas estradas, principalmente na A1 e A6, as duas estradas que vão de Paris para o norte eo sul.

A "operação escargot" consiste em procissões de camiões que circulam a passo de caracol, o que torna impossível uma intervenção da polícia, mas criando enormes perturbações ao transito. Além disso, em várias artérias foram colocados blocos estradais e muitos veículos estão estacionados em frente dos postos de combustíveis, de modo a impedir o acesso.


Paris CDG: previsto cancelamento de 30%  dos voos, Orly 50%

Hoje, Terça-Feira, podemos esperar um dia particularmente difícil para os aeroportos de Paris devido ao bloqueio dos abastecimentos de combustível.

De acordo com fontes da Aviação Civil Francesa, é previsto o cancelamento de 30 por cento dos vôos no aeroporto de Paris, Roissy-Charles de Gaulle e mais da metade de todos os voos de e para Paris Orly.


Grande pequenos sinais ..


Strauss-Kahn: a recuperação está em perigo

Sem o "espírito de cooperação" entre as principais economias do mundo, a recuperação global será "em perigo".

Este é o aviso do director do Fundo Monetário Internacional, o socialista francês Dominique Strauss-Kahn, em Xangai para uma reunião com os principais bancos centrais.

Lembrando que a Ásia está "à frente da recuperação global", já que representa um terço do produto interno bruto mundial, Strauss-Kahn explica que "a colaboração é realmente o grande legado da crise, e a principal razão do porque a Grande Recessão não se tornou uma segunda Grande Depressão.

Na intervenção, Strauss-Kahn em seguida focaliza a questão das taxas de câmbio, denunciando os perigos associados aos grandes fluxos de capitais que estão a invadir a Ásia, e que "representam uma grande oportunidade para o continente, mas também um grande desafio.

O risco, de acordo com o Diretor do FMI, é o das taxas de câmbio ir para além do limite, e que, portanto, possa existir boom no sector do crédito, bolhas de preços e instabilidade financeira.

Pois.

Por outro lado, olhando para o gráfico do ouro em relação ao Dólar, é claro que o Dólar está a desvalorizar em relação ao único verdadeiro bem (por enquanto) que ainda detém poder de compra: o ouro.
 
 
Talvez Strauss Kahn queria dizer que ...
  • A Federal Reserve tem enchido os EUA de Dólares criados do nada ao longo do ano passado para evitar o colapso total do sistema econômico global, em diversas ocasiões, e continuou a fazê-lo.
  • Como resultado, o Dólar está a perder valor no mercado de divisas. A boa notícia para os EUA é que fica mais barato comprar: cheeseburger, refrigerantes e títulos de dívida.
  • Pequim continua a manter o yuan artificialmente desvalorizado .
  • Washington não quer mas também gostaria dum aumento da taxa de câmbio (definida pela lei de Pequim) do Yuan.
  • Mas Pequim nem pensa em elevar o câmbio e continua a própria política de yuans com preços baixos

Com isso, no meio deste desvaloriza-tu-que-desvalorizo-eu, toda a gente tenta ir em frente como poder.
 
Um artigo de Limes, que já tem algum tempo, mas é sempre interessante


Como Washington pode reagir à desvalorização do yuan

A política de desvalorização competitiva do Renminbi (ou Yuan) que o governo chinês continua a perseguir com a acumulação de divisas internacionais em quantidade igual a metade do seu produto interno bruto, nas últimas semanas criou tensão nos mercados dos câmbios até níveis que não eram observados desde há muitos anos.

Em resposta, Países como o Japão e a Suíça têm intervindo pesadamente em grande escala, e com medidas de desvalorização das próprias moedas, com o fim de atenuar a valorização perante a moeda chinesa.

O Brasil, que também tem importantes reservas em divisas, tem tomado posições semelhantes às chinesas para dar um novo impulso à própria capacidade de exportação e evitar a deterioração da posição internacional.

"É a prova de que o contágio da China revela-se particularmente agressivo", têm comentado muitos analistas que também temem uma próxima eclosão da guerra dos câmbios.

Talvez Strauss-Kahn queria dizer que começar a guerra da desvalorização é uma grande confusão (eufemismo) para todos, e, se isso acontecer, torna-se evidente que a "retoma" não é nada mais do que uma palavra vazia.


Fonte: Informazione Incorrecta

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...