30 setembro 2011

IG Nobel: a Ciência nunca pára

É Sexta-feira, basta de notícias tristes.
Porque no mundo acontecem coisas boas também. A Ciência, por exemplo, não pára e cada dia somos um pouco mais ricos.

Na Universidade Harvard, em Boston, foram entregues os IG Nobels, o máximo reconhecimento para os cientistas que com as próprias pesquisas mais contribuíram ao longo do último ano para o progresso da Humanidade.

Eis os galardoados da edição 2011.


Regresso a Macondo

Deepwater Horizon, lembram?

O Golfo do México, o poço Macondo, a enorme mancha de petróleo, o desastre ambiental, os 11 mortos, os 17 feridos, turismo e pesca prejudicados ao longo de meses?

Isso mesmo.
Há uma nova mancha. E as autoridades não percebem qual possa ser a origem. O facto da mancha encontrar-se acima do poço agora fechado, evidentemente é uma casualidade.

É o mesmo poço que foi selado após 87 dias de batalha e após 4 milhões (no mínimo) de barris terem sido libertado no mar.

Já foi enviada uma sonda, um pequeno rover, no fundo do mar, perto do poço, para tentar perceber. Mas o rover nada encontrou: do velho Macondo parece não sair nada.
Então?

Facebook e nós


A dúvida: até a que ponto pode ser segura uma aplicação como Facebook?

A suspeita: não muito, considerado todos os dados que a empresa de Mark Zuckerberg pede ao utilizador.

A prova: um grupo de pesquisadores desfrutou um alei da União Europeia segundo a qual cada pessoa do Velho Continente tem o direito de ver todos os dados que uma empresa está a guardar acerca dele.

Facebook foi obrigada a responder e mesmo assim não comunicou todos os dados na sua posse. Mas já desta forma é possível observar como não apenas os dados guardados são muitos como também contrariam a lei da privacidade que a mesma Facebook afirma utilizar.

29 setembro 2011

O que é esta raio de crise? Parte III

Última parte desta tentativa para perceber a crise.
Prontos?
Mas prontos mesmo?
Ok, então vamos.

Crises cíclicas e sistémicas

Nos media mainstream podemso encontrar gráficos, desenhos e muitas boas palavras para tentar explicar os que, na verdade, são conceitos bastantes simples.

É óbvio que um sistema que continua a pedir sacrifícios, mais taxas e que enche uma bolha especulativa virtual, cedo ou tarde é destinado a rebentar. Falta sustentabilidade.

Culpa do Capitalismo? Não, o Capitalismo não tem nada a ver com esta crise.
Um acaso? Não, nada de acaso aqui.
Culpa nossa que vivemos "acima das possibilidades"? Mas por favor...

A culpa é de quem quer a crise.
Ponto final.

As dúvidas da Federal Reserve

Eis um artigo do blog brasileiro Ambientalismo, sinalizado por Burgos (que agradeço): Ambientalismo relança um artigo de MSIa Informa (se bem percebi), onde que hospeda um artigo de Mario Lettieri e Paolo Raimondi.

Vamos ler.
Se o discurso do presidente do Sistema da Reserva Federal, Ben Bernanke, na reunião anual de banqueiros em Jackson Hole, fosse a introdução de uma dissertação académica, ele teria sido reprovado. Raramente, se ouviu um pronunciamento tão genérico e contraditório sobre a situação económica dos EUA e do resto do mundo.

Psicopatas com gravata

Quem trabalha nas Bolsas é uma pessoa normal?
Já olharam bem os olhos do director do vosso banco?

Na Universidade de St. Gallen, na Suíça, pensaram comparar as atitudes dum psicopático com aquelas dum trader: egoísmo, crueldade e falta de cooperação.

E o resultado é que afinal os psicopatas não são tão maus.

No âmbito duma tese Mba (Master in business administration), Thomas Noll e Pascal Scherrer compararam 27 profissionais da finança, comerciantes de matérias primas, banqueiros, operadores de hedge founds, com um grupo de 24 psicopatas mais um terceiro grupo de controle, formato por 24 pessoas "normais" (se assim podemos definir um Suíço).

Perante um teste estruturado como o clássico dilema do prisioneiro (o problema talvez mais clássico na teoria dos jogos, utilizado também para ilustrar a teoria do equilíbrio de Nash), os sujeitos do grupo de controle se mostraram mais cooperativos, seguidos pelo psicopatas e, em terceiro lugar, os magos da finança.

Petróleo: ainda acerca do pico...

Eu gosto de carros. Até gosto muito.
Ok, confesso: sou um apaixonado.

Mas é preciso admitir: os carros são uma vergonha, por muitas razões.


Tecnologia de ponta...

Hoje pagamos dezenas de milhares de Euros uma tecnologia nascida no século XIX. Nikolaus August Otto, o inventor do motor a gasolina instalado na maior parte dos veículos, registou a própria invenção em 1886; o motor a gasóleo é de 1892.

Lembrem disso da próxima vez que o vendedor começar a falar das maravilhas técnicas do veículo exposto no concessionário.

E agora, eis a revolução ecológica: o carro eléctrico com acumuladores. Que é mais caro, óbvio, mas enfim, tem tantas soluções de ponta...e, de facto, era de ponta em 1832, quando o escocês Robert Anderson criou a primeira viatura movida com motor eléctrico.

Todos problemas que podem desaparecer em tempos breves.

28 setembro 2011

O que é esta raio de crise? Parte II

E continuemos.

Quem, quando criança, não trocou cromos?
"Dou-te um Platini em troca dum Maradona"

Esse é o mecanismo mais simples de troca. A troca o cromo com B e recebe um ou mais cromo a segunda do valor do cromo cedido. Ninguém diria "Dou-te um Platini, faz como se fosse teu, mas no final de cada mês tens que dar-me um Maradona e no mês em que não tens Maradona para dar-me vou buscar o Platini".
Uma criança que falasse assim seria vista como um anormal: que raio de troca é esta?

Uma vez crescidos começa um processo de contra-evolução e julgamos que afinal esta coisa do Maradona no final do mês não é tão mal. Aliás, parece mesmo boa.

Prova Final fechado

Eduardo de Prova Final:
Fui expulso do servidor que aloja o site provafinal.net, sem nenhum motivo aparente!

Apenas disseram que o site usa muito CPU. No entanto, o limite de visitas diárias é de 30 000, o site não chega a esse limite nem de perto. Disseram me também que poderia ser excesso de scripts, no entanto, eu tinha apenas 3 scripts activos e dois deles eram para tornar o site mais leve.

Pedi para me reactivarem a conta ou darem-me uma justificação lógica.

Apenas me disseram que não podiam reactivar a conta, mas não me deram nenhuma explicação lógica para o motivo.

Sinceramente, não entendo!?

Os Líbios? Altos, muito altos.

Khadafi é mau, disso não há dúvida.

Já no passado Fevereiro foi descoberta uma vala comum que na verdade era um cemitério, onde tinham sido enterradas pessoas que o líder líbio nunca tinha feito justiçar.
O que é normal, sendo apenas um normal cemitério, mas que demonstra uma vez mais quanto feroz fosse o regime de Khadafi.

Nestes dias eis que os media difundem outra notícia: uma vala comum com os restos mortais de milhares de pessoas, todas justiçadas, todas mártires mortas após ordem do Coronel.

Vamos seguir o rasto desta enésima prova que justifica a intervenção humanitária da Nato e companhia.

Pessoalmente não interessa.


Pessoalmente não interessa.
Sou um investidor, estas coisas não me interessam.


Ele é Alessio Rastani, um trader: compra e vende instrumentos financeiros, como acções, obrigações e derivativos.

Entrevistado pela BBC, Alessio tem previsto o default económico da inteira Europa no prazo de um ano. O que pode bem ser verdade, apesar dos delírios do Grupo Europe 2020 e do Geab deles.

Mas o que interessa aqui é outra coisa.
Melhor ver o vídeo:

27 setembro 2011

O jovem Estaline

Simon Sebag Montefiore é um jornalista, escritor inglês de origem hebraica: mas sobretudo é um grande conhecedor da história russa. Em 2004 publicou um livro, Young Stalin (O Jovem Estaline), uma biografia acerca do ditador comunista cujas origens permanecem envolvidas parcialmente no mistério.

E o livro em questão não ajuda a fazer luz, aliás, defende a historiografia oficial; mas, ao mesmo tempo, revela pormenores até hoje bem pouco conhecidos e que aumentam as incertezas acerca de Estaline.

É uma história com demasiados "se" e "mas", por isso tem que ser lida com as precauções do caso. Por enquanto, fica como simples curiosidades, à espera de eventuais confirmações.

Satélite Nasa: não foi Argentina


Último post

Informação Incorrecta fecha.

Não de minha vontade, pois eu continuaria e escrever: é que hoje o mundo acabará.
Ou acabará ou acontecerá algo de realmente aterrador, pelo que acho improvável que eu possa postar mais alguma coisa.

Para os mais cépticos, e também para aqueles que não gostam de ler estas coisas, vou lembrar mais uma vez o calendário:

Dia 21 de Setembro: alinhamento perfeito entre Terra, Vénus e o cometa Elenin.
E já vimos quais os efeitos letais.

26 setembro 2011

O que é esta raio de crise? Parte I

Estamos no meio duma crise. Até aqui todos estamos de acordo.
Mas agora temos um problema: a crise chegou de repente, silenciosa como um alce, ou foi construída?

Vamos ver hoje a segunda hipótese, porque se assim for, talvez seja possível entender as velhas crises, as que já passaram. É a tentativa de racionalizar algo que , pelo contrário, é apresentado como um mal natural, tal como acontece com os terremotos.

"Porquê há as crises?"
"Eh, assim, é a Natureza".

As crises não são algo de imprevisto e imprevisível: é suficiente olhar para uma boa teoria económica do capital para encontrar o mecanismo que está na origem das crises. Não há "acaso", não há "azar".

Mas antes de falar disso, temos que perceber o que entendemos com o termo "economia", caso contrário haverá apenas confusão.

Os Controladores

Google quer o meu número de telefone.
É uma questão de segurança, dizem.
Com certeza, deve ser isso.

"Estou, sou Google, fala Max?"
"Sim, sou Max"
"Certeza?"
"Certeza"
"Pode jura-lo?"
"Juro"
"Tá bom, então adeus".

De facto sinto-me mais seguro.
Google sabe muito de mim. Demais.

Blogger. Picasa. Gmail. Chrome. Buzz. Google+.
Falta-me só Orkut.

Pequenas Guerras crescem...

O crescimento económico e militar da China preocupa Washington, o que não é uma novidade.
Só que os Estados Unidos parecem intencionados a acelerar os tempos.

Nos últimos dias, Washington concordou um pacote de "ajuda" militar com Taiwan, num valor de 5,8 bilhões de Dólares, úteis para actualizar os caças F-16 da ilha.

Na verdade, no acordo estariam incluídas bombas "inteligentes", misseis tele-conduzidos e um fortalecimento dos F-16: mais, radar tecnologicamente avançados (AESA), instrumentos para a guerra electrónica, misseis ar-ar e o sistema JDAM que transformas as normais bombas em armas de grande precisão.

Obviamente Pequim não ficou muito satisfeita com a notícia.
O embaixador americano na China, Gary Locke, foi convocado de urgência e o  Ministro dos Negócios Estrangeiros chinês publicou a seguinte nota:

Nehuma dúvida, nenhuma hesitação

Mais uma vez, eis uma decisão histórica, uma daquelas coisas que mudam a vida de grandes e pequenos. O mundo nunca mais será o mesmo.
É por isso que estamos aqui a falar sempre das mesmas coisas.

400? Melhor 3.000

Evangelos Venizelos
O G20 decidiu expandir o fundo europeus de resgate: não 400 mas 3.000 bilhões de Euros.

Bla, bla, bla. Depois, na altura certa, começam as guerras para ver quem e como pagará.

Entretanto, em Atenas, O Ministro Evangelos Venizelos repite que o Estado ainda está gordo e que precisa duma dieta. Após cortes, despedimentos, subidas do IVA e impostos, novos cortes e despedimentos.

De forma muito simples, e mais uma vez: o dinheiro acabou. Nada mais.
Há 3 anos, com a falência da Lehman Brothers, a economia deu um sinal: "Mataram-me!".
E a partir daí, é uma roulette russa de "O Franco Atirador". Só que aqui não temos apenas Robert De Niro e Christopher Walken que trocam a arma, os participantes são muitos, embora a dúvida seja sempre a mesma: será agora?

24 setembro 2011

Duas listas: porque os alunos aprenderam


Imam: Você ouviu alguma coisa do que eu disse?
Richard B. Riddick: Você disse que está tudo a cair pelo cano abaixo, o universo inteiro. Certo?
Imam: Isso mesmo.
Richard B. Riddick: Tinha que acabar algum dia.
(The Chronicles of Riddick, 2004)

Ohé , ohé, ohé pessoal, mas que é isso?

Ponto da situação.
Nestes dias temos:
Chuva de meteoritos
  1. Elenin, o cometa assassino que com os seus alinhamentos deve provocar (e na verdade já deveria ter provocado, segundo os "fieis"...) maremotos, tsunamis, terremotos catastróficos e entupimento dos esgotos em todo o planeta.
  2. O Presidente afro-americo-irlandês Barack Obama que voa até Denver onde, segundo os mais informados, debaixo do aeroporto há um enorme bunker tão secreto que todos sabem onde fica. Mas como o bom Obama não é parvo, vai esconder-se mesmo aí.
  3. O Presidente, sempre o mesmo afro-americo-irlandês, que declara o Defcon 1, que não é o 1º Congresso dos Deficientes (Def + Con) mas o máximo estado de alerta para as Forças Armadas dos Estados Unidos.

23 setembro 2011

O Furher e a crise

É crise. Ah, pois é.

É nesta altura que vamos até o estante dos livros, sopramos para afastar o pó, e descobrimos que já no passado houve crises. Que como consolação não é muita.

Mais do que isso: como fizeram para ultrapassar um período tão infeliz?


O New Deal de Hitler

Ao falar de crise económica a imagem que temos é aquela da Grande Depressão e do subsequente New Deal do Presidente Roosvelt.

Mas Roosvelt não tinha sido o primeiro a enfrentar e resolver uma grave crise: antes dele, na Alemanha, tal Adolf Hitler teve de enfrentar problemas bem mais graves. E resolve-los.

Como? É o que vamos ver.

Quando Hitler tomou o poder em 1933, na Alemanha havia mais de 6 milhões de desempregados (20 da força-trabalho), muitas delas num estado de mal nutrição: isso enquanto o Estado encontrava-se preso pelas dívida e com reservas monetárias perto do zero.

Não era uma boa situação.

Para resolver os problemas, Hitler convocou um hebreu (isso mesmo!): Hjalmar Schacht, Ministro da Economia e Presidente do Banco Central do Reich.

A ideia de Schacht era simples: as notas podem ser criadas à vontade, desde que os preços sejam mantidos constantes: e o único motor necessário é a confiança. É suficiente criar e manter a confiança, com a sugestão ou com a força.

No altar da dívida

Salónica: 16 de Setembro, tentativa de suicídio
O que dizem os rapazes do Geab?
Na Europa tudo bem, não é?

Pois...

Eis como trabalha o Fundo Monetário Internacional (com a cumplicidade do Banco Central Europeu, óbvio).

Nada de gráficos, nada de teorias económicas.

A realidade é muito mais simples.

Coisas que caem, não caem e correm

Elenin pifou duma vez por todas, mas há algo que está a cair nas nossas cabecinhas: e não deve espantar o facto que o objecto em causa foi criado pelo Homem.

A queda do UARS

Exemplo de possíveis trajectórias
O nome é UARS, pertence à Nasa, e segundo as ideias do agência americana deveria ter ficado desintegrado no contacto com a atmosfera durante os últimos dias deste mês. Só que entretanto houve uma uma maior actividade solar e o satélite ficou baralhado.

"Caio? Não caio?": uma decisão difícil, sobretudo se o nosso peso é de 532 quilos. Afinal, eis a escolha: melhor cair, e já. E "já" significa hoje, 23 de Setembro de 2011 d.C.

A Nasa comunica que não sabe onde o satélite irá precipitar. Talvez aí, pode ser um pouco mais à direita. Mas afirma também que 20 minutos antes do impacto será possível conhecer o lugar do impacto. Obrigado.

E começa o jogo das probabilidades: segundo as simulações dos computadores, os 26 fragmentos no qual ficará partido o satélite têm 71% de probabilidade de cair no mar, 29% de cair na terra, 1% numa zona habitada. E a possibilidade de atingir uma pessoa é de 1/3200.

Aliás, a Nasa faz saber que na verdade as probabilidades de ser atingido são praticamente nulas, pois em 50 ano de actividade espacial nunca um ser humano ficou alvejado. O que não é uma grande consolação caso formos nós os primeiros.

A Nasa conclui com um aviso:não aproximar-se dos destroços.
Mas o problema aqui parece ser outro: que sejam os destroços a aproximar-se...

A manovra da Fed

As melhores mentes da finança mundial trabalharam um nestes dois dias em extenuantes reuniões.
Mas valeu a pena.

Anteontem o resultado: 400 bilhões (mais ou menos) de Títulos de Estado do EUA, adquiridos há pouco pela Federal Reserve, serão vendidos.

22 setembro 2011

Geab nº 57: A tempestade perfeita

Desta vez, em vez de traduzir, copio.
Este Geab nº 57 encontra-se no blog Prova Final, que agradeço pelo empréstimo.

Interessante? Sim, sem dúvida.
Com alguns "mas".

Eis a tradução:

4º trimestre 2011: Fusão implosiva dos activos financeiros mundiais
Como antecipado desde Novembro de 2010 pelo LEAP/E2020, e reiterado várias vezes até Junho de 2011, o segundo semestre de 2011 começou por uma recaída brutal e gigantesca da crise. Cerca de 10 milhões de milhões dos 15 milhões de milhões de Dólares de activos fantasmas anunciados no GEAB nº 56 já desapareceram como fumo.

O resto (e provavelmente muito mais) vai desvanecer-se no decorrer do 4º trimestre de 2011 que será marcado por aquilo que a nossa equipe chama de “fusão implosiva dos activos financeiros mundiais”.

São os dois principais centros financeiros mundiais, Wall Street em New York e a City em Londres, que vão ser os “reactores privilegiados” desta fusão. E, tal como previsto pelo LEAP/E2020 desde há vários meses, é a solução dos problemas da dívida pública de certos Estados da Eurolândia que vai permitir que esta reacção atinja a sua massa crítica, após a qual nada mais será controlável.

O sexo das crianças

Observem as imagens publicadas neste artigo: são meninas de 10 anos.

Aliás, o termo correcto deveria ser "crianças". E estas fotografias foram publicadas pela conceituada revista Vogue na edição do passado Agosto.

Tudo normal?
Até alguns anos atrás, a revista teria sido alvo dum processo judicial, hoje não. É tudo normal, na nossa normalidade anormal. Pois começou a batalha dos direitos sexuais dos menores: os mais jovens têm de ser "libertados".

E já existe a Carta dos Direitos Sexuais da Criança, promovida pelo pedófilo "Child Sexuality Circle”, o Círculo da Liberdade Sexual da Criança".

Blog+

Tadaaaá!
Outra vez? Ah, pois.

24 horas sem computador significam 24 horas para pensar. Perigoso, sem dúvida.
E eis o resultado do profundo pensamento.

Super-blog?

Na internet há blogues interessantes, bem feitos.
E sem ir muito longe, há por aqui comentários mesmo bons.

Então: porque não abrir um blog com vários autores?
Explico: um blog pode ter até 100 autores. Não é como ter um agregador, é mesmo um blog como o presente e muitos outros. Um blog que pode conter artigos originais ou simplesmente reunir as postagens (ou algumas delas 9 do dia, de vários blogues.

Entre dúvidas e vozes

Tadaaaaá!!!

Eis o bom Max de volta com o seu super-computador ressuscitado.
Em 24 horas, Informação Incorrecta está on the road again: isso graças ao facto de ter entregue o precioso objecto num restaurante e te-lo retirado na loja do meu barbeiro.
A propósito: obrigado Luís, obrigado Silvino!

Bom, vamos ao que interessa.
Um dia parado e descubro ter recebido um monte de e-mail e que o blog encheu-se de comentários interessantes. E muitas, muitas sugestões e links, sempre bem vindos.

As dúvidas de Daniela

Mas começamos com uma pergunta. De quem? De Daniela!!!
Diz Daniela:
quero saber sua opinião sobre comentários e post sobre o simpático Obama estar em Denver dia 27 de setembro, quando ocorrerá outro alinhamento....Dizem que tem um tal Defecon 1, prontidão e que todos parlamentares estarão de licença ou ¨férias¨de 25 a 10 de outubro, de vários países.
E em Denver tem um bunker, lugar para se proteger, por isso Obama e cúpula estarão por lá..
O que achas disso tudo???Abraços e obrigada.

21 setembro 2011

Atentado ou boicote? A Apocalipse informática

Horror, desgraça, sofrimento.
E Apocalipse também.

O computador pifou, atingido por um pedaço de cometa (Elenin?) ou atacado pelas forças do Mal (os agentes da Nova Ordem Mundial?), ainda não sei.

Leonardo tentou intervir, mas afinal disse: "Bau". Que significa: "O computador pifou. A propósito, ainda há uma daquelas salsichas alemãs?".

Por isso agora estou com o computador de Guida (pois Leo não quis emprestar o dele, "Nada de salsicha, nada de computador" acrescentou).

O problema é que o pc de Guida é...computador de mulher :) Pequeno, com teclas pequenas, ecrã pequeno, rato pequeno (sério!)...para escrever "Olá" preciso dum palito para acertar nas teclas.

Mesmo assim, eis o menu do dia: Asteroides, Economia e Grandes Perguntas.

20 setembro 2011

O calor? Escondido...

Porquê este foi um dos Verões mais frio dos últimos anos? E porquê no passado Inverno até caiu um pouco de neve em Lisboa?

Simples: é culpa do aquecimento global. Quanto mais calor, mais frio. Faz sentido, acho eu. E se o planeta continuar a aquecer, Praça Marquês do Pombal poderia ser transformada numa enorme pista de gelo, boa para atrair os turistas também.

Pois o Homem produz dióxido de carbono e este, contrariamente a quanto demonstrado pelos achados das Eras anteriores à nossa, aumenta a temperatura do ambiente. Também isso faz sentido.

Mas se o planeta aquece, a temperatura não deveria aumentar também?
Esta era uma pergunta sem resposta, até hoje. Mas Nuno Sav pus o ponto final na questão: descobriu o que os cientistas não querem dizer (ou melhor: que não deveriam dizer para evitar figuras tristes.

Palavras para quê?

Diz Gilson:

No frontispício da bolsa de valores em Nova York podemos ver na bandeira dos EEUU as estrelas/estados substituídas por megacorporações. Enquanto isso, o povo brande seus sapatos/ miséria em protesto contra a captura do estado pela canalha bancária e megacorporações.

De facto, a imagem é perfeita assim.

Obrigado Gilson!

Fonte: Gilson Sampaio

O 194º Estado


O Estado palestiniano vai nascer? Ou nem por isso?

Após 60 anos de guerras, conflitos de alta e baixa intensidade, ataques, repercussões, represálias, ocupações militares, negociações falhadas, acordos ignorados, será desta vez a luz verde?

Um passo concreto poderá ser dado no próximo dia 23 de Setembro, quando Abu Mazen pedirá que o Estado da Palestina seja reconhecido como 194º Estado-Membro das Nações Unidas, limitado pelas fronteiras estabelecidas no dia 4 de Junho de 1967 (incluindo os territórios ocupados) e Jerusalém Oriental como capital.

Então, finalmente, teremos um Estado palestino? Difícil, muito difícil.
O pedido de Abu Mazen não será suficiente só por si, apesar de serem 126 os Países que já reconheceram a Palestina e , no total, cerca de 140 estariam prontos para aceitar o pedido na Onu; onde a maioria de dois terços será necessária para entrar como Estado observador.

O problema será a atitude dos Estados Unidos: apenas um veto dos cinco grandes Países do Conselho de Segurança é suficiente para afundar a proposta.
Na verdade, o Secretário do Departamento de Estados Dos EUA, Victoria Nuland, já disse que os Estados Unidos vão colocar o veto: isso significa que a Palestina como Estado independente não vai nascer.

Por agora.
Pode o povo palestiniano, a comunidade árabe e todo o mundo aceitar outros de 44 anos de assédio da Palestina?

Os Bancos do Inferno

A crise? Está a chegar, mas fiquem descansados: está tudo controlado.

Muitas nuvens no céu, diz Christine

Christine Lagarde
Aliás, não é preciso preocupar-se porque os planos; vão em frente como da manual.
O Mundo entrou numa nova fase perigosa da crise. Nos céus da economia muitas nuvens, aumentaram os riscos.
Música e letras de Chistine Lagarde, Presidente do Fundo Monetário Internacional. Que conclui com as boas intenções:
As economias avançadas precisam e planos credíveis para reduzir a dívida pública sem esquecer que consolidações demasiados rápidas podem prejudicar a retoma económica.
Chistine, por favor! Qual redução da dívida, qual retoma.
Sabes muito bem o que se passa: foi-te explicado ainda antes de pôr em prática a armadilha para o tarado sexual, o teu predecessor Strauss-Khan. Não há nenhum "fase perigosa", simplesmente há uma crise que agora irá piorar; e não haverá nenhuma retoma por enquanto.

Notícias para italo-portugueses

Então, que se passa nos dois melhores Países do Mundo?
Finlândia e Suécia?
Não, falo de Italia e Portugal...

Italia, il Cavaliere e o rating

Olha, olha: Standard And Poor baixou o rating da Italia...até que enfim. Mas nem todos estavam à espera: Il Corriere della Sera (em tempo um jornal sério e conceituado, hoje a agência de relações públicas do governo) fala de "surpresa": ter uma dívida pública igual a 118% do Pib não é um bom motivo para ser despromovidos.

E se juntarmos também um governo à beira das demissões, realmente esta baixa torna-se inexplicável.

E a surpresa é tanta que as Bolsas nem estão em perda...

Obviamente Berlusconi acha ser um maléfico enredo dos media e fala em "avaliações influenciadas por considerações políticas ao invés dos factos".
Claro, um enredo, todos conta ele.
Onde é que já ouvimos isso?

19 setembro 2011

Capitalismo: 110 anos de crises

Neste blog é possível encontrar muitas críticas ao Comunismo.

Vimos também como este foi criado e explorado pela elite financeira do mundo ocidental.

Mas o Capitalismo?
Sendo nós uma das província do Império (a maior parte do globo é, de facto, uma Província do Império americano), podemos passar o tempo em voos abstractos político-filosóficos (é a especialidade europeia), mas, nos factos, vivemos num mundo firmemente Capitalista.

É verdade também que o Capitalismo de hoje nada ou mesmo pouco tem em comum com as visões de Calvin Smith, mas a base foi aquela.

É verdade também (ohhh, quantas verdades todas juntas!) que este blog critica pesadamente as aberrações da sociedade contemporânea o que significa, de forma mais ou menos directa, criticar o Capitalismo também.

Mas vamos observar mais de perto este tipo de sociedade.

Nós e o Sistema Besta

Abro a caixa do correio e encontro publicidade, como sempre.

Um monte de ofertas, pois empresas e supermercados estão numa corrida louca para que eu possa poupar cada vez mais. Que honra.

Depois olho para os produtos. Já repararam? Os artigos mais baratos costumam ser os que também são menos atractivos do ponto de vista estético.
Motivo de custo? Nada disso, é marketing.

Não custa nada usar combinações de cores mais bonitas ou mais fantasia (que é grátis): os produtos mais baratos são propositadamente mais feios.
Não "tão feios", pois caso contrário ninguém os compraria. Mas esteticamente piores dos mais caros sim.

Não é uma grande descoberta, este é marketing.
Queres o produto mais barato? Cá está, mas olha quanto é feinho, coitado, não seria melhor gastar um pouco mais para algo de mais agradável (que, casualmente, pode encontrar aí mesmo ao lado)?

De volta ao passado

E começamos a semana com uma boa notícia: a nossa sociedade está preste a acabar.
Diz Joseph A. Tainter:

"O colapso, se e quando ocorrer novamente, desta vez será global. Já não é possível o colapso duma só nação. A civilização mundial irá desintegrar-se toda. Os que evoluem da mesma forma, colapsam de maneira similar".

Até que enfim um pouco de são optimismo.
Tainter deve ter lido a Teoria Olduvai.

O vale de Olduvai, na verdade, não tem nada a ver com a teoria: é só um pretexto.
O vale de Olduvai é isso mesmo, um vale com com cera de 50 quilómetros de comprimento e 295 de profundidade, nas planícies do Serengeti, na Tanzânia.
Olduvai é defenido como o "berço da humanidade" pois aqui foram encontrados, além duma rica fauna fósseis, os restos dos hominídeos mais antigos com ferramentas de pedra que datam de 2,1 milhão anos atrás.

18 setembro 2011

As palavras do Rei da Bósnia

Antes demais: agradeço Felipe, pois ao contrário dos comentários com insultos (nem muito originais) enviou um documento, algo acerca do qual é possível discutir. Assim as coisas fazem muito mais sentido.

Quem é Mensur?

Com ordem: quem é Mensur Omerbashich? Esta não é uma questão fundamental, pois uma pessoa pode ser um idiota mas por uma vez na vida pode até ter razão. Mesmo assim, pode ajudar em perceber o contexto.

Omerbashich, por esquisito que possa parecer, é o orgulhoso proprietário dum doutoramento em geofísica teórica da Universidade de New Brunswick, Canadá; perfeitamente desconhecido até pouco tempo atrás, de repente alcançou fama mundial graças ao trabalho acerca de Elenin.
 
Omerbashich admite que houve problemas significativos com a sua tese de doutoramento e atrasos anormais a receber o diploma, incluindo a demissão de vários membros do comité científico. Mas o facto de não ser apreciado pelos contemporâneos não é o traço típico dos grandes génios?
Isso explica também porque, quando tentou patentear as próprias teorias, o relativo departamento dos Estados Unidos ignorou o pedido.

Entre as várias crenças de Omerbashich, temos as segundo as quais a Terra é oca, o Sol é oco, o átomo é oco. Tudo é oco, e aqui seria fácil perguntar se à lista é preciso acrescentar o cérebro dele, mas ignoramos esta piada de mau gosto e vamos em frente.

16 setembro 2011

Tudo, e duma só vez

Quarta-feira, uma coligação de organizações pacifistas israelitas publicou uma lista de cinquenta razões pelas quais israel deveria apoiar um Estado palestiniano.
Mesmo concordando com apenas cinco delas, não seriam suficientes? Qual exactamente a alternativa agora que os céus estão a fechar-se à nossa volta?

O que vamos dizer dizemos na próxima semana na ONU? O que poderíamos dizer?
Se estivéssemos na Assembleia Geral ou no Conselho de Segurança, deveríamos expor nossa completa nudez: israel não um Estado palestiniano. Ponto.
E não há único argumento para justificar a actual situação o negar um reconhecimento internacional do Estado.
[...]

A próxima semana será o momento da verdade para israel, ou mais precisamente o momento em que o seu engano será revelado ao público. Tanto o presidente, como o primeiro-ministro ou o embaixador nas Nações Unidas, seriam incapazes de ficar diante dos representantes das Nações do mundo e explicar a lógica de israel, nenhum deles seria capaz de convencê-los de que há algum mérito na posição israelita.

Sprite? No, Spread

O que é o spread?
E se o spread aumentar, o que acontece?

É simples: o spread é o diferencial.
Sim, dito assim não significa muito.
Mas vamos ver.

Falamos, por exemplo, do diferencial entre o rendimento dos Títulos de Estado entre dois Países.

Do ponto de vista de quem emite o Título de Estado (e quem emite o Título de Estado? O Estado), o rendimento dum Título é o interesse que o Estado terá que pagar para ter dinheiro.

Eu, Estado, preciso de dinheiro; emito um Título de Estado com a promessa de pagar um interesse; alguém compra o Título (isso é: da-me dinheiro); eu; estado, terei que pagar um interesse.

Normal: se o Estado não pagasse interesse, ninguém compraria um Título, pois seria mais sensato investir o próprio dinheiro em operações que geram alguns lucros.

Nova Ordem Mundial? Parte V

Última! É a última parte!!!
Boa leitura.

A Igreja Católica ao serviço da Nova Ordem Mundial

Fieis ou não, o estudo dos princípios por trás da Igreja deve ser feito de forma objectiva. É preciso estudar e observar os preceitos que essa defende as propostas e observar se as ações são consistentes ou não com o corpo da doutrina. Pois aqui estamos a falar do poder temporal, não do espiritual.

No caso da Igreja Católica, o conceito defendido ao longo de dois mil anos baseia-se no primado de Deus sobre o homem. As Escrituras e a Tradição fornecem uma base intocável, o depósito da Fé segundo os termos consagrados, definidos pelo sucessor de São Pedro, o Papa.

O homem marcado pelo pecado original deve obedecer a uma autoridade superior e seguir todos os preceitos da Igreja Católica, estes princípios são imutáveis. Quando alguém não concorda com estes princípios, é preciso que deixe a Igreja Católica. Este é o caso de muitas igrejas protestantes.
No entanto, uma mudança fundamental ocorreu com o Concílio Vaticano II (1962-1965).

15 setembro 2011

Quantitative quê? Parte II

Na antiguidade, quando ainda era muito jovem (6 de Outubro de 2010), publiquei alguma coisa acerca do Quantitative Easing. E, dado os recentes e próximos acontecimentos, vale a pena voltar a falar do assunto.

Não vou simplesmente publicar outra vez o post já escrito, vou mas é actualiza-lo.

O que é o Quantitative Easing (QE)?
Pegamos no nosso carro, o bonito Jaguar com bancos em pelo de camelo, abrimos o capot, observamos o motor e perguntamos: há óleo neste motor? Não há? Então toma uns 5 litros de óleo fresquinho.

É o que faz um banco central: há dinheiro? Não há? Então ligamos a impressora e vamos encher a economia de dinheiro acabado de ser imprimido.

Dito assim até parece uma boa coisa: dinheiro para todos, dinheiro de borla. Afinal é só ligar a impressora e imprimir. Porque ninguém pensou nisso antes?

Elenin, Nibiru e a genialidade da contra-informação

Este post não é dedicado a todos os que já perceberam a linha do blog (e que são muitos pelos vistos, ainda bem).

É dedicado a todas as pessoas que passam o dia na pesquisa das últimas notícias acerca do fim do mundo, que esperam uma invasão alienígena, que procuram consolação (?) nas palavras catastrofistas de blogueiros cujo objectivo é apenas aumentar o número das visitas.

O beijo da morte

Ontem a notícia deu a volta ao mundo: Berlusconi está a vender o próprio País aos Chineses?

Não gosto do "Cavaliere", nunca votei e nunca votarei nele. Mas não estou preocupado, aliás, acho a notícia interessante.

Pois a alternativa qual é? É só uma: o FMI, o Fundo Monetário Internacional.

Após Grécia, Irlanda e Portugal, há novos alvos na mira dos "especuladores" (a propósito: cedo ou tarde teremos que falar deste bonito conto no qual os lobos maus atacam os inocentes Países europeus...): Italia está me primeiro lugar.

Quem estava à espera dum ataque contra Madrid (e eu pensava isso), agora pode ver que houve uma aceleração: agora é um País do G8 em crise, isso sem esquecer o downgrade de dois bancos franceses operado ontem por Moody's.

Mas voltamos aos problemas da Italia.
Parece óbvio que Roma está a percorrer um trilho muito perigoso, no fim do qual pode haver o mesmo desfecho dos Países já falidos que foram citados antes.
E o mesmo desfecho significa o Fundo de Intervenção da União Europeia e a "ajuda" do FMI.
Ou seja: o beijo da morte.

Nova Ordem Mundial? Parte IV

Quarta parte do artigo dedicado ao assunto Nova Ordem Mundial.

Mas nunca acaba esta coisa?
Acaba, acaba...mas não hoje.

Boa leitura!

Depois de 1945

Após a Segunda Guerra Mundial, houve três datas importantes: 1946, 1947 e 1948.
Foi o Primeiro-Ministro britânico Winston Churchill, que retomou a ideia de unir a Europa, num discurso em Zurique, no dia 19 de Setembro de 1946. As palavras deles foram: "Precisamos construir uma espécie de Estados Unidos da Europa".

Max Habicht
Estas palavras fazem lembrar Richard Coudenhove-Kalergi, que era apoiado por Churchill. O fundador da Pan-Europa, por sua vez, activou-se para impulsionar o ideal europeu, explicando a história do seu trabalho e dos seus projetos num livro, Escolhi a Europa. Livro com prefácio de Winston Churchill, obviamente.

A segunda data é o Agosto de 1947, dia da reunião em Montreux, na Suíça, um passo decisivo para reforçar os alicerces do mundo que estava a ser preparado.

De facto, vários representantes europeus e dos EUA reuniram-se e decidiram criar dois institutos sob os auspícios do advogado suíço Max Habicht, e cuja eficácia é amplamente comprovada: o Movimento Federalista Mundial (WFM) e a União dos Federalistas Europeus (UEF).

Bom humor é que não falta...



As Bolsas em queda livre e as duas pivot a rir na televisão francesa.
Ontem Moody´s baixou o rating de dois bancos franceses, as duas devem ter sido internadas com gargalhadas histéricas...

Fonte: Le Post

14 setembro 2011

O Nobel e o Nber

Um artigo de Paul Krugman, Prémio Nobel da Economia.

Antes demais: é bom não esquecer que Krugman é outra criatura da elite dominante.
Não acaso é membro do Grupo dos 30 (G30), fundado por Geoffrey Beel (homem dos Rockefeller), no topo do qual encontramos Paul Volker, ex chefe da Federal Reserve, ex Manhattan Chase, membro da Comissão Trilateral e do Grupo Bilderberg.

Nos últimos dias, dois números foram divulgados em Washington, números que deveriam levar todos a exclamar: "Meu Deus, o que fizemos?".
O primeiro desses números é zero, correspondente aos postos de trabalho criados em Agosto.
O segundo número é dois, correspondente à taxa de juros dos títulos de dez anos dos EUA, o menor que já vi.
Tomados em conjunto, podemos dizer que os dois números estão a gritar em voz alta uma coisa: a massa de pessoas dentro do Beltway (o establishment de Washington, NDT) está a preocupar-se com as coisas erradas e, portanto, está a infligir ao País danos devastadores.

Grécia: basta trabalhar, chega o Euro no limits

Sob pressão dos credores da Grécia, o governo de Atenas está a realizar com procedimento de urgência a aplicação da suspensão temporária do trabalho do pessoal em excesso nas empresas estatais e outras agências governamentais.

O Sub-Secretário pela Reforma Administrativa, Ntinos Rovlias, apresentou na noite passada, no Parlamento, a lista das primeiras 151 empresas ou agências do governo nas quais será aplicada para os funcionários a suspensão temporária do trabalho.

Por seu turno, a Secretaria Especial para as Empresas Estatais (Deco) emitiu uma circular com a qual é tornada efectiva a suspensão do pessoal.

Nova Ordem Mundial? Parte III

Então é assim: terceira parte do artigo dedicado à Nova Ordem Mundial.

Última parte?
Nem pensar!
Mas uma coisa de cada vez.

A Távola Redonda e os seus "filhos"

J.P. Morgan
A criação da Távola Redonda, que é em última análise a herança de séculos de tradições místicas, financeiras e elitistas, foi um passo decisivo na preparação que leva até um Estado mundial.
Na verdade, sob a orientação de Lord Milner e dos seus colaboradores, esta instituição foi criada em colaboração com a elite financeira dos EUA, a fim de garantir a preeminência do mundo anglo-saxão no processo de criação duma Nova Ordem Mundial.

Mesas-redondas foram estabelecidas em todos os domínios do Império Britânico, mas também nos Estados Unidos. Seguindo as ambições de Cecil Rhodes, os homens da finança (mas não só) seguem as pegadas da equipa de Lord Milner, como Alfred Beit, Sir Abe Bailey e a família Astor.
Outros grupos juntaram-se ao berço da globalização, impulsionados pelas mesas-redondas: JP Morgan, o Banco Lazard, as famílias Rockefeller e Whitney.

Mas antes de continuar é necessário fazer o ponto da situação.
Estas grandes famílias do globalismo, mesmo animadas por um propósito comum, não são isentas de discórdias internas, bem pelo contrário; e podemos identificar dois pontos fundamentais neste sentido.

O Fim aproxima-se

Sinto que devia dizer algo, mas já não lembro...ah, sim, é isso: o mundo vai acabar.

Como este é um blog que deseja ser também útil, eis algumas datas que não seria mal apontar na vossa agenda.

Dia 21 de Setembro: alinhamento perfeito entre Terra, Vénus e o cometa Elenin!
Isso irá causar terramotos, maremotos, carros e motos, tudo aquilo que acaba em "-moto". Uma coisa terrível.

Dias 26, 27 e 28 de Setembro: Elenin passa entre a Terra e o Sol ao longo de três dias.
Outros terramotos, maremotos e alguns tsunamis.

28 de Setembro: alinhamento perfeito de Elenin, Terra e Sol. Neste momento Elenin  estará a menos de 62 milhões de quilómetros da Terra. É a mesma distância entre a Terra e Marte, eu acho isso aterrador. Neste dia teremos terramotos, maremotos, tsunami e inversão do campo magnético.

13 setembro 2011

Mais simples uma guerra

Bla, bla, bla. Vamos ver os dados, isso é que é.

Meus amigos, é precisa uma guerra, daquelas sérias, com mortos, muitos mortos.
Quantos mortos? Não sei, é o Leitor que escolhe.
Eu diria várias centenas de milhões, nestes casos é sempre melhor abundar.

Não podemos correr o risco de enfrentar uma guerra para depois ter apenas alguns míseros milhões de vítimas. Ou uma coisa é feita bem ou nem vale a pena começar.

O quê? A razão duma guerra? Ainda não disse? Opá, que desatento...a questão é a seguinte: o actual modelo económico não consegue suportar o modelo de crescimento. Há limites, e estes estão prestes a ser alcançados.

As notas do BCE

No dia 17 de Agosto, o Conselho Europeu respondeu ao político italiano Mario Borghezio, da Lega Nord.
Este tinha perguntado uma coisa simples: a quem pertence o Euro?
A resposta é simples também.

E-0062437/2011
Resposta de Olli Rehn me nome da Comissão (16.8.2011)

Embora do ponto de vista legal o direito de emitir notas de Euro pertença tanto ao Banco Central Europeu (BCE) quanto aos bancos centrais dos Estados Membro da área do Euro, a emiti-las e fisicamente removê-las da circulação são, na prática, apenas os bancos centrais nacionais.
No caso das moedas, os emitentes definidos por lei são os Estados Membros da Zona do Euro e qualquer questão que lhe diga respeito é coordenada pela Comissão no nível da área do Euro.
Portanto, na altura da emissão as notas do Euro pertencem ao Eurosistema, enquanto as moedas são de propriedade dos Estados-Membros. Uma vez emitidas, tanto as notas quanto as moedas pertencem ao titular da conta na qual foram debitadas.

Nova Ordem Mundial? Parte II

E continuemos com a segunda parte do artigo acerca da Nova Ordem Mundial.
Prontos?
Mas mesmo prontos?
Ok, então vamos.


Cecil Rhodes

Cecil Rhodes
Este grande defensor do Império Britânico emigra para a África do Sul, onde a sua personalidade e as suas enormes dotes intelectuais permitem-lhe fazer uma fortuna com algumas pedrinhas semi-transparentes, definidas "diamantes".

Rhodes é responsável pela criação da empresa De Beers, em colaboração e com o apoio de Nathaniel Mayer Rothschild.

A sua fortuna colossal abre as portas da colónia britânica, Cecil Rhodes estabeleceu as bases para o Estado Sul-Africano (domínio do Império Britânico), que tomará forma alguns anos após a sua morte, em 1910.

A influência financeira e política permitem que ele controle os territórios aos quais dá o seu nome, Rodésia. Posteriormente dividido em Rodésia do Norte e Rodésia do Sul, esses Estados são hoje conhecidos como Zâmbia e Zimbabwe.

No entanto, uma das grandes ideias de Rhodes é a criação duma linha de comboio entre a Cidade do Cabo e o Cairo. No Império Britânico, as linhas de comunicação são uma questão crucial para a defesa e o transporte das riquezas: o desenvolvimento de canais de comunicação é uma passagem fundamental para o bom funcionamento de qualquer império, e os homens de Sua Majestade sabem disso. As linhas de comunicação são as artérias que fornecem o império comercial e político.

12 setembro 2011

A Grécia? Bau!

E acabamos o dia com alegria.
As Bolsas ocidentais voltam em perda:

Lisboa -4.19 %
Paris -4.03 %
Milano -3.98 %
Madrid -3.41 %
Atenas -2.76 %
Frankfurt -2.27 %
Londres -1.63 %

Nesta altura New York também se encontra em terreno negativo, -1.27 %, enquanto o Bovespa do Brasil fica a -3.20 %.

Os motivos de tanto entusiasmo? Ainda uma vez ela, a Grécia.
Ao longo do fim-de-semana muitas foram as notícias relativas a uma eventual falência de Atenas.
Informação Incorrecta não publicou nada pois Leonardo, interrogado em propósito, tinha vaticinado:
Bau.
Que significa: "Não, não vai falir neste weekend, temos de esperar ainda um pouco, em vez disso, ainda há uma fatia de mortadella?"

Última hora: explosão em central nuclear em França

Notícia em actualização

Explosão numa área de tratamento de resíduos numa central nuclear em Marcoule, Gard (França).

A polícia confirma que o acidente, ocorrido às 11:45 de hoje, fez um morto.

A ASN, a autoridade francesa da segurança nuclear, faz saber que o acidente pode ser considerado concluído e que não houve fugas de material radioactivo.

Segundo uma primeira reconstrução, o acidente foi provocado pro uma explosão no forno utilizado para fundir os resíduos metálicos radioativos, e é classificado como "acidente industrial" e não "nuclear".

Manobras de preparação

A Turquia apaga todos os contratos comerciais e militares com israel, expulsa o embaixador israelita que deixa nos escritórios de Ankara o segundo secretário, a pessoa que na hierarquia diplomática tem a classificação mais baixa.

Diplomaticamente falando, a Turquia deu um pontapé nos dentes de Tel Aviv.

Tudo isso por causa dos episódios do ano passado, quando para-quedistas israelitas e unidades navais atacaram os navios da Flotilha da Liberdade: esta era uma iniciativa pacífica para romper o cerco de Gaza (que tinha começado em 2007), trazendo-lhe comida, medicamentos, cimento e outras coisas necessárias.

Os israelita atacaram em águas internacionais, a 90 milhas (150 km) da costa, massacraram pelo menos 9 pessoas (de acordo com outras fontes, foram 19) e sequestraram o navio que foi levado até o porto israelita de Ashdon.
Aqui o navio foi esvaziado de seu conteúdo com grande meticulosidade: os israelitas ficaram com os artigos mais simpáticos e úteis: no navio, por exemplo, havia cadeiras de rodas eléctricas para as crianças que perderam um ou ambos os pés, os israelitas ficaram com os paneis fotovoltaicos (que, de facto, dão sempre jeito), os acumuladores, e deitaram no lixo o resto.

Nova Ordem Mundial? Parte I


Existe uma Nova Ordem Mundial?
Não sei, não posso saber tudo, e que raio.

Mas é verdade que ao olhar para a informação alternativa não é possível não encontrar notícias acerca de NWO (isso mesmo, a Nova Ordem Mundial), Grupo Bilderberg, Illuminati, Maçonaria...muitas coisas, demais.

Assim como demasiado é o número de teorias que circulam acerca do assunto: há quem veja no actual NWO os herdeiros dos Huguenotes franceses do século XVI, quem vai ainda mais atrás, até a época de Cristo, até os Sumeros e se houvesse mais informações também Noé estaria incluído na lista.

Tudo muito bonito, muito sugestivo, sem dúvida. Mas estamos, ainda uma vez, perante conjecturas, talvez fascinantes, mas sempre conjecturas e nada mais do que isso. Como este blog tenta sempre ficar na área das evidências, do historicamente provado, temos que abandonar estas hipóteses e olhar para algo de mais concreto.

Muitas peças, um único tabuleiro

Supor a existência dum grupo de homens que deseje governar o mundo não é uma ideia tão original: é por isso que sempre existiram os impérios, conjuntos de conquistas militares, domínios políticos, exploração económica e penetração cultural.

Mas ao falar de NWO entendemos algo de mais subtil: não a imposição, mas um governo mundial alcançado com a persuasão das massas e o recurso ao voto democrático (pelo menos, quando possível). Inútil esperar os soldados com as fardas pretas e as letras douradas NWO, pois não é assim que é suposto funcionar.

É uma ideia tão absurda? A resposta não está aqui mas no frigorífico do Leitor (tem uma lata de Coca-Cola?), na sua televisão (vai um filminho de Hollywood?), na urna de voto (há algum partido no governo que sugira a saída da Nato?).

11 setembro 2011

9/11: o 10º aniversário

11 de Setembro: rios, provavelmente oceanos de tinta foram utilizados para tentar explicar o que aconteceu há 10 anos; pois passada uma década ainda parece claro que em 2001 algo de terrível se passou.

Quem não ficar satisfeito com a versão oficial tem só a dúvida de onde começar, pois material não falta.

A começar pelo relatório final da Comissão que se encarregou de pôr um ponto final na história. Paradoxalmente, o relatório conseguiu só amplificar as dúvidas e tornar certezas aquelas que antes eram apenas suspeitas.

Na minha óptica, a melhor prova de que no dia 11 de Setembro se passou algo de diferente da versão oficial é constituída pela queda do Prédio nº 7, uma das três construções que ruíram naquele dia.

Não atingido por aviões, com um modesto incêndio em dois pisos, o Prédio nº 7 desmoronou e ninguém sabe dizer por qual razão. Pois não há razão aparente.

A Comissão, ciente deste problema, decidiu ignorar o assunto: na versão oficial o Prédio nº 7 simplesmente não existe.

09 setembro 2011

Fim-de-semana

Prova Final volta após as férias e como prenda traz um bonito vídeo: aconselho visiona-lo aqui no link de Prova Final se ainda existirem dúvidas acerca de que se passou no dia 11 de Setembro de 2001.

Eu faço votos de bom fim-de-semana para todos e entro em meditação com duas lindas fotografias, estas:

Um lugar melhor

Qual a verdadeira herança do 11 de Setembro?
Após 10 anos o mundo é um lugar melhor?
E os Estados Unidos, onde tudo começou?

Afinal estamos a falar da "terra dos homens livres", o País dos corajosos, onde tudo é possível.

De facto, tudo é possível: até que uma guerra para a liberdade possa conduzir a uma menor independência.

Será que os Americanos trocaram as próprias liberdades para...pois, para quê?

Maior segurança? As estatísticas dizem o contrário. Os Estados Unidos continuam a ser um dos Países com o maior rácio habitantes/homicídios, logo atrás Honduras, Salvador, Venezuela e Rússia.

Esquecemos o âmbito económico agora: falamos das pessoas, não das instituições, e vamos ver o que o 9/11 tem deixado atrás de si.

Tristeza? Ora essa...

Grupo de Leitores de Informação Incorrecta
Opá...

Nos últimos dias sucedem-se comentários tristes. De Leitores que experimentam tristeza, melancolia, desilusão. Isso por causa do mundo em que vivemos, da realidade que nos rodeia.

Ohé, ohé, oheeeeeé!!! Mas que é isso?

Informação Incorrecta não nasceu para espalhar sentimentos negativos. Nasceu, em primeiro lugar, para tentar procurar a verdade, sempre que exista. E para fazer isso é necessário perceber onde estamos.

Líbia, Fukushima, Climagate, 9/11, Afeganistão...são todas coisas que sempre existiram. Com outros nomes, com diferentes modalidades, sem dúvida, mas sempre nos mesmos moldes.
A única diferença é que agora podemos falar disso, partilhar informação com internet (até quando esta for livre) e tomar consciência da situação quase em tempo real, com imagens, vídeos, testemunhos.

O quê? É mesmo o facto de tomar consciência que entristece? E porquê?
Não deveria ser este processo uma conquista de cada um de nós? Eu vejo isso desta forma.

08 setembro 2011

Fukushima: 6 meses depois

"E Fukushima?" pergunta Fada do Bosque.
"E Fukushima?" pergunto eu.

Então vamos procurar algumas notícias para ver qual a situação.
O Prémio Príncipe Astúrias da Concórdia 2011 foi atribuído, esta quarta-feira, aos "heróis de Fukushima", o grupo de homens e mulheres envolvidos na emergência nuclear provocada pelo tsunami no norte do Japão, de 11 de Março.
O júri da Fundação Príncipe das Astúrias, da cidade espanhola de Oviedo (Astúrias), realçou o "valoroso e exemplar comportamento" das equipas que evitaram, com sacrifício próprio, a multiplicação dos efeitos do desastre nuclear provocado pelo tsunami.
Bonito. Mais?

Climagate? Chegou a hora de Obama

Michael Mann, realizador

O Climagate acabou. Aliás, nunca tinha começado segundo as conclusões da NSF, a National Science Foundation, que acabou a própria investigação com a absolvição de Michael Mann e dos colaboradores dele.

Alt, stop, pára: quem é este Michael Mann?
Ok, um passo atrás.

Michael Mann é um físico e climatólogo que estudava as temperaturas no passado.
Analisava os troncos das árvores,  observava os anéis de crescimento, e depois sentenciava: ano quente, ano frio, ano assim assim...e os colaboradores apontavam as palavras do Mestre.

O resultado foi um gráfico, conhecido como "Hockey Stick", utilizado também no filme An Unconvenient Truth (de 2006, 2 Óscar) onde Al Gore (Prémio Nobel) demonstra que o Homem está a aquecer o planeta além dos limites.

Em 2009, todavia, são publicadas algumas e-mails onde aparece claro que Mann tinha alterado conscientemente os dados para demonstrar a correlação entre evolução humana e aquecimento global.
Mentiu.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...